Pesquisar
Close this search box.
/
/
4 atitudes que as empresas precisam adotar para evitar o “techlash”

4 atitudes que as empresas precisam adotar para evitar o “techlash”

Empresas de tecnologia precisam ser mais transparentes para garantir a confiança e a colaboração dos consumidores

Muito se fala sobre o “TECHLASH”, termo que explica a reação negativa ao poder e influência que as grandes empresas de tecnologia têm causado à vida das pessoas. Escândalos de invasão de privacidade, coleta de dados pessoais, cyberbullying, automação excessiva e algoritmos com viés racista são alguns dos fatores que contribuem para o “techlash”, ou seja, o sentimento negativo sobre a tecnologia.

Um estudo publicado recentemente pela consultoria Accenture mostra alguns caminhos que as empresas podem seguir para superar a desconfiança e a reação negativa à tecnologia.

Segundo o estudo Technology Vision 2020, os novos modelos que as empresas devem criar para superar o choque tecnológico têm uma coisa em comum: são baseados na colaboração e na transparência. Os líderes empresariais bem-sucedidos convidarão clientes, colaboradores, parceiros e o público para construírem juntos seu novo curso para o futuro.

1. PROTEÇÃO DE DADOS PESSOAIS

 As pessoas ainda buscam os muitos benefícios da personalização, mas estão cada vez mais céticas quanto aos métodos não transparentes que as empresas usam para fornecê-la. Os consumidores querem ter propriedade de seus dados pessoais e da própria experiência. Segundo o relatório, 66% deles afirmam que estão tão preocupados com o uso comercial de seus dados pessoais e identidade online para fins de personalização quanto com ameaças à segurança e hackers.

Os métodos de personalização existentes hoje, baseados em coleta e análise robustas de dados, não estão conseguindo fornecer a transparência que os consumidores desejam. Para evitar o “techlash”, as empresas precisam ser cada vez mais transparentes, protegendo e dando maior poder aos consumidores sobre o uso de seus dados.

2. INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL TRANSPARENTE

Ainda não sabemos o potencial total da inteligência artificial, e isso causa certa tensão sobre o futuro. Segundo o relatório, as empresas de sucesso buscarão uma maior colaboração entre homens e máquinas. Para facilitar a verdadeira colaboração, elas precisam substituir um relacionamento de “comando e resposta” entre humano e máquina por uma experiência interativa, exploratória e adaptável.

Além disso, o relatório ressalta a importância de uma inteligência artificial aberta, sem “caixa-preta”, para que os humanos consigam compreender como e por qual motivo uma decisão foi tomada pela inteligência artificial.

techlash

 

3. CO-PROPRIEDADE NA JORNADA DO CONSUMIDOR

Segundo o estudo, a noção de propriedade de um produto está mudando radicalmente. Em muitos casos, quando o consumidor compra um produto, ele não está adquirindo o item físico acabado, mas sim uma experiência em evolução. É o caso, por exemplo, dos smart speakers ou de aparelhos de automação residencial, que são lançados com poucas funcionalidades e vão, com o tempo, agregando novas funções via atualizações de sistema.

As empresas devem reconhecer esse novo paradigma de “co-propriedade” com os clientes e trabalhar para projetar seus produtos e ecossistemas para acomodar as mudanças e evoluções ao longo do tempo. Isso ajudará a manter a lealdade do cliente no futuro, garantindo transições suaves de uma geração de produtos para a próxima.

4. ROBÔS

Os robôs estão saindo das fábricas e tomando o “mundo real” muito rapidamente. Conforme se multiplicam para além de ambientes controlados, as empresas serão forçadas a considerar como o público em geral será afetado pelas máquinas.

Segundo a pesquisa, 48% dos consumidores acreditam que os robôs vão deixar suas vidas mais fáceis, mas 39% declaram preocupação com o fato de que eles podem causar mais problemas. Por isso, a evolução dos robôs exigirá uma abordagem combinada de desenvolvimento e testes para garantir uma convergência segura e bem-vinda entre robôs e a sociedade.

 

Techlash, o fenômeno que ameaça o Facebook e a indústria digital
Marcas exploram TikTok em busca de diálogo com a Geração Z
Amazon está no topo da lista das empresas mais “malignas” para o mundo

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]