Pesquisar
Close this search box.
/
/
65% dos brasileiros acreditam que a agenda ESG precisa focar no desemprego

65% dos brasileiros acreditam que a agenda ESG precisa focar no desemprego

Pesquisa da Walk The Talk elenca o que os consumidores destacam de importante para ação das empresas em sua agenda ESG

Ano após ano o debate sobre preservação do meio ambiente e manutenção dos recursos para uma sociedade mais justa fica cada vez mais latente. Com a pandemia então, essa realidade ficou ainda mais forte para o consumidor: antes de comprar, é necessário a eles checar se a empresa escolhida tem sua agenda ESG em dia e se de fato cumpre seu papel no planeta.

Com tanta exigência, as empresas foram pouco a pouco atualizando a forma de fazer negócios — e de comunicar suas ações para os consumidores. E para destacar quais corporações tem feito seu papel, a consultoria Walk The Talk, by La Maison criou a primeira edição do Índice GPS (Global Positiosing on Sustainability), para avaliar a percepção dos brasileiros sobre o que eles encaram como importante para ações sustentáveis por parte das empresas.

O estudo, que entrevistou 2.243 brasileiros de 16 a 64 anos nas classes A, B e C, mostra que as cinco empresas mais associadas ao ESG para os brasileiros são a Natura, Ypê, Nestlé, Ambev e Itaú. Já as com pior ranking na visão dos consumidores foram as Lojas Americanas, Doritos e XP.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Brasileiros esperam que as empresas combatam o desemprego

A pesquisa também avaliou que, dentre as três vertentes que o ESG abriga — meio ambiente, sociedade e governança —, os temas mais caros aos brasileiros são os sociais, como o desemprego (65%), falta de acesso à saúde (64%) e pobreza (60%). Das pautas relacionadas ao meio ambiente, o maior destaque vai para o desmatamento (58%).

Vale destacar que, em comparação com países desenvolvidos, as preocupações são invertidas, a parte social aparece em segundo plano e a ecológica em primeiro.

Outro dado forte que a pesquisa traz é que 94% das pessoas acreditam que as empresas precisam fazer algo em prol do planeta e dos seres humanos e 47% delas também pensam que as marcas podem contribuir de forma positiva com seus recursos contra os problemas enfrentados. No entanto, em contraposição a essa percepção, 31% dos brasileiros também acreditam que não existem corporações ativistas no País — e, portanto, essa contribuição tão necessária acaba sendo deixada de lado.

O estudo ressalta também que 19% dos brasileiros creem que as corporações têm o poder de influenciar outras pessoas a agirem em prol do planeta e 14% destacaram que as empresas contribuem para movimentar a economia — o que reduz parte dos problemas globais, como o desemprego, pobreza, entre outros.

Somente 4% dos entrevistados destacou que as empresas têm poder limitado para ações sustentáveis devido às leis locais e apenas 2% afirmam que não cabe às empresas agir contra problemas globais, ou seja, uma minoria.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Ativismo é mesmo uma preocupação só da Geração Z?

Já se sabe que, quando o assunto é ativismo ecológico e sustentável, o perfil do consumidor é mais jovem: uma série de pesquisas informam como as gerações novas são engajadas com o meio ambiente e têm exigência na hora de consumir de empresas que não são engajadas com a sustentabilidade.

Entretanto, embora todos os atributos da agenda ESG sejam constantemente cobrados pela Geração Z, a pesquisa traz um dado interessantíssimo: o grupo de pessoas entre 55 e 64 anos, ou seja, os Baby Boomers, é o mais preocupado com os problemas da agenda ESG, além de ser também o que mais age em prol do meio ambiente. Essas ações vêm tanto para poupar os recursos — e portanto gastar menos com eles, como contas de luz, água e gás — como também para servir de exemplo e incentivo para os netos.

Diferente do que se pensa, eles têm se adaptado rápido às ações sustentáveis e buscam economizar recursos da maneira que podem, tanto por uma questão moralista quanto econômica, sendo essa segunda mais importante para esse grupo.

Mas é fato que todas as gerações seguem muito preocupadas com a forma que as empresas agem para inserir seus produtos e serviços à venda. Entre as 10 práticas mais valorizadas pelos brasileiros, mostra o estudo, estão não fazer teste em animais, devolver os recursos naturais utilizados, mudança para produtos e hábitos mais sustentáveis, promoção da diversidade, valorização da mão de obra nacional e local, uso de embalagens ecológicas, promoção de conscientização para o meio ambiente e ações em prol da fauna e flora do País, investimento em tecnologia para diminuir o impacto ambiental, menos uso de recursos naturais e promoção da saúde e bem-estar para colaboradores.


+ Notícias

A importância das práticas ESG para o consumidor do futuro
O mercado dos longevos: como incluir a geração +50 nos negócios

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]