Pesquisar
Close this search box.
/
/
BC endurece regras de transparência e comunicação para tornar Pix mais seguro

BC endurece regras de transparência e comunicação para tornar Pix mais seguro

Nova resolução aumenta responsabilidade de bancos em caso de fraudes em transações Pix e estabelece novas punições

O Banco Central (BC) instaurou novas regulamentações para o sistema Pix, que já é uma das formas de pagamento favoritas dos brasileiros. Já são mais de 153 milhões de usuários cadastrados, com quase 500 milhões de chaves. As modificações implementadas pela Resolução nº 342, divulgadas nesta quarta-feira, focam principalmente em dois aspectos: incidentes de segurança e comunicação sobre o tratamento de dados dos usuários.

Bancos são responsáveis por comunicar clientes de incidentes com Pix

Segundo as novas determinações, instituições financeiras são obrigadas a informar os usuários sobre quaisquer incidentes, independentemente da gravidade ou da origem do problema. Esta medida vai além das exigências da Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD), que prevê comunicação apenas em situações que apresentem risco ou dano potencialmente significativos.

Desde o lançamento do Pix, o BC valoriza a transparência em todos os casos de incidentes, vendo nesta prática um meio de manter a confiança do público no serviço. “Apesar de a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais (LGPD) determinar obrigação de comunicação apenas nos casos com potencial risco ou dano relevante, desde o lançamento do Pix o BC optou pela comunicação mesmo nos casos de menor impacto, pautado pela transparência, aspecto fundamental para a manutenção da confiança da população no meio de pagamento”, destaca o comunicado do Banco Central.

O dever de comunicar qualquer incidente recai sobre a instituição com a qual o cliente tem vínculo, visto que possui meios seguros de comunicação, acessíveis através de identificação pessoal.
A implementação deste procedimento entra em vigor de imediato e segue a linha do que foi estabelecido para casos anteriores. O assunto continua em debate no Fórum Pix, principalmente no Grupo Estratégico de Segurança (GE-Seg), e não se descartam futuras revisões ou adaptações na regulamentação.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

Novas e mais duras punições

A Resolução BCB nº 342 também introduz ajustes na estrutura de penalidades do Pix. Violações de requisitos de segurança são agora avaliadas e penalizadas baseando-se nos efeitos reais causados, e não apenas no descumprimento das normas em si. Isto possibilita a aplicação de sanções mais rigorosas em casos de maior impacto.

A responsabilidade sobre as chaves Pix é dos bancos com quem os clientes têm conta, mesmo que a fraude envolva outras instituições. “É importante ressaltar que o dever recai sobre a instituição de relacionamento do cliente, mesmo que não tenha dado causa ao evento, uma vez que é ela que possui canal seguro de comunicação com o cliente, acessível exclusivamente por meio de identificação pessoal, como senha, reconhecimento biométrico etc”

Quando a violação envolve dados pessoais associados ao Pix, um novo fator é considerado no cálculo da multa: o número de chaves Pix afetadas. O BC permanece empenhado em evoluir e aperfeiçoar o Pix, atento às necessidades de segurança e à expansão do uso do serviço. As recentes mudanças na regulamentação refletem este compromisso, proporcionando maior transparência e ajustando as penalidades em resposta a infrações de segurança.

Leia mais: Banco Central anuncia novas medidas de segurança para o PIX

Saiba quais são os golpes mais comuns e como se prevenir:

Lembre-se sempre que procedimentos de segurança legítimos nunca envolvem a solicitação de transferências, o compartilhamento de senhas ou de dados sensíveis.

Clonagem de WhatsApp:

Um dos golpes mais comuns, a duplicação da conta de WhatsApp em outro dispositivo controlado pelo fraudador, que solicita transferências via Pix para contatos da vítima, fingindo ser ela e alegando emergências.
Alerte sempre colegas, amigos e familiares para entrarem em contato imediatamente ao receber pedidos incomuns ou urgentes de dinheiro.

Como se prevenir

Não compartilhar códigos de verificação ou informações sensíveis.

Golpe do Falso Funcionário:

Golpistas se passam por funcionários de instituições financeiras via telefone, e-mail ou mensagem e alegam a necessidade de “verificação” ou “teste” de segurança da conta.
Também pode solicitar uma transferência via Pix como um teste para uma conta controlada por eles.

Como se prevenir

Nunca realize transferências ou fornecer senhas mesmo se for solicitado; todas as instituições financeiras alertam contra essa prática.

Conheça o Mundo do CX

Troca de Chaves:

Golpistas induzem a vítima a registrar uma chave deles como se fosse do cliente; assim, as transferências enviadas para a chave registrada são direcionadas à conta do fraudador.

Como se prevenir

Nunca registre chaves Pix fornecidas por terceiros em suas contas; e nem dê acesso à nenhuma pessoa ao seu aplicativo do banco.

Phishing:

Envio de mensagens ou e-mails fraudulentos que simulam comunicações oficiais de bancos com links que redirecionam para sites falso, onde são coletados dados sensíveis, como senhas.

Como se prevenir

Nunca clique em links ou forneça informações sem confirmar a veracidade da comunicação. Confira a url no seu navegador, procure por erros de português e fique atento à comunicações atípicas ou escritas com um estilo diferente do normalmente utilizado por sua instituição bancária.

QR Code Falso:

Envio de QR Codes falsos para pagamento de produtos ou serviços, em que o dinheiro é direcionado para as contas dos golpistas.

Como se prevenir

Confira todos os dados do destinatário do pagamento após a leitura do QR Code. Nunca faça pagamentos através de códigos recebidos por mensagens de texto, WhatsApp ou e-mails sem ter certeza de onde eles vieram.



+ NOTÍCIAS
Cartões querem concorrer com Pix em pagamentos recorrentes

“Atendimento rápido e eficiente pode coexistir com empatia”, afirma CEO da Foundever

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]