Pesquisar
Close this search box.
/
/
Por que o mercado de usados cresceu tanto? CEO da Precifica responde

Por que o mercado de usados cresceu tanto? CEO da Precifica responde

Inflação, aumento da taxa de juros e sustentabilidade enriquecem o mercado de segunda mão

Na hora de buscar por um produto novo, você considera escolher algum que seja de “segunda mão”, ou seja, itens usados? Se a resposta é quase sempre negativa, saiba que você faz parte de uma ínfima estatística.

De acordo com um estudo da ThredUP, produzido em maio deste ano e realizado nos Estados Unidos, considerando todas as faixas etárias, 93% dos compradores norte-americanos já estão mais abertos a comprar produtos usados, sobretudo quando os itens são mais voltados a roupas, calçados, eletrônicos e eletrodomésticos. O resultado apresentou inclusive um crescimento desmedido desde antes na pandemia (2019), quando esse desejo de consumo compreendia apenas 70% dos entrevistados.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente  

O mercado brasileiro, vale destacar, também tem seguido a mesma onda do norte-americano. Cada vez mais o segmento de usados cresce por aqui, um resultado não apenas da descoberta de sites e aplicativos que anunciam esse tipo de produto, como também de uma ressignificação na forma de consumir.

Em entrevista exclusiva à Consumidor Moderno, o CEO da Precifica, Ricardo Ramos, comentou sobre o assunto. Para ele, esse aumento na demanda por parte do consumidor também é resultado da crise econômica do País. “O mundo todo vive um cenário de altíssima inflação. No Brasil, estamos encostando na máxima histórica dos últimos 20 anos”, explica.

Mercado de usados tende a evoluir no mesmo ritmo da inflação

É evidente que a maior motivação do brasileiro é comprar um produto mais barato, ainda que de segunda mão. O mercado por si só é aquecido por vendedores e consumidores: uma oportunidade de conseguir renda extra com produtos que já não são tão interessantes para um lado da operação, e outra para quem deseja aquele item em específico por um preço mais amigável.

E esse motivador monetário, comenta o CEO, está muito alinhado com a alta da inflação, mas não é de todo ruim: instiga a melhora de um mercado próspero. “O cenário explica o aumento da procura por alternativas de consumo e o surgimento de novos modelos de negócio voltados para os menos endinheirados. São exemplo a venda de produtos usados, a compra coletiva de itens de supermercado e a venda de produtos próximo a validade”, complementa o Ricardo.

Leia mais: Recommerce: varejo de moda online cresce na venda de itens usados

Ele também destaca que essa redução do poder de compra do brasileiro está muito relacionada à compra de bens duráveis, que já são tradicionalmente mais caros. “Itens de necessidade básica estão ficando muito mais caros, como alimentação, e assim, sobra menos dinheiro da renda para consumo de produtos de necessidade não básica, como vestuário e bens para casa”, acrescenta.

Se o produto fica mais caro, como tem acontecido com a inflação e com a taxa de juros, que está retornando ao patamar de cinco anos atrás, o mercado de usados ganha mais destaque. E se os juros são muito altos, o consumo comum começa a cair.

Conheça o Mundo do CX

“O Brasil possui mais de 80% da população enquadrada nas classes C, D e E. Logo, é de se esperar que a aquisição destes produtos seja através de parcelamento, que está cada vez menos atrativo. Isso aumenta o consumo de usados”, completa.

Para além do dinheiro: um valor estratégico e sustentável

Embora o principal motivador da compra de usados seja o dinheiro — de acordo com o estudo da ThredUP —, o preço da operação não corresponde ao motivo total da busca por produtos usados. A pesquisa inclusive destaca 2 em cada três entrevistados acreditam que seus hábitos individuais de compra têm um impacto significativo no planeta, e compram itens usados pelo viés sustentável.

Leia mais: Mercado de usados: marcas apostam na experiência do cliente para impulsionar o comércio de itens de segunda mão

Não obstante, o estudo também revela que 82% dos entrevistados sentem uma emoção positiva quando compram produtos de segunda mão e 74% deles disseram que as roupas usadas já são mais aceitas pela sociedade do que eram cinco anos atrás.

A sustentabilidade, dessa forma, aparece como um motivador tão importante quanto o dinheiro, sobretudo quando o público é voltado para a Geração Z.


+ Notícias

Como a Kavak planeja revolucionar o mercado de carros usados no Brasil

Porsche inaugura primeira loja voltada a veículos usados no Rio 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]