Pesquisar
Close this search box.
/
/
O que está por trás da taxa de sobrevivência do MEI no Brasil?

O que está por trás da taxa de sobrevivência do MEI no Brasil?

De acordo com IBGE, taxa de sobrevivência pode estar relacionada a idade do empreendedor e a segmentos econômicos.

Os que empreendem na modalidade MEI (Microempreendedores Individuais) têm apresentado uma taxa de sobrevivência de cinco anos no Brasil, de acordo com a pesquisa “Estatísticas dos Cadastros de Microempreendedores Individuais”, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Os dados, publicados em 2023, têm como base o período entre 2019 e 2020. No último ano mencionado, havia 13,2 milhões de MEIs, equivalente a 69,7% do total de empresas e outras organizações e 19,2% do total de ocupados, já incluindo os MEIs. Em 2019, esses números eram 9,6 milhões, 64,7% e 15,2%, respectivamente.

Já em 2021, houve uma entrada de 22,0% de MEIs, o que equivale a um total de 2,9 milhões. No mesmo ano, foram registradas a saída de 857 mil de microempreendedores individuais da categoria, um percentual de 6,5%. O resultado foi um saldo positivo de 2,1 milhões de CNPJs nessa categoria. Porém, as saídas nem sempre podem ser consideradas que a empresa se encerrou, uma vez que há a possibilidade de terem migrado para outro regime tributário.

Leia mais: Conheça os estados em que mais se pede empréstimo no Brasil

Entendendo as entradas e saídas

Os conceitos da Demografia das Empresas e Estatísticas de Empreendedorismo (2022) serviram de base para a definição dos eventos demográficos de entrada e saída dos MEI. Elas são divididas da seguinte forma:

Nascimentos: são aqueles que não existiam no ano anterior, mas passaram a existir no ano da pesquisa;

Entrantes convertidos: nesse caso, eles se enquadram no critério de MEI e já existiam, mas foram excluídos da pesquisa por critérios de seleção;

Quanto às saídas elas podem ser separadas em “Encerradas”, quando deixam de atender o critério de seleção do MEI no ano de referência. Já as “Saídas convertidas” são os microempreendedores individuais que estavam na seleção do ano anterior, mas no ano do estudo não se adequam mais ao critério de seleção.

Assine nossa newsletter! Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

Taxa da saída, entrada e sobrevivência

Dos 2,9 milhões microempreendedores individuais registrados na taxa de entrada em 2021, e das 857 mil saídas, alguns setores se destacam. As entradas acontecem na agricultura, pecuária, produção, pesca e aquicultura, com 39,3%, e em serviços, com 23,5%.  O número de entradas para eles foi, na mesma sequência, 18.023 e 1.55.421. Já as saídas, para ambos os setores, são, respectivamente, 7,5% e 6,66%, com números que equivalem a 3.446 e 436.344.

Já nas saídas, merece atenção comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas com a maior taxa entre os três setores mais representativos. Apesar de ter registrado apenas 7% de saída, esse número equivale a 271.440 saídas das 800.460 entradas. Porém, ao comparar com a agricultura, pecuária, produção, pesca e aquicultura, por exemplo, os números absolutos de entradas ainda são maiores.

Já para analisar a taxa de sobrevivência dos MEIs, são levados em consideração os últimos cinco anos que antecedem a pesquisa e características como segundo o sexo de quem empreende, faixa etária, nacionalidade, e segmento econômico. No caso do estudo, a conta começou em 2014.

Conheça o Mundo do CX

O levantamento notou que, em média, a taxa de sobrevivência da empresa no 5° de funcionamento é de 51,6%. Entre os homens empreendedores, é de 52,1%, enquanto as mulheres é 51,1%. Já por idade, foi observado que quanto mais jovem ao abrir o MEI, menores chances há de se manter nos próximos cinco anos. Enquanto entre os MEIs com até 29 anos, 41,3% mantiveram-se em funcionamento no 5° ano de funcionamento, entre aqueles que abriram na faixa dos 40 a 49 anos, esse percentual foi de 61,2%.

Entre os grupamentos econômicos, a maior taxa de sobrevivência em cinco anos está no segmento da construção, com 55,8%. A indústria geral vem em seguida, com 54,4%. O terceiro lugar está com serviços, que apresenta taxa de sobrevivência de 52,3%, seguida de comércio, reparação de veículos automotores e motocicletas, com 48,8%. Por último aparece agricultura, pecuária, produção, pesca e aquicultura, com 48,2%.



+ NOTÍCIAS
Produtividade no trabalho já supera queda causada pela pandemia
Ipsos revela tendências de comportamento de compra para 2024

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]