Pesquisar
Close this search box.
/
/
O que a geração Z acha do BBB?

O que a geração Z acha do BBB?

Apesar de registrar quedas na audiência, o reality show se reinventou para cativar o público mais jovem.

Os jovens da geração Z não se importam pelo o que a TV aberta mostra? Programas de grande sucesso como o Big Brother Brasil impactam esse público? De acordo com o Pew Research Center, a geração Z abrange todas as pessoas nascidas entre 1996 e 2010. Nativos digitais, esse grupo sequer se lembra de como era a vida antes da internet e das redes sociais. Contudo, o meio digital não é exclusivo nesta geração: eles também veem TV e ouvem rádio – ainda que em menor frequência.

Um relatório divulgado em 2021 pela Kantar IBOPE Media aponta que 76% da geração Z consome internet e TV ao mesmo tempo. Essa característica de uma geração hiperconectada traz impactos diretos na forma como esse público se relaciona, consome e usa as mídias. Assim, programas de TV como o Big Brother Brasil estão mais sujeitos à superexposição online. Ou seja, mesmo com a baixa audiência na TV aberta, o BBB consegue chamar a atenção dos jovens e fazer sucesso nas mídias digitais.

Leia mais:
O efeito batom está vendendo máquinas de café?

Comportamento ativo é característico de quem acompanha o reality show

Luiz Menezes, especialista em creator economy e CEO da Trope, empresa de consultoria que cocria soluções de negócios com a Geração Z, comenta que existem diferentes comportamentos e percepções sobre Big Brother Brasil hoje em dia: “Há alguns anos, os participantes do programa iam para o confinamento como completos anônimos. Hoje, a partir do momento que o nome sai na mídia, todo mundo já sabe sobre a vida do participante. A casa de vidro, que aconteceu neste ano, é um exemplo disso. Os participantes foram muito elogiados ou muito criticados mesmo antes de entrarem na casa”.

Mas o comportamento da geração Z não é apenas o de espectador. Uma das características deste grupo é o desejo de fazer a diferença no mundo, e esse traço também pode ser observado no programa: “Grande parte da Geração Z começou a curtir conteúdos do passado desses participantes. Inclusive, encontraram publicações racistas e comentários duvidosos, fazendo com que os participantes fossem rejeitados instantaneamente”, pontua Luiz Menezes.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

Engajamento nas redes sociais é o ponto forte do BBB

Como forma de agradar ao novo público, o especialista em creator economy considera que o Big Brother Brasil adotou regras jurídicas mais brandas em relação ao copyright da Globo.

“Antes, os perfis online eram advertidos por utilizar conteúdos de direito autoral do Grupo Globo. Mas desde o ano passado, entendeu-se que existe um acordo mútuo de parceria estratégica entre os perfis de criadores de conteúdo do programa e o próprio BBB. Não é mais sobre consumo no ao vivo. A geração Z consome por outras maneiras, então existe essa parcimônia para que os criadores falem sobre o reality show de forma que traga benefícios para a Globo. É claro que existem regras e requisitos mínimos, porém, hoje já é algo menos problemático”.

Conheça o Mundo do CX

Se engana quem acredita que o programa é rejeitado pelo público mais jovem

Para o especialista, com os recursos e avanços das redes sociais, o Big Brother Brasil deixou de ser um entretenimento exclusivo da televisão, sendo consumido em variados formatos e difundido por diferentes meios e canais, principalmente pela internet: “O BBB é um dos assuntos mais comentados do Brasil no Twitter todos os dias desde a estreia. No primeiro mês, arrematou 20,9 milhões de tweets, se tornando o programa mais comentado do mundo. Aliado a isso, o Big Brother Brasil é o produto mais assistido do Globoplay, representando cerca de 75% do que é consumido dentro da plataforma, de acordo com dados do Google Analytics. Ou seja, a preferência pela plataforma também pode explicar a queda na audiência da televisão”.

Em relação às marcas patrocinadoras, hoje é possível ver uma grande quantidade de ações e campanhas transmídias do BBB em diversos lugares. “As lojas de patrocinadores recebem ações de marketing e as marcas, além do próprio programa, interagem mais com quem acompanha o BBB pelos meios digitais. Isso faz com que o público se torne uma peça ativa na tomada de decisão, porque a audiência do BBB passou a ser muito mais ouvida e possui uma proximidade muito maior com a direção do programa, o que permite que os consumidores fiquem mais cativados”, complementa Luiz Menezes.

Outro ponto de destaque são os criadores de conteúdo exclusivos do Big Brother Brasil. “Existem pessoas que passam a noite, seja sozinho ou em equipe, assistindo e registrando todas as movimentações do programa. No Twitter, o perfil Tracklist (muito conhecido entre a geração Z) cria diariamente threads dedicadas ao que aconteceu nas madrugadas do BBB. Com isso, o público em geral não precisa mais acompanhar o programa tão de perto.



+ NOTÍCIAS
Adeus metaverso: IA já é quase três vezes mais buscada
O impacto da inflação no consumo da América Latina em 2022

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]