Pesquisar
Close this search box.
/
/
O máximo da exigência

O máximo da exigência

Cafeteria premium Blue Bottle eleva a gourmetização do café a níveis estelares

Uma das cafeterias mais conceituadas do mundo, a Blue Bottle Coffee foi aberta em 2002 pelo músico W. James Freeman. Nesta época, ele vivia descontente com os cafés disponíveis pela cidade de Oakland (Califórnia) e decidiu oferecer uma alternativa para os amantes da bebida, jurando para si mesmo que só venderia café até 48 horas depois da torra do grão. Tudo para garantir que os clientes o desfrutassem em seu ?pico? de sabor.

A primeira seleção que o cliente faz ao entrar em qualquer uma das unidades (hoje são 15 lojas) da Blue Bottle pelos Estados Unidos é entre uma das nove categorias possíveis, que definirá como o café será filtrado. 

A partir dessa escolha, as alternativas se multiplicam até as centenas de variedades possíveis, possibilitando a degustação de um café torrado cuidadosamente com aroma e sabor apurados.

São poucas as opções dentro da cafeteria que permitem adições de quaisquer substâncias à xícara que não o próprio café. A recomendação expressa é que a bebida seja consumida em sua máxima pureza. O New Orleans Iced é uma das únicas exceções e deve ser misturado com leite e açúcar orgânico.

Essa forma de conduzir o hábito de tomar café adotada pela Blue Bottle, de prepará-lo rigorosamente em busca de níveis ideais de qualidade e tornar seu deleite uma experiência única são características da ?terceira onda? do café no mundo. A divisão em fases foi criada por especialistas e ajuda a entender como a forma de consumir a bebida mudou através dos tempos.

A ?primeira onda? foi definida como uma época de valorização dos cafés tradicionais e sua disseminação ao redor do mundo depois da 2ª Guerra, uma época em que ele era muito mais apreciado por sua energia do que por seu sabor. A segunda onda veio com o Starbucks, com a melhoria da qualidade dos grãos da espécie arábica e a expansão das máquinas de espresso.

Para comparar Starbucks e Blue Bottle, a revista Fortune traçou um paralelo automobilístico. Para ela, a Starbucks seria um Honda Accord enquanto a Blue Bottle seria um Alfa Romeo Giulietta.

?O Alfa Romeo pode custar mais e exige um pouco mais de atenção, mas chega a um padrão estético que o Accord simplesmente não poderá igualar. O Café Blue Bottle se propõe a trazer o café de alto padrão para um público mais amplo?, publicou.

E não faltam amantes do café que concordem com a Fortune. A colunista do Guardián, Chérmelle Edwards, criou um manifesto pelo fim da ?Starbuckização? no mundo, condenando as empresas que tratam o assunto como simples business (prática adotada segundo a articulista pelas companhias Folgers, Sanka, Dunkin Donuts e Starbucks) e exaltando as que tratam café como arte (Stumptown, Blue Bottle, Intelligentsia e Counter Culture).

O fundador da Blue Bottle, James Freeman, é cultuado entre os baristas e degustadores. Em uma entrevista recente, Freeman revelou suas preferências para fazer café quando está em casa e mostrou que o faz como profissional mesmo em período de descanso.

Ele pesa os grãos em uma balança AWS e os mói em um Vaneli. Depois, os coloca em um filtro Kenaf n° 4 dentro de um gotejador de cerâmica Bonmac. Mas nada disso adianta se o líquido precioso não for servido em uma chaleira Takahiro. Todos estes produtos podem ser adquiridos nas unidades da rede.

Em uma hipérbole jornalística, a mesma Fortune chegou a dizer que a obsessão de Freeman pela procedência do café é tão extrema que ele não pode apenas citar os nomes das pessoas que o plantaram, mas consegue descrever as ?sombras das árvores sob as quais ele cresceu?. Entre os fornecedores de grãos para Freeman (etíopes, mexicanos e ruandeses) um é brasileiro: o café orgânico potiguar Santa Clara.

História

Originário da Etiópia, o café é consumido pelos humanos há mais de mil anos. As primeiras cafeterias surgiram na Meca e se expandiram para a Europa no século 14, quando o hábito de tomar café passou a ser associado aos encontros sociais.

Em 1687, durante a Guerra Austro-Turca (1683-1699), os turcos foram mal sucedidos em tomar a capital da Áustria e acabaram obrigados a deixar todos seus pertences para trás, entre eles as sacas de café usadas para alimentar seus camelos. 

Concomitantemente, o mensageiro vienense Franz George Kolshitsky foi considerado herói nacional e recebeu um vultoso prêmio do prefeito da cidade por ultrapassar as linhas inimigas e conseguir enviar uma mensagem para as tropas polonesas. 

Kolshitsky havia morado muito tempo na Arábia e aprendido como preparar o café. Com o dinheiro, comprou as sacas abandonadas pelos turcos e investiu na compra de um imóvel, inaugurando a primeira cafeteria da Europa Central, The Blue Bottle. O título da cafeteria norte-americana foi dado em sua homenagem.

Leia mais:

Inovação que deslumbra

O mercado de luxo e seus diferentes públicos

Os novos horizontes do varejo de luxo

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]