Pesquisar
Close this search box.
/
/
Receita previsível só é possível com lealdade e compromisso

Receita previsível só é possível com lealdade e compromisso

Em artigo, Evelyn Rozenbaum conta sobre conversa com Aaron Ross e destaca: "a lealdade se estabelece nas relações quando o 'cuidado com o outro' é real"

Semana passada tive a oportunidade de conhecer e entrevistar muito mais do que o autor do best-seller Receita Previsível – conheci um ser humano brilhante, pai de 10 filhos, inteligente, doce e íntegro. Uso o adjetivo íntegro no seu sentido mais básico: “completo, apresentado na sua totalidade; completamente preenchido. Qualidade de quem não se deixa corromper; que age com honestidade; honesto: juiz íntegro”.

Ross é daquelas pessoas que vêm ao mundo com propósitos e, conforme vão concretizando-os, ainda olha para trás e consegue relacioná-los com seus sonhos, como se não fossem corrompidas pelo real, obstáculos e pela dureza da realidade imposta a cada manhã.

A integridade me parece muito associada à liberdade de ser. Pessoas livres conseguem viver fora da caixa. Não aceitam as prisões que lhe são impostas e a mesmice das convenções que cabem tão bem aos comuns. Conversamos sobre sonhos, realizações e expectativas. Sobre vida. Aaron Ross começa contando de sua experiência de fracasso empresarial antes de ser contratado pela Salesforce na área vendas.

Engenheiro de formação, Aaron abraçou está oportunidade. Exatamente por possuir um olhar diferenciado, por não vir do mundo comercial, ele pode construir sua metodologia com um olhar naïve. Antes de analisar números, ele persegue o entendimento através da escuta e da observação.

Este termo vem da antropologia e utilizamos bastante na pesquisa de mercado qualitativa. Naïve significa ingênio, mas no mundo dos negócio, observação naïve se refere a buscar conhecer fatos e pessoas de modo a não deixar pré-conceitos e/ou paradigmas tomarem conta de nosso olhar e de nossa cognição e interferirem em nossa capacidade de absorção e entendimento do mundo.

Aaron Ross não era de vendas e através do cuidado com o outro, observando e correlacionando os resultados, construiu um novo modelo. Segundo ele o segredo está no cuidado, no relacionamento. Pessoas são a bases de tudo. “O problema não estava em marcar reuniões, estava em achar a pessoa certa”, afirma.

Outro questão que o autor aponta estar sempre presente é a dificuldade dos líderes em aceitarem novas ideias. Empresas de tecnologia tendem a ser mais agressivas e abertas em relação a novas ideias. Essa mentalidade geralmente traz bons resultados, aumentam as chances de vender novas ideias internamente, construindo, assim, credibilidade. Para Rossa, foi fundamental também o apoiou do seu líder.

“Você acha qualquer tipo de experiência na internet, em livros. As pessoas estão cansadas disto. Muita conversa, pesquisas, justificativas. Eles estão querendo mais experiências pessoais”, explica.

Aaron deixa claro sua preocupação com o outro – seja alguém de seu time, cliente, familiar, amigo. O que conta é a lealdade que se estabelece nas relações quando o “cuidado com o outro” está presente e é real. “O tom e o sentimento que você coloca na relação não tem nada a ver com servir o consumidor 24×7. Não interessa o modo como você se relaciona, o que importa é como o consumidor sente, se você se preocupa ou não”, sugere.

Esta lealdade é básica em qualquer relacionamento, mas só acontece quando as bases são sólidas, verdadeiras. Segundo Ross, com a chegada e adoção das novas tecnologias e principalmente após a pandemia da Covid-19, houve uma aceleração na desconexão pessoal, um empobrecimento nas relações humanas. O distanciamento moldou novas formas de conexão, mas todas através de telas.

Se você percebe que alguém te conhece em uma empresa, se preocupa com você, acaba criando um laço de lealdade. Este laço torna as pessoas mais tolerantes, concede mais espaço para a empresa errar, e ao querer procurar ajudar, as pessoas passam a fazer parte; é a construção do sentimento de pertencimento e identificação com a causa, marca, empresa e valores.

Aaron fala sobre o desconhecimento do seu consumidor, na realidade isso vem acontecendo faz anos, a pandemia só acelerou esse processo. “As pessoas não conhecem mais os consumidores, são apenas mais um rosto do outro lado da tela”, critica.

Assine nossa newsletter!
Fique atualizado sobre as principais novidades em experiência do cliente

O mundo ficou mais ocupado, acelerado, com muitos conteúdos, aplicativos, oportunidades; eu até arriscaria dizer mais desumano. Cresceu demasiadamente o número de pessoas com ansiedade, depressão e doenças associadas à solidão, à desesperança. Estamos sobrecarregados, estressados, com burnout, no mundo todo.

Esta desconexão vale também para os colaboradores. Cada vez mais o mundo está cheio de ofertas e opções, o que torna mais difícil reter colaboradores. Por que devo ficar se não é bom para mim? Se você se sente desrespeitado em uma companhia, ou se consegue fazer mais dinheiro em outra, por quê ficar nesta empresa? Simplesmente se troca os computadores de uma empresa para outra. Onde fica a lealdade?

Apesar de IA, bots, as pessoas continuam em busca de relações mais profundas e saudáveis, de conexões. Estas conexões entregam lealdade e aí está o princípio da retenção de clientes, da fidelização de clientes e funcionários. Na velha fórmula de olho no olho, do real interesse pelo outro.

Com toda tecnologia disponível hoje, voltamos à velha pirâmide de necessidades de Maslow. Se não cuidarmos do próximo, de suas necessidades básicas, como podemos cobrar por resultados? Quando Ross fala em cuidado com o outro, fala de salários competitivos e compatíveis, de cuidados com o físico, com as relações saudáveis, com saúde mental.

Conheça o Mundo do CX

“Como podemos esperar resultados, se deixarmos de olhar para o outro?”

Grandes insights vieram de visionários, pessoas comuns que enxergaram além, e que tiveram apoio de um time e liderança que acreditaram em suas ideias, mesmo antes de ter que provar, através de números tudo que idealizou!

Escutar os clientes, cuidar do design para atender seus clientes e não as necessidades da empresa, é fundamental em qualquer relacionamento. Percebo que o que está faltando é o cuidado.

No frigir dos ovos, quer saber qual a receita previsível? Olhos nos olhos, interesse pelo outro, escuta ativa, inteligência emocional, pensar fora da caixa, ter coragem e ser humano.



+ NOTÍCIAS
Sustentabilidade interfere na decisão de compra de 95% dos consumidores
83% é a média de resolutividade no primeiro contato no Brasil

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]