Pesquisar
Close this search box.
/
/
Elon Musk vai ao SXSW e alerta: “Marte, aí vamos nós!”

Elon Musk vai ao SXSW e alerta: “Marte, aí vamos nós!”

Durante sua passagem surpresa, o fundador da Tesla e da Space X falou sobre Marte, Inovação e os riscos da IA. Impaciente, cheio de surpresas e ideias. Veja

De repente, ao longo do sábado, 10 de março, uma energia começou a tomar conta dos corredores do Austin Convention Center, hub principal do SXSW. Elon Musk confirmou sua presença para palestras no domingo, 11/03. Um “zum zum zum” percorria a downtown Austin e a ansiedade tomou conta de milhares de congressistas.

Elon Musk não desapontou. Conversando com Jonathan Nolan, roteirista de Interestelar, o empreendedor e CEO da Tesla falou primeiramente sobre Marte. “Estamos fazendo grandes progressos para criar espaçonaves que possam voar tão longe”. Ele acredita que a exploração interplanetária permitirá a perpetuação da civilização humana, na medida que poderemos obter recursos de que necessitamos. Haverá, sem dúvida, pessoas que queiram ser colonizadores do planeta Marte e da Lua. “Pessoas que viverão novas aventuras, que morrerão, mas que deixarão sua marca na história humana”, arrisca Musk.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

O empreendedor fala de maneira um tanto insegura, comedida, medindo as palavras. Parece saber que trata de assuntos espinhosos e delicados. A Space X está pesquisando intensamente formas de desenvolver materiais que possam reduzir dramaticamente os custos das viagens. É necessária uma nave enorme capaz de transportar pessoas, equipamentos e suprimentos em uma quantidade que a permita navegar por meses ou anos a fio. Ainda não há fontes de energia que durem tanto para sustentar uma nave como essa.

Ver o mundo de longe

Carl Sagan disse, há décadas, como é sábio poder enxergar a Terra de longe é isso faz parte da inspiração de Elon Musk em sua aventura espacial. Ele é um líder que procura trabalhar junto com a sua equipe, particularmente com os times de design. Vejam a beleza dos carros da Tesla, por exemplo. Ele valoriza a qualidade de sua equipe que “trabalha como louca para nos levar adiante e é satisfatório ter um time como esse”.

Investir contra o convencional

O que levou Elon Musk a investir em disrupção contra indústrias tradicionais como a de automóveis e de combustível fóssil? A Tesla tem um modelo de negócio distinto, carros elétricos e tecnologias digitais que levaram o conceito de montadora a outro patamar. “Acredito que precisamos mudar a forma de pensar nos automóveis, em torná-los parte de uma forma de fazer o mundo melhor, de pensar além do carro como um veículo que nos conduza de um ponto a outro”, afirmou o empreendedor. No caso da Space X, Musk olhou para o site da NASA e perguntou: “onde está Marte?” e aí resolveu criar a empresa para colonizar o planeta vermelho.

Quanto custa um foguete?

O que fascina na visão de Musk é a abordagem singela do problema: qual é o custo de um foguete que consiga ir para Marte e voltar? Por que nunca pensamos em reduzir esse custo? Tem que haver uma forma de tornar viável o custo de produção de um foguete (ou uma frota deles). É muito difícil colocar um foguete para funcionar? Por quê?

Para Musk, ir à Marte é um problema técnico e não um desafio desproporcional ou uma ideia visionária. Em sua mente faz sentido e por isso sua abordagem dimensiona e enquadra o problema na amplitude que permite encontrar soluções melhores. Ir à Marte é um problema técnico e, como tal, há soluções. O fato de apenas uma pequena parte do foguete retornar ao planeta e todo o restante ser descartado é um problema e é aí que reside um universo aberto para inovar: o foguete precisa ir e voltar inteiro.

O executivo falou das dificuldades de levantar financiamento, tocando o sonho da Space X e tentando viabilizar e tornar a Tesla saudável financeiramente. Em 2008, com a crise financeira, a empresa quase quebrou, mas conseguiu seguir em frente.

Carbono alterado

Jonathan e Musk abordaram então a questão do desenvolvimento das Inteligências Artificiais. Para Musk, o investimento nessa área é correto, mas precisa ser feito com muito cuidado. Energia sustentável para ele é uma questão mais crucial. “Há uma distorção nesse mercado, na medida em que os preços existentes não são corretos. Essencialmente, pessoas e governos precisam efetivamente reduzir a emissão de carbono na atmosfera e essa emissão precisa ser taxada. O motivo é simples: a emissão tem baixo custo”.

Musk também falou sobre a diferença entre Inteligência Digital e Inteligência Artificial e a interação entre computação e cérebro humano, para podermos ser ciborgues ou organismos cibernéticos. Novamente, Musk encara a questão como um problema técnico, no qual a transferência de nossa mente para um corpo ou cérebro cibernético seria uma extensão digital de nós mesmos, o sistema límbico, o córtex cerebral, tudo seria então uma extensão digital.

Outro campo de estudo é levar a internet para o espaço, algo que lembre o princípio da Skynet, do filme “Exterminador do Futuro”, mas voltada para oferecer superconectividade para todos.

Finalmente, Musk foi questionado sobre que tipo de governo uma Marte colonizada teria. Jonathan perguntou se teríamos um Musk I. Para o empreendedor, contudo, a melhor resposta seria a democracia baseada em princípios simples, com um sistema legal compreensível e justo.

Da Vinci moderno

Em resumo, Elon Musk apresentou ideias, visões e inquietações que espelham e explicitam um homem consciente de sua posição e que está à procura de soluções para os problemas humanos. Guardadas as devidas proporções, Musk é um Leonardo da Vinci dos tempos modernos, com mais dinheiro e a mesma ambição. Contraditório ou polêmico, é gente como Musk que faz a humanidade avançar.

Quantos de nós poderiam fazer o mesmo? Mais do que ter oportunidade de ser um visionário que se propõe a deixar um legado, Musk é um homem que se propõe a ser o melhor que pode ser e a fazer o melhor que pode com os recursos que tem em mãos.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]