Pesquisar
Close this search box.
/
/
Na hora de pagar, o que os Millennials querem?

Na hora de pagar, o que os Millennials querem?

Na era da mobilidade, o melhor pagamento para as novas gerações é aquele que não emite nota e nem requer qualquer equipamento

Uma verdade é irreversível: a mobilidade incutiu uma nova dinâmica no mercado e as novas gerações querem tudo o que é simples e que não tem barreiras. Isso vale para o consumo. “Estamos vivendo uma mudança tecnológica grande, em que o novo consumidor quer estar mais próximo das marcas e quer pagar de forma simples, descomplicada e rápida”, afirma Augusto Lins, diretor da Stone, que mediou painel sobre o tema no Conarec – Congresso Nacional de Relações Empresa-Cliente, que aconteceu nesta semana, em São Paulo.

Lins resumiu o conceito de frictionless (ou sem atrito) – um conceito que define uma compra sem barreiras, que acontece em um único toque. “Esse movimento surge de um cliente que tem uma demanda diferente e as empresas precisam se adequar a essa demanda”, afirma Lins. A Magazine Luiza tem observado esse movimento e, ao criar seu aplicativo de compras, teve obsessão de excluir o máximo de barreiras para a conclusão da compra, segundo Eduardo Galenternick, diretor-executivo de e-commerce da rede.

“Meu negócio é vender e como vendedor a minha missão é vender mais do que ontem e mais do que os concorrentes. Para fazer isso, tem a forma fácil e a certa. A fácil é queimar preço, mas ela não é sustentável. A forma certa é corrigir ineficiências e o processo de pagamentos na compra online é ineficiente”, afirma. “Os Millennials são impacientes com processos ineficientes. Por isso, temos de ter obsessão de tirar a fricção do processo de pagamentos e corrigir os processos e os potenciais erros.”, diz.

As startups têm acelerado o processo das empresas tradicionais de criar soluções que permitam uma compra sem barreiras. “Elas estão tentando matar uma empresa gigante. A boa notícia para elas é que é fácil lutar contra um gigante no Brasil, porque por aqui gigantes colhem resultados passados e deitam em berço esplêndido”, afirma Pedro Waengertner, diretor operacional da Ace, antiga Aceleratech. “Os jovens que montam essas startups fazem isso sem investimento e montam isso de maneira fácil. Eles são PHD: poor, hungry e desperate”, conta.

Ao contrário de grandes empresas, naturalmente mais engessadas, as startups têm mais facilidade de criar soluções e ferramentas com foco no usuário. “Olhando para esse cenário, existem várias startups que estão criando maneiras diferentes de cobrar e gerar novos serviços”, diz.

A Stone é uma dessas startups. Criada em janeiro de 2015, a empresa passou de 30 funcionários para 1.100, com foco em soluções de pagamento. “Entramos em um mercado que a gente viu que tem muita ineficiência. A gente entende que o pagamento é parte fundamental da experiência do cliente”, afirma Bernardo Carneiro, sócio diretor da Stone Pagamentos. “E quando a ineficiência nesse ponto aparece, minha experiência fica comprometida”, diz.

O Paypal segue o mesmo caminho. No mercado há 18 anos, a companhia reviu sua estratégia e há três anos passou a criar soluções sob o conceito do mobile first. “Começamos a desenvolver produtos olhando primeiro a experiência mobile e depois adaptando isso para outros formatos”, conta Thiago Chueiri, diretor de Business Development da empresa.

A mudança na estratégia deve-se, essencialmente, aos Millennials. Hoje, eles representam 20% da população mundial. Somente no Brasil, eles são 58 milhões de pessoas com comportamento focado na tela pequena – o que parece um problema para o varejo, mas acaba sendo uma oportunidade, segundo o executivo. Em 2015, ele calcula que 13% das transações online foram efetuadas via mobile. Entre os parceiros da empresa, esse índice foi de 28%. “Hoje nossa estratégia é pautada nisso, mas ninguém sabe como o consumidor vai se comportar daqui alguns anos e qualquer empresa precisa estar aberta para se posicionar rapidamente de acordo com o novo comportamento desse consumidor”, afirma.

Pensando nisso, a empresa lançou o One Touch, solução que reconhece o celular do consumidor e permite que ele use o meio de pagamento sem digitar login por seis meses – por questão de segurança. Segundo Chueiri, 22 milhões de pessoas já aderiram a solução.

Para os especialistas, a grande barreira para o varejo tradicional se adaptar a um cenário de poucos obstáculos é justamente a cultura. “A gente gosta de trabalhar com o mindset do amador. Os caras do Airbnb não vieram da área hoteleira, da mesma forma que os caras do Uber não vieram da área de transporte. E esse mindset é difícil de ser assimilado pelas empresas tradicionais”, afirma Waengertner. “Quando se tira o olhar pré-concebido é que a inovação acontece, porque a gente olha com olhos novos”, diz.

Para ajudar nessa jornada de olhar a estratégia com “olhos novos”, a Magazine Luiza criou o Luiza Labs. A ideia do laboratório é criar inovações para facilitar a vida do consumidor. “Nossa missão é transformar a empresa de varejo tradicional em uma empresa digital e para isso é preciso construir uma base de tecnologia”, conta Galanternick. Para o executivo, a crise e os momentos de instabilidade não são suficientes para tirar a empresa da rota. “Em qualquer momento temos de buscar corrigir nossas ineficiências, buscando oportunidades de melhora operacional”, diz.

Colocar os sapatos do consumidor, para Carneiro, é parte importante na trajetória de criar experiências sem atrito. “Ele sabe o problema que ele tem, mas não sabe exatamente o que ele quer. O desafio que não é tentar entender o que faz seu mercado melhor, mas descobrir o problema do mercado. Quando entendemos o problema, conseguimos construir uma solução”, afirma o executivo.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]