Pesquisar
Close this search box.
/
/
Atendimento digital: enviar áudio pelo WhatsApp é ou não recomendado pelos especialistas?

Atendimento digital: enviar áudio pelo WhatsApp é ou não recomendado pelos especialistas?

Humanização e acessibilidade configuram a lista de vantagens trazidas pelos recursos sonoros; inconveniência e interpretações equivocadas surgem como pontos negativos durante o atendimento digital

Você é do time que ama ouvir áudios pelo WhatsApp ou faz parte do grupo de pessoas que ignoram a existência de qualquer mensagem de voz no aplicativo de conversa? A paixão ou repúdio pelo envio de conteúdos sonoros através das plataformas de comunicação tem despertado a atenção de várias corporações que trabalham com atendimento digital e atuam na elaboração de estratégias para melhorar a experiência do cliente.

Mas e aí, enviar mensagem de voz durante o atendimento ao consumidor é ou não recomendado?

Vantagens e desvantagens do recurso sonoro

Para Gabriel Camargo, CEO da DeePCenter, empresa especializada em gestão da informação e advanced analytics, o uso do áudio através dos canais digitais só é imperativo em ligações telefônicas.

“No acionamento via aplicativos de mensagem com opções de áudio e texto, o último é a regra. Isso porque a mensagem escrita não interrompe o consumidor como faz a ligação, o que permite que ele consiga ler em um momento em que esteja disposto ou com tempo livre. Além disso, ao contrário do áudio, a compreensão do texto não é muito afetada pelo ambiente ao redor, já que não exige silêncio ou muita atenção”, salienta Gabriel Camargo.

Entretanto, para os casos em que o contato inicial parte do público-alvo, esta lógica pode mudar: “muitos consumidores optam pela fala ao invés da escrita durante reclamações ou questionamentos”, acrescenta o CEO da DeePCenter.

A adesão ao recurso sonoro por parte dos clientes pode estar ligada a uma série de fatores, como a praticidade e agilidade durante o atendimento. Além disso, o áudio surge como uma ferramenta inclusiva para pessoas com deficiência visual ou com dificuldades para ler e escrever, por exemplo.

Perfil do público e contexto devem ser levados em conta

De acordo com Lucas Camargo, CEO da Instabuy Serviços de Tecnologia, plataforma de e-commerce voltada a supermercados, apesar da mensagem escrita aparecer como a solução ideal durante o atendimento ao cliente, é necessário analisar o contexto e o perfil do público antes de escolher a forma de se comunicar.

O coordenador de MBA da Faculdade Impacta, Eduardo Endo, endossa essa linha de raciocínio ao explicar que os áudios são bem-vindos em situações de espelhamento e rapport com o cliente ou quando solicitados e aprovados pelo público.

“Os áudios são recomendados ainda para os casos onde as explicações são longas e a demora para a digitação culmina no aumento do estresse do consumidor”, ressalta o profissional da Faculdade Impacta.

Nesse sentido, é essencial que a empresa crie uma política interna bem delimitada com relação ao serviço ao cliente, a fim de estabelecer normas acerca das situações em que o uso de áudios seja recomendado durante a interação com o consumidor final.

Feito isso, recomenda-se a definição de um padrão para as gravações, visando sempre a humanização do atendimento e a satisfação do público.

“Em princípio, deve haver uma apresentação formal com nome e cargo que justifique e torne pessoal o atendimento. Além disso, é importante falar com calma, clareza, sem espaços vazios e sempre se dispondo para solucionar dúvidas. Por fim, os áudios não podem ser longos para facilitar a disponibilidade e não gastar o tempo do cliente”, pontua Lucas Camargo.

Ainda com relação ao atendimento por áudio, a sócia da Iventys Educação Corporativa, Marcela Brito, faz um alerta sobre as armadilhas desta estratégia de comunicação: “apesar de ser mais afetiva e de aumentar a personalização, é preciso ter cuidado com essa linha tênue entre o pessoal e o profissional, porque através deste recurso é possível compreender a intencionalidade do tom da voz”, finaliza.

O poder do WhatsApp no relacionamento com o cliente

Para quem não sabe, o WhatsApp é uma das ferramentas de comunicação mais utilizadas para vendas. De acordo com uma pesquisa realizada pela consultoria Accenture, 83% dos consumidores brasileiros fazem uso do aplicativo para comprar produtos e serviços.

Com a pandemia e a migração total ou parcial dos negócios para o digital, o volume de mensagens de WhatsApp enviadas entre empresas e consumidores subiu 251% entre os meses de janeiro e março de 2021, se comparado ao mesmo período do ano anterior.

Esta pesquisa, feita pela Mobile Time em conjunto com a Opinion Box, revelou ainda que, nos últimos 12 meses, 55% dos entrevistados utilizaram pela primeira vez o aplicativo para fins comerciais. Além disso, a análise apontou que a rede de conversas está presente em 98% dos celulares existentes no país.

Já deu para perceber a importância do WhatsApp no relacionamento com o consumidor, não é mesmo?

Por isso, além das discussões referentes ao envio de mensagem de áudio durante o atendimento ao cliente, separamos algumas dicas que podem auxiliar na interação com o público via WhatsApp. Confira!

1. Textos: assim como os áudios enormes, a produção de conteúdos escritos muito longos não é bem-vinda nas interações com os clientes. Caso as informações sejam muito complexas, recomenda-se que o atendimento seja feito através da ligação telefônica.

2. Linguagem: atendimento humanizado não é sinônimo de conversas que fujam dos assuntos ligados à empresa! Por isso, é crucial se atentar para a mensagem principal e tomar cuidado com o uso de gírias ao longo da conversa!

3. Abordagem: tanto nos processos de outbound (B2B), quanto nos de inbound, recomenda-se a identificação do colaborador e da empresa, assim como a contextualização de toda a situação relacionada a venda.

4. Portfólio: ao longo do atendimento digital, é comum que os clientes ou futuros clientes perguntem sobre determinado produto ou serviço. Nesse momento, é interessante enviar um portfólio com todos os dados referentes às mercadorias e, claro, a marca.

5. Personalização: o uso de softwares de CRM (Customer Relationship Management) contribui para a personalização do atendimento, já que reúne uma série de informações sobre as compras anteriores e os gostos de cada cliente.

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]