Pesquisar
Close this search box.
/
/
“Eu mereço”: mercado de autoindulgência cresce no Brasil

“Eu mereço”: mercado de autoindulgência cresce no Brasil

Apesar da tendência de migração para marcas e produtos mais baratos, o trade down, continuar forte, a restrição de gastos não impede busca por itens do mercado de indulgências

A pandemia global causou um aumento nos níveis de estresse e ansiedade em todo o mundo, e o Brasil não é exceção. Para lidar com isso, os brasileiros estão buscando maneiras de se recompensar com mimos e curtir os momentos da melhor maneira possível.

Segundo uma pesquisa realizada pela McKinsey & Company, mais da metade (55%) dos consumidores brasileiros pretendem se dar uma folga e se presentear com mimos nos próximos meses. Roupas, beleza, higiene pessoal e calçados lideram esse mercado de indulgências.

Por que “eu mereço”?

As compras de indulgências são importantes para manter a qualidade de vida e dar incentivo aos consumidores. Esse tipo de compra pode até ser vista como uma forma de autocuidado, e libera uma dose de ocitocina (hormônio que promove sentimentos de bem-estar). Desde que a decisão de compra seja feita com alguma responsabilidade financeira, as indulgências funcionam como um benefício para o consumidor.

Leia mais: Como a pandemia influenciou as prioridades de vida da Geração Y

Como esse cenário é possível?

Isso levanta a questão: como o consumidor brasileiro está lidando com o aperto na economia e ainda tentando colocar em prática esses planos de indulgências? A resposta está na redução de gastos.

De acordo com a pesquisa da McKinsey, 82% dos consumidores brasileiros pesquisados reduziram seus gastos em compras e isso permite que eles mantenham alguns mimos. Para isso, um terço dos brasileiros (33%) optaram por comprar itens menores ou quantidades menores para economizar dinheiro em itens básicos essenciais (os que compõem a cesta básica). Outros 18% economizaram em itens essenciais não-básicos como produtos de limpeza.

Conter gastos é tendência, mas não impede autoindulgência

A redução de gastos durante a pandemia não impediu os consumidores brasileiros de mostrar para si mesmos que “merecem” o melhor.  Para reduzir os gastos, 25% dos consumidores optaram por marcas mais baratas (“trade down”) ao comprar itens da cesta básica.  O trade down diminuiu em relação à média de 2022 para 2021 (foi de 40% para 39%), mas ainda é bastante significativo.

Essa redução de gastos não significa, no entanto, que os planos de indulgência estejam fora de questão. Pelo menos 55% dos consumidores brasileiros pretendem se dar uma folga e comprar roupas, produtos de beleza, higiene pessoal, e calçados.

Esta foi uma tendência também observada em alguns dos países mais atingidos pela pandemia, como Estados Unidos, Reino Unido e China. Cabe às empresas se prepararem para manter o consumidor próximo, e aproveitar durante a recuperação econômica.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

8 em cada 10 consumidores compram menos

Conforme a pesquisa da McKinsey, 8 em cada 10 brasileiros (82%) dos consumidores brasileiros reduziram suas compras este ano. Essa redução de gastos foi maior entre os consumidores brasileiros mais jovens, entre 18 e 24 anos. Em seguida, a faixa etária que mais apertou o cinto n a tendência de redução de gastos foi a de 45 a 54 anos. Além disso, como parte dos esforços para economizar, os consumidores brasileiros começaram a usar cupons de desconto e a buscar novas formas de economizar.

Isso incluiu a busca por ofertas em marketplaces, a escolha de cupons de desconto, a compra de itens em segunda mão e a negociação de preços. Uma das principais estratégias de economia adotadas pelos consumidores brasileiros foi a de usar e reutilizar itens, como roupas, eletrônicos e móveis. A reutilização de itens foi particularmente importante para os consumidores de baixa renda.

Conheça o Mundo do CX

Indulgências não são consideradas luxo

A pesquisa da McKinsey  sugere que o “eu mereço” é uma tendência e que apesar das restrições orçamentárias, as indulgências são consideradas importantes pelos consumidores para manter a sua qualidade de vida. Itens como livros, roupas, alimentos gourmet e presentes ajudam a aumentar a ligação com o que é importante para si mesmo e causam sensação de conforto e a tranquilidade.

Para manter essas indulgências um dos caminhos escolhidos foi o “trade down”, e trocar as marcas mais caras por marcas mais baratas. As pessoas encontram caminhos para economizar e continuar custeando a própria autoindulgência. Isso sugere que os consumidores não enxergam estes “mimos” como um luxo ou algo desnecessário.

Caminhos para as empresas

Considerando os dados levantados pela consultoria, fornecedores e marcas precisam estar atentos ao movimento do consumidor brasileiro de corte de custos e buscar alternativas. Apesar do interesse pelas indulgências, o consumidor não está disposto a gastar mais para manter seus custos.

Uma saída para quem trabalha com produtos pode ser oferecer embalagens menores, criar produtos mais acessíveis no portfólio ou oferecer descontos e cupons. O consumidor está pesquisando antes de comprar e apenas contar com as compras de indulgências não será suficiente.



+ NOTÍCIAS
Conexão emocional com clientes traz resultados efetivos e mensuráveis
Bioeconomia é realidade e pode ser rentável, dizem bancos

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]