Pesquisar
Close this search box.
/
/
Crescer e ser sustentável é impossível ou isso é desculpa?

Crescer e ser sustentável é impossível ou isso é desculpa?

Sustentabilidade que levou ? e tende a levar ? ao crescimento. Essa é a base do evento realizado pela Unilever Brasil, justificada em números positivos

Conquistados em quatro anos da criação do Plano de Sustentabilidade, os dados foram mensurados entre 2008 e 2014. Confira abaixo.

*Redução de 36% no consumo de água;

*Diminuição de 35% na emissão de gases de efeito estufa;

*Aterro zero nas 15 fábricas e nos centros de distribuição do país;

*Redução de 28,4% do nível de sal presente nos alimentos;

*Aproximadamente 40% da energia que as fábricas consomem são provenientes de fontes renováveis;

*55% das matérias-primas agrícolas são de fontes sustentáveis, certificadas;

*Crescimento de 60% – da empresa.

Presente no país desde 1929, a Unilever Brasil possui 13.700 funcionários, 4.500 fornecedores, 15 fábricas e faturamento de R$17 bilhões no ano de 2014. Não à toa, é a segunda maior filial do mundo, segundo Antonio Calcagnotto, vice-presidente de assuntos corporativos da companhia.

 
Algumas dessas reduções têm braços ?dentro? delas, como as matérias-primas agrícolas. A Unilever consome 3% do óleo de palma do mundo e 100% dele é certificado, assim como 100% dos fornecedores de soja, 93% do açúcar, 73% das frutas, 70% dos vegetais e 99% do papel e papelão utilizados.

Fernando Fernandez, presidente da Unilever Brasil, exemplifica ainda melhor quando utiliza um produto da empresa. ?O Ketchup Hellmann?s possui 100% de seus tomates certificados e a campanha ?Vamos Plantar? possibilitou o canto direto entre consumidor e produtor?.

Já a redução do consumo de água não apenas foi conquistado como é motivo de uma causa maior: o marco regulatório sobre produtos que são sustentáveis. Isso porque a diminuição no uso do recurso aconteceu com o OMO Super Concentrado. ?A escassez de água atinge 50 milhões de pessoas no país, principalmente na região sudeste e 50% da nossa produção depende de água. Por isso precisamos fazer a nossa parte?, enfatizou Fernandez.

A diminuição do consumo de água na Unilever Brasil (36%) é maior do que a média mundial ? 26%.

Plano de Sustentabilidade Unilever
Ele divide-se em três parte subdivididas em outras nove.
*Melhorar a saúde e o bem-estar de mais de um bilhão de pessoas:
-saúde e higiene;
-Melhorar a nutrição;
*Reduzir o impacto ambiental à metade:
-Gases de efeito estufa;
-Água;
-Resíduos;
-Fornecimento sustentável;
*Melhorar as condições de vida de milhões:
-Fornecimento sustentável;
-Melhorar as condições de vida;
-Igualdade no local de trabalho;
-Negócios inclusivos.
?Não é filantropia, é necessidade. Não podemos diminuir o desmatamento, temos que acabar com ele?, comenta Fernandez.

Os convidados e os principais pontos
Durante o evento de apresentação do relatório de sustentabilidade da Unilever, representantes de organizações pró-sustentabilidade estiveram presentes para uma discussão sobre o assunto. Helio Mattar, presidente do Instituto Akatu, Samuel Barreto, gerente Nacional de Água da The Nature Conservancy (TNC), e Édison Carlos, presidente executivo do Trata Brasil.

Samuel cita os riscos relacionados a água: físico, regulatório e de reputação, e comenta que a sociedade é plural. ?Nunca tivemos um momento tão oportuno quanto este para que muitos atores possam dialogar sobre como melhorar. Os recursos naturais não são obstáculo, na verdade o desafio é ficar sem eles. O Excesso de água gera solidariedade a falta gera disputa, conflito?.

Segundo Édison, seis milhões de brasileiros não têm banheiro; 51% da população não tem coleta de esgoto; apenas 39% do esgoto é tratado e 35 milhões de pessoas não têm acesso a água no país. ?Em 2011, 400 mil pessoas foram internada por causa de diarreia. Dessas, 53% eram crianças entre zero e cinco anos?.

De acordo com Hélio, em 1960existiam três bilhões de pessoas no mundo e elas consumiam cinco trilhões de dólares. Em 2010 o número de habitantes do planeta foi a sete bilhões e o consumo aumento para 32 trilhões de dólares. ?A produção de água cresceu 8,3%, mas o consumo aumento em 20%. Precisamos de uma publicidade sustentável e utilizar produtos concentrados?.

Marco regulatório
Governo, indústria, varejo e consumidor unidos para buscar regulações. ?Governo precisa apontar caminhos. O governador precisa articular com prefeitos em foco único, cooperação. O contrário do que aconteceu aqui em São Paulo, que o governador tomou o problema para si em ano de eleição?, comentou Édison.

Fernandez afirma que a marca Brasil é muito forte quando se fala em inclusão social, em outros países. Mas, nos próximos 15 anos precisamos estar associados a sustentabilidade, temos muito para isso acontecer?. Ele diz ainda que é importante uma regularização para que as pessoas tenham informação sobre o que é melhor para seu consumo e para o planeta, para que entendam. E que boas ideias da Unilever ou de outras empresas precisam ser compartilhadas ? como o caso do OMO Super Concentrado ? para que elas tenham o mesmo propósito quanto a mundo: um futuro melhor e possível.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]