Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como conquistar o consumidor digital (e ganhar dinheiro com isso)?

Como conquistar o consumidor digital (e ganhar dinheiro com isso)?

Acredite: existem formas de ganhar dinheiro usando canais digitais para venda. Mas tudo começa assumindo que o negócio inteiro precisa ser digital. Confira

O Fórum McKinsey trouxe um debate necessário e também inadiável: como vender usando o digital? O painel contou com a participação de Daniel Aguiar, Gerente Sênior de Marketing e Comunicação do Mercado Livre, Fernando Moulin, Diretor de Experiência Digital da Telefônica, Flávio Dias, Membro da Diretoria Executiva da Via Varejo, Rubens Fogli, diretor de Negócios Digitais do Itaú-Unibanco e Marcelo Tripoli, VP da McKinsey Digital Labs.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

O painel em si procurou mostrar a força e a relevância da ativação de dados, de como se otimiza a relevância da mensagem destinada aos clientes e também o conceito de testar e aprender, com dinamismo e amplitude, com implementações até mesmo diárias. Uma nova forma de se fazer comunicação. O ritmo e a dinâmica é que prevalecem para gerar resultados digitais efetivos.

Jornada de mudança

Rubens Fogli, do Itaú, disse que a adoção do método agile na organização foi a abolição dos comitês. O modelo do Itaú acontece hoje com equipes multidisciplinares e autonomia para que mudanças possam acontecer velozmente. Essa jornada de mudança trouxe resultados impressionantes. A venda de cartão de crédito online teve aumento exponencial em relação à venda por telefone, ativação maior e redução de 50% no custo de aquisição.

Fernando Moulin também destacou o processo de transformação digital acelerado da Telefônica Vivo. Ele comentou sobre a tentativa de se criar uma empresa digital apartada da organização ocorrida há alguns anos: “A experiência nos ensinou que toda a empresa precisa ser digitalizada e não se dividir em organizações distintas”. O executivo diz que seu principal indicador é a redução brutal do time to market. Hoje, conseguem entregas relevantes em três semanas, contra os seis meses despendidos anteriormente.

Múltiplos vetores

Flávio Dias comentou que a Via Varejo também está em processo de transformação. O marketing é parte fundamental desse cenário de mudanças. “A maneira pela qual os consumidores tomam suas decisões vem mudando de modo acelerado. A questão da agilidade e valorizar a informação do cliente tem mais poder do que o impacto da compra pesada de mídia. Ela continua necessária, mas não como era até há poucos anos”. A dinâmica de tomada de decisão modificou-se completamente. A agência de comunicação instalou-se no próprio prédio da diretoria executiva da companhia, para que as decisões sejam tomadas tendo em vista a multicanalidade. Dessa forma é possível atender e compreender clientes que têm muitos vetores de decisão.

Performance e gestão de marcas

É possível então adotar estratégias de performance, de ativação construindo marcas também? Como se calcula o valor das mensagens em si, não necessariamente geradora de cliques, para aumentar o valor da marca? O mercado online foi criado baseado em ROI. O percentual de conversão é decisivo. Para Daniel Aguiar, do Mercado Livre, a pergunta é como atribuir ROI a cada etapa da jornada, em um modelo de atribuição – cada interação tem um percentual na venda efetiva. “Mas ainda não existe um modelo ideal, sabemos que cada interação contribuiu para o resultado final, mesmo aquelas feitas com o objetivo essencial de branding”.

Toda a indústria digital está baseada no “cookie”. Mas Fernando Moulin aponta que o “cookie” não é um indivíduo. E qual é o investimento ideal para obter cada conversão? “Somos de fato organizações multichannel? Como definimos a comissão de venda? As ferramentas de identificação do cliente ainda dependem de evolução. Tudo fica obsoleto muito rapidamente”. Rubens, do Itaú, afirma que o modelo de atribuição não é exclusivo do digital, mas da conversão em si. “A forma como se reconhece o mérito, como se remunera uma estrutura de time baseado em agile, por exemplo?”.

E a retenção do clientes?

“É preciso começar a pensar mais na forma pela qual é possível reter o cliente para até mesmo aumentar o lifetime value. Esses serão os indicadores futuros”, diz Flávio Dias. A dificuldade das organizações é compreender que a competição estimula tantas motivações para os clientes que a fidelidade deu lugar à busca pela preferência e pela recorrência.

Marcelo Tripoli questiona sobre o processo de contratação. Ajustes de culturas, promover ambientes mais informais e colaborativos são passos necessários para atrair talentos. Mas é fato que as novas gerações sentem-se desmotivadas rapidamente. E como gerenciar pessoas aptas a trabalharem de forma colaborativa, combinando competências e dando autonomia?

Construindo o time

“Empreender assumindo riscos e estar em beta constante”. Esses princípios do Mercado Livre são, para Daniel Aguiar, o motor da motivação da equipe. Como as pessoas se vestem, como exercem sua autonomia, como falam, como se comunicam, são sinais que mostram como a empresa pode ser vista de forma aberta e atrativa pelos colaboradores.

A mistura de times parece ser o novo normal na visão de empresas já digitais e em processo acelerado de transformação. Símbolos e pequenas conquistas como trabalho remoto e disseminar ideias e práticas constituem elementos que revitalizam a cultura. “É muito difícil convencer as pessoas a embarcar em projetos. O que as pessoas buscam é justamente superar desafios grandes. E essas pessoas chegam com a responsabilidade de fazer empresas tradicionais mudarem sua cultura”.

Em resumo: a venda é o coração da cultura digital. E a cultura digital promove uma onda irrefreável de mudança e inovação dentro das organizações. Na verdade, a venda digital significa e-commercizar negócios por completo, remodelando cultura, processos, iniciativas e formas de atuação, metodologias e o que mais for possível. Nada mais natural. Ainda que nada seja mais contraintuitivo.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]