Pesquisar
Close this search box.
/
/
Conheça as empresas mais reclamadas no Procon-SP

Conheça as empresas mais reclamadas no Procon-SP

Órgão de Defesa do Consumidor divulga lista das empresas que tiveram o maior número de reclamações e menor índice de resolutividade em 2022

Todos os anos o Procon de São Paulo divulga a lista dos fornecedores mais reclamados. Em 2022, foram mais de 740 mil atendimentos aos consumidores, somando as reclamações feitas nos canais online e nos postos presenciais. Desses atendimentos,177.882 tornaram-se Reclamações Fundamentadas envolvendo um total de 16.745 fornecedores.

O diretor executivo do Procon-SP, Wilton Ruas, afirma que a divulgação da lista, que é uma determinação do Código de Defesa do Consumidor, deve ser encarada como uma oportunidade para que as empresas aprimorem os processos de relacionamento com os clientes. Segundo ele, só buscando um melhor atendimento será possível melhorar a posição da companhia nos próximos anos.

Dentre as empresas com mais reclamações, a FACI.LY lidera o ranking, seguida pela distribuidora de energia elétrica Eletropaulo/Enel. O terceiro e o quarto lugar são ocupados, respectivamente, pelo grupo Mercado Livre (que congrega a fintech MERCADO PAGO) e pela operadora de telefonia Claro (CLARO / NET / EMBRATEL / NEXTEL (AMÉRICA MÓVIL); o quinto lugar também é ocupado por uma telecom, Vivo/Telefônica.

As Reclamações Fundamentadas são demandas não solucionadas em fase preliminar, que seguem para uma segunda etapa de conciliação, com a abertura de processo administrativo; os atendimentos – que totalizaram 740.318 em 2022 – são compostos por consultas, atendimentos preliminares, Cartas de Informações Preliminares (primeira notificação enviada ao fornecedor, pedindo informações e a solução para o problema) e reclamações.
A ordem em que as empresas aparecem no Cadastro segue a quantidade total de reclamações, classificadas do maior para o menor; seguida por quantidade de reclamações não atendidas e, num terceiro nível, pela ordem alfabética da Razão Social / Grupo de Fornecedor.

Sobre as mais reclamadas

A Faci.ly, mais reclamada de 2022, segundo o Procon-SP é uma plataforma de compras coletivas que utiliza o compartilhamento nas redes sociais para promover ofertas e alcançar um número maior de compradores. O propósito da marca é vender mais barato contando com cortamos intermediários ao longo da cadeia e seguindo o modelo de Ponto de Retirada.

Foram 25.939 reclamações – das quais 8.070 foram atendidas e 17.869 não. As que evoluíram para a segunda fase – e que integram este cadastro – apresentaram índice de solução em torno de 30%. Em 2021, a Faci.ly esteve em 17º lugar entre as mais reclamadas no Procon-SP.

Em segundo lugar no ranking, a Eletropaulo/Enel (que ocupou o primeiro lugar em 2021 e 2020) teve 6.788 reclamações em 2022. Dessas, 1.043 foram atendidas e 5.745, não. Isso representa um índice de resolução de 15% das queixas registradas no Procon-SP.

Na terceira posição aparece o grupo Mercado Livre, que congrega a fintech MERCADO PAGO. Com 4.581 Reclamações Fundamentadas, tendo atendido 1.597 e deixado de atender 2.984, a companhia teve um resultado pior do que os anos anteriores. Em 2021, o grupo esteve em quinto lugar no ranking.

Em quarto lugar, a Claro teve 4.433 Reclamações Fundamentadas, tendo atendido a 2.152 e deixado de resolver 2.281 reclamações dos clientes. Bem próxima à Claro, está a Vivo/Telefônioca, na quinta posição no ranking das mais reclamadas do Procon-SP. A operadora passou do 13º lugar em 2021 para o quinto em 2022, recebendo 3.690 reclamações fundamentadas, atendendo a 1.710.

Olhando por segmentação, vale destacar a Samsung que aparece pela primeira vez entre as dez mais reclamadas, com 3.292 reclamações; a VIA, que teve 2.867 reclamações no Procon-SP, mas com um índice de resolutividade alto: 70%; e o Bradesco, que ficou em oitavo, no ranking geral, com apenas 30% de resolutividade das reclamações. A Shopee também chama a atenção pois no ano anterior ocupava a 68ª posição e em 2022 ficou na 9ª colocação.

Em relação ao setor de viagens e turismo, a falência da ITAPEMIRIM a deixou com a décima posição nesse ranking, com mais de 2 mil reclamações não atendidas. Por outro lado, com o início da retomada das atividades pós pandemia, a Decolar, que ocupou a segunda posição no ano anterior, agora ocupa a décima quarta posição. A CVC fez o mesmo movimento passando da décima primeira para a décima sexta posição.

Na educação superior privada, o grupo mais reclamado é o Grupo Anima (Universidade Anhembi Morumbi, Universidade São Judas Tadeu e outras), agora na décima sétima posição no ranking. Com índice de solução de apenas 15% das reclamações, o grupo deixou de resolver reclamações de quase 1500 alunos que recorreram ao Procon-SP. Na vigésima posição do ranking atual está a FMU, com índice de solução ainda bem baixo, na ordem de 23%.


+Notícias

Condição financeira é principal motivo de discriminação em relações de consumo

Não há um único caminho para uma IA ética e responsável

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]