Pesquisar
Close this search box.
/
/
Problemas com planos de saúde surgem com a gravidade da doença, segundo advogada

Problemas com planos de saúde surgem com a gravidade da doença, segundo advogada

Renata Vilhena fala sobre os pontos de atenção no momento em que o consumidor vai escolher um plano de saúde e destaca a falta de transparência do setor e a ausência da regulação nos planos coletivos

As operadoras de planos de saúde têm um caminho a trilhar para melhorar a experiência do consumidor.  A advogada Renata Vilhena, especialista em direito à saúde e sócia da Vilhena e Silva Advogados Associados, atua há cerca de 25 anos na área, e destaca que, durante sua trajetória, viu os problemas do setor mudarem. Mas os problemas continuam. “A questão da litigiosidade na área da saúde não é uma questão só do Brasil, é um problema mundial. É um serviço muito caro, mas que ninguém vive sem”, comenta.

Renata possui um plano de saúde individual e enfatiza que esta é a melhor opção para o consumidor. Porém, hoje, conseguir contratar esse tipo de plano é raro.

Confira o bate-papo, em que a advogada fala sobre a importância de o consumidor checar a rede credenciada e os reajustes passados para não ser pego de surpresa nos reajustes futuros.

“A questão da litigiosidade na área da saúde não é uma questão só do Brasil, é um problema mundial. É um serviço muito caro, mas que ninguém vive sem”

Consumidor Moderno – Hoje, o que você considera o calcanhar de Aquiles do setor de saúde suplementar?
Renata Vilhena – É a falta de transparência, tanto na questão dos reajustes como da incorporação de novas tecnologias. Não há transparência alguma do setor.

CM – Você pode citar um exemplo?
RV – Um exemplo são os planos coletivos por adesão, que têm de 15% a 20% de reajuste todo ano. A gente entra na justiça e pede para que eles apresentem os cálculos atuariais e de onde vem essa necessidade. As operadoras e administradoras não mostram.

CM – Como melhorar isso?
RV – A ANS – Agência Nacional de Saúde Suplementar – precisa exigir essa transparência das operadoras.

CM – A ANS está executando bem o seu papel?
RV – Acho que não porque não há transparência e não há regulação dos planos coletivos. Ela regula plano individual, mas hoje você não consegue mais contratar planos individuais. A partir do momento que começou a regulação dos planos individuais, quem vende plano coletivo por adesão empresarial, tem que ter no rol de produtos planos individuais também porque o cliente fica sem opção.

CM – Quais são os maiores litígios que vocês têm no escritório nesta área?
RV – Tem uma grande briga pelos reajustes de mensalidade e cobertura. O paciente oncológico é o que mais sofre para cobertura de tratamento. A doença que mais causa judicialização é o câncer.

“Não adianta contratar um plano que dê direito a um médico com um consultório ao lado da casa dele. O consumidor precisa de bons hospitais e de alta complexidade, tais como um hospital que tenha tratamento oncológico, uma UTI de grande porte, e não só a rede própria porque dificulta o controle da qualidade. É preciso, sempre, ter bons hospitais credenciados”

CM – Além do câncer, tem alguma outra doença?
RV – Todos os problemas de alta complexidade, tais como doenças raras. Temos muito agora Terapia ABA – em inglês, abreviação para Applied Behavior Analysis, que é Análise do Comportamento Aplicada – para crianças com autismo, além de problemas cardíacos. Durante a pandemia tivemos muita demanda por tratamentos de covid-19. Muitas pessoas de outros estados, de outros lugares do Brasil, têm vindo a São Paulo para se tratar, procurando aqui um serviço de melhor qualidade. E o plano dessas pessoas era só atendimento estadual, municipal, e não dava atendimento em São Paulo.

Leia mais: A jornada complexa e custosa dos planos de saúde para o consumidor

CM – E como você vê a contratação dos planos para o público da melhor idade? Hoje, é quase impossível contratar um plano de saúde?
RV – O último ajuste permitido por idade é com 59 anos. Depois disso, não pode ter mais cobrança diferenciada por idade, mas sabemos que, na prática, quando uma pessoa com 70/80 anos vai contratar, a operadora tenta barrar a entrada desse consumidor, além do que, fica muito caro. Também surgiram no mercado esses planos populares especializados para a terceira idade, como a Prevent Sênior. Mas também acaba sendo uma bolha porque tem muitos problemas de atendimento, erro médico, é só a rede própria, então a qualidade cai. Quem não paga plano de saúde a vida inteira e deixa para contratar na velhice, ou vai pagar muito caro ou vai conseguir contratar um serviço de qualidade inferior.

CM – Mas até mesmo uma pessoa que pagou um plano de saúde durante toda a vida, quando envelhece, vai ter um custo alto. Não tem como fugir, certo?
RV – Não tem como. Ela vai pagar. O último reajuste por faixa etária é com 59 anos, mas ela terá os reajustes anuais.

CM – Essas empresas que surgiram como dr. Consulta terão espaço para continuar a crescer?
RV – Acho que não. Tanto é que deu uma descontinuada porque o dr. Consulta atende a baixa complexidade, mas, se a pessoa precisa de uma cirurgia ou um tratamento mais caro, não tem como continuar. Isso quebra o processo do atendimento à saúde. Não vejo futuro para esse tipo de nicho.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente 

CM – Quais dicas você dá para o consumidor no momento da escolha do plano de saúde?
RV – Hoje é muito difícil contratar um individual, mas sempre recomendo contratar um plano individual porque os reajustes são menores. Se ele for contratar um plano coletivo por adesão empresarial, tem de perguntar ao corretor os reajustes dos últimos cinco anos. Assim, ele vê quanto vai aumentar e tem uma previsibilidade. Sempre se atentar para a rede credenciada. Não adianta contratar um plano que dê direito a um médico com um consultório ao lado da casa dele. O consumidor precisa de bons hospitais e de alta complexidade, tais como um hospital que tenha tratamento oncológico, uma UTI de grande porte e não só a rede própria porque dificulta o controle da qualidade. É preciso, sempre, ter bons hospitais credenciados.

CM – Você, como consumidora, já teve problemas com seu plano de saúde?
RV – Nunca tive, mas a gente só tem problema com plano de saúde quando tem um problema sério, grave. Vamos ver se quando eu precisar, não terei. Os problemas sempre surgem com a gravidade da doença.


+ Notícias

Saúde e consumo: a hora do individual

Quando o centro da estratégia é o custo: a experiência infeliz dos planos de saúde

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]