Pesquisar
Close this search box.
/
/
4 Dicas do Google para desenvolver um mindset digital na sua empresa

4 Dicas do Google para desenvolver um mindset digital na sua empresa

Em sua plataforma de debates de assuntos ligados a negócio, o Google revela os passos para empresas imprimirem a cultura digital nas estratégias e no cotidiano

Inovação dos modelos de negócio e transformação digital são dois assuntos que rondam os corredores dos escritórios de qualquer grande varejista no mundo. Mas as dificuldades de mudança são muitas e chegam a ter intensa relação com a cultura empresarial.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Afinal, grandes varejistas pressupõem modelos tradicionais. Isto é, elas nasceram em contextos totalmente diferentes dos padrões atuais, o que torna uma operação complexa de adaptação às novas demandas dos consumidores.  Os millennials e a geração Z são os grandes responsáveis pela cultura e pelo consumo no meio digital. Entendê-los é obrigação das empresas se quiserem seguir a tendência e obter um rótulo de mindset digital.

O Head de programas e iniciativas digitais do Google, Joris Merks-Benjaminsen, deu algumas dicas na plataforma de discussão da empresa ThinkWithGoogle sobre como desenvolver essa cultura digital dentro da empresa. Confira:

1) Defenda a ideia de que o foco da empresa deve ser sempre o cliente

A estrutura da organização não pode atrapalhar a estratégia de relacionamento com os clientes. As metas das equipes acabam afetando fortemente a experiência do consumidor. Por exemplo, diz Benjaminsen, os times do e-commerce são incentivados a aumentar as vendas online, enquanto as equipes nas lojas também têm suas metas para bater. Mas os clientes tendem a usar tanto o canal digital quanto a loja em sua jornada de compra, esperando ter uma experiência consistente, sem atritos.

Um problema relatado frequentemente é que, por estarem focadas em diferentes partes da jornada do consumidor, as equipes acabam fazendo escolhas tecnológicas sem conversar entre si. E quanto menos alinhamento interno, pior vai ser a experiência do cliente. As empresas devem escolher sistemas que vão permitir a unificação na comunicação e no atendimento ao cliente. Essas ferramentas devem fornecer um único perfil desse consumidor. Essas ações precisam ser coordenadas por profissionais que tenham capacidade suficiente para garantir que esses sistemas sejam utilizados de forma integrada em toda a jornada do consumidor.

2) Incentive o uso de uma linguagem acessível quando o assunto for tecnologia

Um desafio muito comum nas empresas é a falta de comunicação entre líderes e especialistas. Quando se trata de desenvolvimento tecnológico, as novas soluções são tão fragmentadas, e mudam tão rápido, que só os especialistas conseguem acompanhá-las. Isso não seria um problema se eles conseguissem se comunicar com outros times usando uma linguagem acessível aos leigos, mas a realidade é que muitos deles não conseguem.

“Especialistas são aqueles que entendem cada detalhe do que a tecnologia faz; no entanto, nem sempre estão aptos a pensar além dos limites de sua própria equipe. Esse é o papel do líder, mas ele nem sempre tem o conhecimento técnico necessário. Se conseguirmos que especialistas e líderes trabalhem juntos, fazer escolhas tecnológicas integradas se tornará muito mais fácil”, diz o especialista do Google.

3) Estabeleça e promova a cultura de inovação

Segundo Joris Merks-Benjaminsen, a transformação digital não é algo planejado ou programado. “É uma reação em cadeia de experimentos pequenos o bastante para serem executados rapidamente, porém relevantes o suficiente para romper com antigas formas de trabalho. Daqui para frente as empresas precisarão de um ambiente de experimentação, se quiserem sobreviver e prosperar”, afirma o executivo do Google.

Para incentivar ainda mais o espírito de inovação e fazer a transformação acontecer, a ideia é promover um ambiente de abertura e uma cultura que fomente o aparecimento de novas ideias. “Contrate pessoas que sejam capazes de fazer muitas coisas e se adaptar a mudanças; dê a elas o mínimo de estrutura necessária e forneça ferramentas e locais de trabalho que estimulem a conexão com outras pessoas, ao mesmo tempo em que elas criem sistemas flexíveis em torno dos seus próprios projetos”, conclui.

4) Ofereça visão e liderança que estimulem evolução

Obstáculos são um componente essencial na transformação digital. Eles não podem ser uma desculpa para não passar pela transformação, pois são parte inerente dela, afirma Benjaminsen. O fato é que ações de transformação digital sempre agregam mais trabalho, pois raramente se encaixam em processos ou estruturas já existentes e quase nunca pode-se construir algo novo sobre o que já está feito.

Além disso, o risco também é maior: se você faz as coisas do mesmo jeito de sempre, você sabe mais ou menos como vão terminar e qual será o resultado final. Se agir de forma diferente, você não sabe se será bem-sucedido ou qual será o impacto de suas ações. Esse é o risco com que as empresas terão que lidar daqui para frente. Se você quiser que sua empresa passe por uma transformação digital, as pessoas precisam ter persistência e disposição para assumir mais trabalho e mais riscos, porque acreditam que este é o caminho certo a seguir.

O que o especialista do Google indica para os líderes empresariais fazerem neste cenário?

“Primeiramente, estabeleça metas que ajudem as pessoas a pensar no futuro, incluindo uma visão forte de longo prazo, com desafios claramente definidos para que elas possam trabalhar neles. Em segundo lugar, defina objetivos e forneça ferramentas que facilitem a colaboração entre áreas. Incentive qualquer um a se conectar com qualquer outra pessoa, independentemente de hierarquia ou posição no organograma da empresa”, diz Benjaminsen

“É necessário haver incentivos para que as pessoas pratiquem inovação, pois não temos como medir o que nunca foi testado antes. Coisas simples como prêmios e bônus podem fazer uma grande diferença, mostrando para as pessoas que o empreendedorismo é admirado e valorizado”, conclui.

Leia também:
As 10 marcas mais influentes do Brasil em 2018

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]