Pesquisar
Close this search box.
/
/
Fim do cardápio em QR Code? Estados querem menus impressos em restaurantes

Fim do cardápio em QR Code? Estados querem menus impressos em restaurantes

Legislativos de Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Minas Gerais e Distrito Federal têm projetos de lei a favor de cardápios físicos

Cardápios em QR Code foram popularizados em restaurantes brasileiros para diminuir os riscos de contaminação na pandemia de Covid-19. Porém, com menos casos da doença e com o término da emergência decretado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), a tecnologia tem sido criticada por dificultar o acesso de pessoas mais velhas ou sem celular às informações de produtos. Em resposta às criticas, ao menos quatro assembleias legislativas estaduais discutem Projetos de Lei que tornam obrigatório menus impressos em restaurantes, bares, lanchonetes e hotéis.

Do conjunto de projetos apresentados, o mais adiantado é o PL 6.392/22, do deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB). O texto, que foi aprovado pela Assembléia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) no dia 9 de maio e espera sanção do governador Cláudio Castro (PL) para entrar em vigor, obriga estabelecimentos que servem comidas ou bebidas a oferecer menu impresso aos clientes.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

Ao justificar a proposta, Amorim disse que diferentes locais utilizam o cardápio digital em QR Code de forma exclusiva para diminuir custos, o que cria constrangimento para pessoas idosas e cidadãos sem celular no momento da refeição ou que estão sem internet.

Na linha da lei fluminense, outros estados discutem projetos semelhantes. Uma proposta do deputado distrital Robério Negreiros (PSD) tramita na Comissão de Defesa do Consumidor (CDC) no Distrito Federal desde 2022. No Mato Grosso do Sul, o projeto de lei 137/2023, que proíbe cardápios exclusivamente digitais, foi encaminhada à Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR) pelo deputado estadual Marcio Fernandes (MDB).

O mesmo aconteceu na Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG), com um projeto do deputado Delegado Christiano Xavier (PSD), em avaliação pela Comissão de Constiuição e Justiça (CCJ) do estado.

Leia mais:
Você conhece os riscos dos QR codes?

Na avaliação de Eduardo Tavolieri, especialista em relações de consumo e sócio-fundador do escritório Tavolieri de Oliveira – Advogados Associados, é um direito básico do consumidor ter acesso ao preços dos produtos e serviços oferecidos.

“Sem a versão impressa, o cliente pode ter esse direito ferido, seja por falta de internet, conexão instável ou dificuldade tecnológica ao utilizar cardápio em QR Code”, disse o advogado. Para Tavolieri, menus impressos eram normais e indispensáveis antes da pandemia, fazendo parte do uso e dos costumes dos consumidores.

Cardápio digital ou físico: uma questão de experiência

Donos e gerentes de restaurantes vêem possibilidades nos dois tipos de menu. Para Carolina Brolacci, da administração do restaurante Cantón Moema, em SP, com o QR Code é possível alterar de forma mais rápida os cardápios ou colocar promoções.

“Já o menu impresso, mesmo mais difícil de editar, demostra um tipo de cuidado do restaurante com o cliente”, disse Carolina. “Um cardápio bem pensado, com fotos e cores bem escolhidas, faz parte da experiência do consumidor”.

Leia mais:
Pagamento via QR Code pode ser o futuro do varejo

Luiz Felipe Bordon e Fabiano Cunha, sócios e proprietários do Dhomus, também em São Paulo, afiraram que a opção por cardápio físico foi uma escolha desde o início do projeto.

Com olho nos clientes mais jovens que preferem cardápios digitais, os empresários disponibilizam uma opção online, como no Instagram. “Caso seja obrigatório o menu físico, já estamos adequados a atender”, disseram.

Para Abrasel, decisão sobre cardápio é do restaurante

Já a Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) emitiu uma nota contra à obrigatoriedade. Segundo o presidente da entidade, Paulo Solmucci, cardápios por QR Code são questão de mercado, não de lei.

Conheça o Mundo do CX

“Essas leis são a velha e boa mania do Estado de interferir onde não é chamado e nem é preciso”, disse Solmucci. Segundo o presidente da Abrasel, não se trata do QR Code ser ruim ou não, mas do direito do próprio negócio de tomar a decisão.

“Os bares e restaurantes são quem melhor conhecem seus consumidores, entendem seus hábitos e preferências. Por isso, é descabida essa tentativa de impor uma obrigação de ter menus impressos nos restaurantes”, concluiu Solmucci.



+ NOTÍCIAS
Estudo mostra que 85% dos chineses usam o QR Code nas compras. E no Brasil?
Pagamentos via PicPay e Pix serão aceitos em um único QR Code

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]