Pesquisar
Close this search box.
/
/
Água: tecnologia é ineficaz sem planejamento

Água: tecnologia é ineficaz sem planejamento

Um debate realizado pela Docol e mediado por Heródoto Barbeiro discutiu as causas dos problemas hídricos atuais e o que ainda precisa acontecer

Aquecimento global, desmatamento, falta de chuva, consumo desenfreado. Essas são algumas das razões pelas quais muitos acreditam estarmos passando pela atual crise hídrica.

Durante o Fórum ?Distantes do que é possível ? A responsabilidade do consumidor na crise hídrica?, realizado pela Docol, empresa fabricante de metais, Eduardo Pacheco, engenheiro sanitarista do portal Tratamento de Água, afirmou que o principal problema é a falta de planejamento.

?As pessoas precisam entender o assunto. O atual secretário de saneamento e recursos hídricos do estado de São Paulo, Benedito Braga é do ramo, sabe o que está fazendo, mas o seu antecessor não era?. ?Há dez anos o departamento de água e energia perguntou ?e se tivermos uma seca como a de 1953? São Paulo entraria em crise? e é o que estamos passando agora?, conta Plínio Tomaz, Relator da Câmara Técnica de Macrodrenagem e Enchentes da Região Metropolitana de São Paulo, Membro do Comitê da Bacia do Alto Tietê e Cantareira.

O professor, engenheiro civil e presidente do Conselho Brasileiro de Construção Sustentável, Orestes Marracine Gonçalves, não apenas concordou com Pacheco como também acrescentou o desenvolvimento urbano desenfreado como influenciador da crise.

Pacheco cita o tratamento do esgoto como um auxílio a melhora da situação atual da região. ?É muito mais fácil e viável tratar o esgoto e fazer o uso direto ? reuso ? e indireto ? devolver como água tratada aos mananciais que abastecem a cidade. Tratamos 20m³ de esgoto, temos que tratar pelo menos 50m³?.

Por outro lado, a professora de Engenharia da USP, Lúcia Helena, diz que o tratamento de esgoto em edifícios é complexo por conta de gases de efeito estufa que se acumulam. Orestes Marracina concorda com ela, ?o reuso da água em um edifício tem sua importância modificada da quantidade para a qualidade. É perigosíssimo?.

Levi Garcia, diretor da Docol, especialista em metais economizadores de água, afirma que a questão comportamental ainda é a solução. ?Eu conversei com o gerente de um hotel no qual sempre ia sobre trocar os dispositivos hídricos por outros, mais econômicos. Disse que poderíamos fazer uma parceria, um preço melhor, já que estávamos sempre lá. Mas a resposta que ele me deu foi que o hotel precisava trocar as fechaduras por automáticas e os cofres por tamanhos maiores?, contou.

?Da classe média para cima as pessoas não se preocupam muito com a água, não se importam se faltará na casa do vizinho?, comentou Levi. Ricardo Chaim, responsável pelo Programa Uso Racional da Água, falou que metade da população reduziu o consumo de água e atingiu o bônus, porém não é o caso com os edifícios. ?85% dos condomínios reduziram o consumo de água, mas apenas 34% atingiu a meta de redução de 20%?.

Orestes afirma que a mudança de hábito é um comportamento que vai ficar para sempre e cita a importância de utilizar dispositivos de água dentro das normas brasileiras. ?As torneiras que não atendem às normas gastam água como um shopping. Trata-se de qualidade, tecnologia e inovação?.

A professora Lúcia cita três itens importantes que independem da crise. ?Comportamento ? ético, procedimento e político ?, condições hidráulicas ? preços adequados e manutenção ? e tecnologia?.

?A Sabesp tem mais de mil vazamentos por dia, e as fraudes ? os gatos ? geram perda de aproximadamente 18 mil reais por mês à distribuidora. Foram 2,6 bilhões de litros ano passado, o suficiente para a abastecer a cidade de Taboão da Serra?, comenta Ricardo Chaim. O responsável pelo Pura conta ainda que a Sabesp estuda a possibilidade de uma tubulação aérea de abastecimento de água para evitar perdas na rede hídrica.

Leia mais:
Crise hídrica: entre racionamento e sobretaxa
Empresa brasileira dessaliniza água do mar
Crise hídrica: quem você apontaria como culpado(s)?
 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]