Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como fazer boas contratações em tempos de pandemia?

Como fazer boas contratações em tempos de pandemia?

O que levar em conta na hora de integrar alguém a seu time? Especialista dá dicas de como agir com eficiência nesse cenário se você está pensando em contratar agora

Contratar ou não contratar? Se essa questão costuma ser alvo de muito debate dentro das empresas em tempos “normais”, espera-se que em condições econômicas mais voláteis, como as do momento atual por causa da pandemia de Covid-19, essa pergunta seja ainda mais complexa de ser respondida. No Brasil, algumas empresas já trabalham por uma retomada mais forte no fluxo de trabalho, ainda que áreas como as do turismo, o setor de bares e restaurantes, e os espaços culturais estejam entre os mais prejudicados no retorno das atividades. Esse retorno irregular das atividades faz com que certas empresas já estejam prontas para aumentar novamente seus quadros de funcionários, já que atendem a uma demanda que estava reprimida por causa da pandemia.

Para saber como avaliar o melhor momento de dar esse passo e realmente fazer boas contratações, conversamos com uma especialista no assunto. Thaisa Batista é COO e co-founder na Abler, uma startup dedicada a fazer recrutamento e potencializar o RH das empresas, tudo de maneira digital. Acompanhe o top 5 de tira-dúvidas.

Estou preparado para contratar?

“Se você começar a pensar em ‘quando contratar?’, recomento ter em mente que essa ação deve estar totalmente ligada a algo maior, a uma estratégia maior da empresa. É preciso observar a constância do negócio (se está em curva ascendente acelerada, por exemplo, ou em crescimento lento). Fique de olho no que está sendo previsto para os próximos meses ou na estratégia que já havia sido traçada para cada time”, explica Thaisa. Já para entender o “como” contratar uma nova pessoa, em tempos de pandemia, a especialista recomenda: “A gente tem que olhar a formatação do processo de integração desse novo funcionário e acompanhá-lo”. No cenário de agora, a expert aconselha rever parâmetros antes de contratar: “O contatante precisa saber se vai conseguir prestar suporte ao novo funcionário agora. Precisa saber quais serão os canais de ação – hoje praticamente 100% digitais tanto para a divulgação das vagas quanto para a contratação. A sua empresa está preparada para isso?”

O que mudou pós-pandemia?

A realidade com a Covid-19 pede mais atenção na hora de contratar: “O primeiro ponto é considerar a real disponibilidade para o trabalho remoto, que ajuda a compreender se o profissional que se quer contratar também tem condições de trabalhar da casa dele. A gente sabe que essa realidade foi imposta para muitas pessoas”, ressalta ela. O fator humano é muito importante, claro, quando falamos de contratações e não pode ser perdido de vista: “Mães e pais de família, em casa, com todos que vivem por lá, foram pegos de surpresa. Então, se for a estratégia da sua empresa permanecer em home office, é importante entender se essa pessoa tem condição de trabalho nesse modelo”. Outro elemento que Thaisa Batista ressalta é avaliar também a capacidade de autogestão e proatividade dessas pessoas: “Com o home office se tornou essencial ter pessoas no time que a gente não precise gerenciar, ficar vigiando, saber se está cumprindo horário sim ou não. Isso tudo sem esquecer das ferramentas de comunicação: é sempre importante a empresa pensar, do seu lado, se ela está pronta para contratar alguém que fique totalmente remoto, se há canais de comunicação e escopo de trabalho bem definidos”, reforça ela.

 Existe uma “dica de ouro” na hora de contratar?

“Existe uma dica para os gestores, que é muito conhecida, mas as pessoas ainda não praticam como deveriam”, conta a especialista. “Ela é contratar atitudes e comportamentos e treinar habilidades técnicas. A gente sabe hoje que, pela urgência da contratação, às vezes pela necessidade, é olhado muito a questão da capacidade técnica do profissional, e se deixa de conferir, de investigar mais profundamente a capacidade de aprendizado, de boa comunicação, engajamento, bom relacionamento com a equipe… Na medida do possível, vale tentar conciliar esses dois requisitos para o sucesso na contratação”, completa Thaisa Batista.

 Salário alto X salário baixo

E vale fazer o raciocínio de não contratar pessoas com salário tão alto nesse momento de cenário de incertezas? Thaisa responde: “Acredito que não exista uma relação direta entre essas duas coisas”, diz ela. “Toda contratação é um investimento, então existe ali uma expectativa de retorno a curto, médio e longo prazo. E cabe sempre uma análise do que a empresa está precisando no momento – se é alguém com mais experiência, se são duas pessoas com menos conhecimento e talvez um salário um pouco menor, sabe? Acho que cabe um pouco pensar sobre esse alinhamento, porque muitas empresas querem, para dar um exemplo, contratar um analista, mas com salário de assistente. Se você quer um profissional mais experiente, com networking formatado, independentemente do quão estratégica é essa contratação, precisa haver um investimento para isso”, reforça a expert.

Evite o principal erro

Para Thaisa, existe um equívoco que diversas empresas cometem na hora de recrutar novos profissionais que é, muitas vezes, valorizar pouco a experiência acumulada dessas pessoas: “Infelizmente, ainda existem muitas empresas, principalmente aquelas com planos de cargos bem definidos, que se atêm apenas à área de formação do profissional, deixando de prestigiar, muitas vezes, a habilidade que ele teve de aprender algo sozinho ou de ter uma experiência de anos. Isso ainda se observa bastante, principalmente na parte inicial do recrutamento de pessoas que é a triagem. Você acaba desclassificando um profissional tão competente quanto aquele que tem uma profissão exata sem dar a chance de conhecer, avaliar e buscar mais a fundo a experiência dele.


+ Notícias 

Setembro Amarelo: como as empresas podem contribuir com a saúde mental do colaborador

Você sabe eleger o que é prioridade no trabalho?


 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]