Pesquisar
Close this search box.
/
/
10 estratégias para proteger seu dinheiro da inflação

10 estratégias para proteger seu dinheiro da inflação

Quem já não está, há algum tempo, sentindo no bolso uma alta de preços em bens e serviços?

Enquanto a má notícia é que nos próximos meses a inflação continue a não dar trégua, a boa é que há maneiras de amenizar os efeitos dela no bolso.
Veja abaixo dez estratégias para proteger seu dinheiro da inflação e fazer o salário voltar a sobrar no fim do mês. Afinal, com ou sem alta dos preços, manter o hábito de construir uma reserva financeira é fundamental ? em especial em época de crise.

1 ? Entenda os seus gastos e organize as finanças
Para saber como economizar, é preciso antes entender como você gasta o seu dinheiro. Com este levantamento em mãos, você conseguirá perceber quais compras acabam sendo em excesso. O Simulador Diagnóstico Financeiro do portal Meu Bolso Feliz pode ajudar nesta tarefa.

Feito esse diagnóstico, pergunte-se: ?como posso reduzir meus gastos?? Neste momento, tenha sangue frio e reconsidere, ao menos nesta época de crise e inflação alta, hábitos que geram mais gastos do que pode se dar ao luxo neste período. ?É hora de reduzir os jantares em restaurantes, presentes fora de datas especiais e, mais importante do que tudo, as compras por impulso?, ensina José Vignoli, educador financeiro do Portal Meu Bolso Feliz;

Leia também: Confira cinco passos para ter menos dívidas

2 ? Mude a forma como usa o cartão de crédito
Segundo pesquisa do SPC Brasil, seis em cada dez (57%) inadimplentes estão com faturas atrasadas no cartão de crédito, sendo que 46% se encontram com o nome sujo por conta dessa pendência não quitada. ?O cartão de crédito é conveniente porque viabiliza a compra na hora, mesmo que o consumidor não disponha de dinheiro no momento. Com os preços mais altos, ?deixar para pagar depois? acaba sendo uma ?solução?. O problema é que as consequências podem ser devastadoras para a conta bancária de quem não se organiza?, alerta Vignoli.

Assim, evite recorrer ao cartão de crédito como recurso para comprar o que deseja, quando não tem dinheiro para isso. ?O cartão só é vantajoso para quem tem controle para não gastar mais do que efetivamente possa pagar?, conclui o economista;

3 ? Invista no lugar certo
Quanto maior a inflação, mais se perde ao deixar o dinheiro poupado parado na conta corrente. ?Também a poupança, apesar da vantagem de ser isenta de Imposto de Renda e taxas de administração, atualmente rende menos do que a inflação. Ou seja, deixar dinheiro nesta aplicação definitivamente não é uma boa ideia neste momento?, explica Vignoli.

Bons investimentos no atual cenário econômico são os em renda fixa, como títulos do tesouro ou fundos de investimento e outros produtos financeiros (LCI, LCA e CDB);

Leia também: Receita lança rascunho da declaração do IR de 2016

4 ? Pesquise preços
Hoje em dia, com a facilidade da internet, pesquisar preços está mais fácil e a prática, em momentos de crise, é uma das grandes aliadas do bolso do brasileiro. ?Pesquisar preços é uma tarefa que todo consumidor deve fazer antes de ir às compras. Lojas físicas, sites e até aplicativos ajudam a economizar, não tem nem a desculpa da preguiça?, enfatiza Vignoli. Veja alguns sites e aplicativos que te ajudam na tarefa de comparar preços:

? Google Shopping Brasil
? Shopbot
? Shopping UOL
? JáCotei
? Bondfaro
? Preço Mania
? BuscaPé (site e aplicativo)
? Meu Carrinho (aplicativo)
? Boa Lista (aplicativo);

5 ? Substitua itens e hábitos
Uma forma de reduzir o impacto da inflação sobre o seu orçamento é cortar os produtos que você percebe que estão ficando mais caros e substituí-los por outros produtos ou similares de outras marcas. ?Avalie quais gastos são essenciais e não podem ser mudados e quais, embora necessários, podem ser substituídos por equivalentes mais baratos?, diz o educador financeiro.

Um exemplo é o almoço no trabalho. Que tal cozinhar em casa e levar uma marmita? ?Se a pessoa não tem tempo para isso, ela pode pelo menos levar o lanche, já é uma economia?, exemplifica Vignoli.

Vale também repensar o hábito de passear em grandes centros de consumo, como shoppings ou supermercados. Em especial se tem dificuldade em resistir às vitrines e estantes tentadoras. ?Se a grana está curta, é melhor evitar a ida a esses lugares, a não ser que necessite de algo?, alerta Marcela Kawauti, economista do SPC Brasil. Que tal passear em parques, praças, pelo centro da cidade ou mesmo por uma região gostosa do seu bairro ou de outro que você não conhece bem?;

6 ? Pechinche
À medida que os preços sobem, também deve aumentar a famosa ?cara de pau? na hora de pagar por produtos ou serviços. Afinal, dificilmente o seu salário aumentará tanto quanto a inflação oficial (nos últimos 12 meses, o índice atingiu 8,47 por cento). ?Fica difícil pedir um desconto no supermercado? Pois que tal comprar a carne no açougue, muitas vezes negociando direto com o dono?? ensina Vignoli. Só não caia na ilusão de achar que possibilidade de parcelar a compra é desconto. Desconto é quando o preço diminui e este deve ser o objetivo na hora da pechincha;

Leia também: 9 aplicativos te ajudam a economizar na hora das compras

7 ? Estoque produtos em promoção
Produtos que a família consome com frequência e com data de validade longa podem ser estocados ? mas apenas se encontrá-los em promoção. ?Por exemplo, um pacote de fraldas que está muito barato. Para quem tem um bebê, gastar um pouco mais, mas evitar gastar mais ainda no futuro é um bom negócio?, diz o especialista. Lembre-se apenas que o preço deve estar realmente vantajoso;

8 ? Aproveite as estações do ano para economizar
Consultar a tabela sazonal de produtos hortifrúti é uma excelente forma de substituir os alimentos que estão mais caros no mercado e economizar. Além disso, os produtos de época oferecem uma qualidade maior em relação ao produto nos demais meses do ano, uma vez que seu processo de maturação é natural. Para ver um gráfico de sazonalidade de produtos hortifrúti acesse o portal da CEAGESP.

Da mesma forma que comprar produtos na safra é economicamente vantajoso, adquirir itens de vestuário fora de época pode ser igualmente bom para o bolso. É o caso, por exemplo, de roupas e calçados. Investir em casacos e botas de frio durante o verão, período em que, devido à baixa procura, as peças estão mais baratas, pode ser um ótimo negócio. O mesmo vale para a compra de roupas de banho durante o frio;

9 ? Planeje o seu lazer
Em primeiro lugar é importante entender que até sua diversão deve ser programada e planejada. Para isso, o primeiro passo é estipular quanto tem para gastar mensalmente. ?O limite do lazer ajuda a não extrapolar o orçamento. Em segundo lugar, assim como fazemos na troca de marcas no supermercado, dá para fazer a troca de um tipo de lazer mais caro por um mais barato?, explica Marcela. É possível, por exemplo, trocar o cinema, cujo valor inclui o estacionamento, pipoca e ingresso, por ver um filme em casa;

10 ? Procure pagar à vista
?Comprando à vista não se paga os juros das parcelas e ainda dá para negociar o preço do produto, conseguindo um desconto?, diz Marcela. Além disso, você consegue controlar melhor as finanças, minimizando o risco de ter que lidar com várias parcelas acumuladas no futuro, contabilizando um valor que talvez não tenha como pagar. É aí que o efeito bola de neve começa. Imagine tendo que contrair uma nova dívida para pagar compras antigas? Definitivamente o que você não quer.

Fonte: Meu Bolso Feliz.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]