Pesquisar
Close this search box.
/
/
Dos 10 e-commerces mais acessados do país, um quarto é asiático

Dos 10 e-commerces mais acessados do país, um quarto é asiático

Mesmo com o endurecimento sobre a taxação de e-commerces asiáticos no Brasil, Shopee e AliExpress avançam entre os mais acessados do país

Em meio à discussão sobre a taxação dos e-commerces asiáticos no mercado brasileiro, plataformas como a singapurense Shoppe e as chinesas AliExpress e Shein continuam entre as mais acessadas pelos brasileiros.

Os dados são da edição de março do Relatório dos Setores do E-commerce, divulgado pela Conversion. O levantamento aponta que a Shoppe está na terceira posição entre os 10 maiores e-commerces do Brasil, enquanto a AliExpress e a Shein ocupam a quinta e sexta posição, respectivamente.

Ranking dos maiores aplicativos de e-commerces

Já em relação ao ranking dos maiores aplicativos de e-commerces, a singapurense Shopee sobe para a segunda posição, ocupando a vice-liderança entre os apps mais acessados do país. Shein e AliExpress ocupam a terceira e quinta posição, respectivamente.

Conheça o Mundo do CX

As estratégias agressivas dos e-commerces asiáticos

Vale lembrar que o boom das plataformas asiáticas se deu na pandemia, principalmente entre 2020 e 2022, período que acelerou a migração dos consumidores para o mercado online.

Na ocasião, estratégias agressivas de vendas foram adotadas por tais players. Para Diego Ivo, CEO da Conversion, o crescimento meteórico dos e-commerces asiáticos está, em grande parte, relacionado a uma grande lacuna que este mercado conseguiu identificar: o ticket baixo.

“As plataformas asiáticas perceberam uma grande brecha no e-commerce global, que é o ticket baixo. Nesse contexto, criaram grande senso de urgência por meio de suas promoções, oferecendo uma verdadeira experiência de busca de achados, o que acabou estimulando as pessoas a passarem cada vez mais tempo dentro do site e do app”, avalia.

Consumo brasileiro e os ‘jogos casuais’

Entre outras estratégias adotadas para estimular o consumo, aqui no Brasil os ‘jogos casuais’ foram uma das apostas certeiras dos e-commerces asiáticos.

Por meio dessa funcionalidade, os consumidores brasileiros interagem com minigames dentro dos apps das marcas, que oferecem prêmios, recompensas e cupons de desconto para atrair os usuários às compras.

Quem atacou essa oportunidade em cheio foi a Shopee, que, por meio de uma parceria com a gigante dos games, Garena, se tornou o app de compras mais baixado do Brasil em 2022.

Lives commerces e entregas rápidas

Outro filão do marketing que os e-commerces asiáticos enxergaram foram as lives commerces, vendas ao vivo por streamings que ganhou força na China e se popularizou no mercado eletrônico global.

Segundo estudo realizado pela Research and Markets, as estimativas são de que sejam levantados US $600 bilhões até 2027 por meio desse modelo de vendas. E o Brasil é um mercado em potencial para essa estratégia.

Já as entregas rápidas e grande variedade de produtos também são outros fatores que corroboram para o grande sucesso das plataformas asiáticas no Brasil.

Governo endurece taxação para e-commerces asiáticos

Após muita pressão de empresários que atuam com o varejo nacional para que o Governo e o Congresso atuassem com maior severidade sobre a taxação dessas plataformas, houve uma resposta.

Recentemente a Receita Federal confirmou que adotará medidas para tributar compras de comércio digital estrangeiro de valor superior a US$ 50. Segundo o órgão, a decisão não consiste na criação de um novo imposto, mas, sim, na aplicação da legislação já em vigor.

Em nota, a Receita afirma que não fará alterações no ordenamento jurídico, que trata dessas importações, pois a lei já determina a tributação em 60% do valor desses produtos quando comercializados por pessoa jurídica. Segundo o órgão, as medidas servirão para preencher as brechas de fiscalização explorada pelas marcas asiáticas.

A decisão recebeu apoio da Associação Nacional de Auditores Fiscais (Unafisco). Uma ação que poderá entrar na meta de até R$150 bi em medidas propostas pela Fazenda para atingir o plano previsto no arcabouço fiscal.

O e-commerce nos próximos anos

Em última análise, fica a questão: quais serão as próximas estratégias de vendas desses players asiáticos para seguirem avançando no varejo online? A pergunta também se estende aos e-commerces brasileiros: como seguir rivalizando com a concorrência pelo preço baixo na internet?

Frente a um retração econômica ainda em curso no Brasil e a busca do consumidor por preços mais acessíveis, o cenário do e-commerce por aqui seguirá movimentado.

Certamente os e-commerces nacionais deverão rever suas estratégias e não apenas esperar o “efeito governo”. Práticas mais audaciosas sobre entendimento do consumidor, qualidade no atendimento, investimentos em tecnologia, além de um olhar estratégico para a logística, deverão ser mais praticadas daqui em diante.



+ Notícias

Como será o consumo no Brasil em 2023? 

O marketing autêntico de Diogo Defante 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]