Pesquisar
Close this search box.
/
/
Quando o concorrente aprende a mudar

Quando o concorrente aprende a mudar

O estado de mudança é permanente, a inovação é essencial, saber como manusear a informação para criar estratégias de valor faz muito mais sentido. E ainda assim, mesmo que uma empresa faça tudo isso. Uma história de sucesso pode estar longe de acontecer. O terceiro dia da NRF começou com uma Keynote Session voltada para a estratégia de expansão global de redes varejistas. Liderado por Alison Kenney Paul, Vice-Chairman and US Retail Deloitte LLP, o painel apontou como construir uma estratégia consistente para a expansão de redes varejistas no exterior.

Sim, os competidores estrangeiros estão fazendo a lição de casa. Querem aprender a cultura local, querem entender as regulações, os hábitos, comportamentos e vícios das diferentes culturas. Querem se expandir para mercados com classe média crescente (caso do Brasil). Já sabem que precisam de paciência, persistência, disciplina e fôlego financeiro antes de obter bons lucros em novos mercados emergentes.

Não há mais tanta predisposição para parcerias. Alison destacou que varejistas globais precisam desenvolver e considerar novos formatos de loja como alternativa para sentirem o mercado. Aliás, experimentação é outra premissa fundamental no jogo da expansão. Quanto mais testes, verificações, correções, melhor. Tudo para manter em equilíbrio a relação entre retorno do investimento e controle sobre a integridade da marca e dos valores da empresa (mesmo adaptados às culturas regionais).

O painel foi complementado com cases sintéticos e consistentes da Claire’s – rede varejista especializada em mulheres adolescentes, presente em 44 países, com mais de 3 mil lojas entre próprias e franqueadas nos EUA, China e Europa, entre outras localidades – e da Toms Shoes – varejista on-line com apenas 7 anos de existência e um grande propósito: doar um par de calçados a quem precisa para cada par vendido. A varejista inspirou modelos como o da Warby Parker, que mostramos no ano passado para nossos leitores,

Em ambos os cases, pudemos ver a disciplina na execução para assegurar a implementação de operações seguras dos negócios em outros mercados. Tolerância ao risco, disposição para se integrar e entender culturas locais, assegurar a integridade da marca, adaptar o modelo de negócio, buscar diferenciação permanentemente, afinidade da cultura local com a cultura corporativa,  engajamento social e avaliação do mercado potencial são itens considerados na avaliação e no desenvolvimento de operações em mercados como o brasileiro.

As práticas fazem sentido e podem orientar inclusive a expansão de nossas redes no exterior (elas devem fomentar essa ambição. Mesmo o maior dos mercados um dia fica pequeno), mostram que as vantagens competitivas de nossas redes varejistas, derivadas de seu conhecimento da realidade tendem a diminuir progressivamente. A chance de efetuarem fusões ou de serem adquiridas também, por outras redes multinacionais diminuiu sensivelmente, já que a recomendação é a de iniciar operações evitando parceiros locais.

Ou seja, há aqui um reflexão extremamente importante, e que evoca a necessidade de ser paranoico com o próprio negócio. Acreditar na receita de sucesso usada até hoje pode assegurar 1,3, 6 anos a mais para o negócio. Mas a concorrência tem vontade de aprender e o consumidor, capacidade de evoluir e de se tornar mais e mais exigente e imprevisível. Isso significa que deixar de assimilar novas tendências por conta das dificuldades inerentes à realidade brasileira deixou de ser uma opção. Nosso mercado pode ser ainda relativamente fechado para o mundo mas a informação, não. Ela se dissemina velozmente.

Basta apenas considerar quantos recursos os consumidores brasileiros já destinam à Amazon e às lojas aqui dos EUA e que não são, nem por um segundo, pensados para serem gastos em nossas lojas.

Mais do que resistir a mudar, inovar e evoluir, é preciso ter consciência de que a competição hoje está em todo lugar, em todos os momentos, em todas as situações. O momento pede capacidade competitiva. E o nosso varejo reúne condições para ser melhor e também exportar a sua espertíssimo para o mundo.

Jacques Meir é Diretor de Conhecimento e Inteligência de Negócios do Grupo Padrão

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]