Pesquisar
Close this search box.
/
/
Por que uma empresa de e-mail criptografado poderá ser a antítese do Google?

Por que uma empresa de e-mail criptografado poderá ser a antítese do Google?

A Proton, uma empresa suíça, anunciou serviços que combatem algumas práticas comerciais usadas pelas big techs. Até o propósito da companhia é contra o Google

Até a semana passada, Protonmail era o nome de uma empresa que tinha como principal serviço a oferta de um e-mail criptografado usado por aproximadamente 70 milhões de usuários. O serviço virou um sucesso, principalmente após o avanço do debate mundial sobre a segurança cibernética e a proteção de dados e que normalmente tem como vilões as big techs.

Nesta quarta-feira, muita coisa mudou na empresa, inclusive o nome. Agora, a companhia atende pelo nome de Proton. Além disso, ela anunciou que o seu propósito é tornar a internet um lugar menos vigiado e, para isso, topa combater as práticas comerciais utilizadas por empresas como o Google.

A construção de uma nova superfície

Embora a empresa não diga oficialmente, o fato é que a Proton já é apontada como uma espécie de antítese do Google em quase tudo. E nada disso é um chute da imprensa americana ou algo acidental. Há realmente um plano de negócios orientado a oferecer serviços digitais criptografados, o que realmente evitaria uma vigilância das big techs.

Na prática, a ideia seria construir uma nova superfície da internet com camadas de privacidade, algo que, em tese, contraria a rede mundial acessada e organizada no Ocidente pelo Google.

Para isso, além do nome, a empresa também anunciou novidades no portfólio da companhia. Um deles é um serviço por assinatura que inclui e-mail, calendário, banco de dados e serviço de mensagem mensagens. Tudo, claro, criptografado. Há, inclusive, uma rede VPN.

Crédito: Pexels

Discurso forte

Com exceção da VPN, esses são serviços justamente oferecidos gratuitamente (ou nem tanto assim) pelo Google. Se até aqui o antagonismo ainda parece turvo para muita gente, as diferenças ficam ainda maiores no discurso da Proton em seu site.

Nele, o discurso é feroz e claramente direcionado para as big techs, embora nenhuma delas seja efetivamente citada. Fica claro que se existe empresa orientadas ao propósito ambiental, a motivação da Proton é combater o mau uso corporativo dos dados pessoais.

“Desde que foi criada no CERN, em 1991, a World Wide Web revolucionou nossas vidas. No entanto, para muitos de nós, a única maneira de se beneficiar da internet hoje é entregar grandes quantidades de dados pessoais a empresas que priorizam os lucros em detrimento da privacidade. Em muitas partes do mundo, os governos abusam desses dados para limitar a liberdade de seus cidadãos.”, afirma a Proton em seu site.

O discurso da companha fica ainda mais eloquente quando a própria história da companhia é contada.

A Proton foi fundada por pesquisadores do CERN, o gigantesco acelerador de partículas subatômicas localizado nas fronteiras entre a Suíça e a França que, como bem lembrou a empresa, foi o local do surgimento da internet como a conhecemos. No fundo, quem viu o surgimento e o desenvolvimento da internet de perto, saberia bem os efeitos colaterais que viriam em um segundo momento.

CEO cita big techs

Mas se toda essa rivalidade ainda deu a impressão de ser circunstancial, existe o discurso do próprio fundador e CEO da companhia, Andy Yen, sobre o tema. E as recentes entrevistas delas são bem mais diretas.

Em uma delas, concedidas nesta semana a Wired, ele acusou a Apple de tentar “monopolizar a privacidade” ao redor dos seus produtos. “O que a Apple está basicamente alegando é que você precisa nos deixar continuar usando as práticas da loja de aplicativos porque somos a única empresa no mundo que pode obter a privacidade correta. É uma tentativa de monopolizar a privacidade, o que não acho que faça sentido.”

Já contra o Facebook, a acusação é um pouco mais trivial: a tal proteção de dados. “Se você olhar para o processo da FTC contra o Facebook, a teoria é que privacidade e competição são dois lados da mesma moeda. Se você não está satisfeito com as práticas de privacidade do Facebook, qual é a mídia social alternativa que você pode acessar além do Facebook e Instagram? Você realmente não tem muitas opções. Precisamos de mais jogadores por aí. Se eles tivessem que competir, então a competição forçaria a privacidade a ser um ponto de venda.

E, como não poderia ser diferente, sobrou até para o Google. “Hoje, o Google controla o sistema operacional Android, que é usado pela maioria das pessoas, e eles podem pré-carregar todos os seus aplicativos como padrão em seus dispositivos de usuário. Portanto, eles já têm uma enorme vantagem porque os usuários não alteram os padrões”, afirma.

Pelo jeito, a ideia de serviços voltados para a construção de uma internet sem vigilância deve ser o negócio do futuro. E a Proton parece ser uma forte candidata a liderar esse movimento.


+ Notícias

Aplicativo de saúde conecta consumidor com o SUS

As lições de 5 empresas de como resolver conflitos com os consumidores  

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]