Pesquisar
Close this search box.
/
/
US$ 175 bi: é o prejuízo do mundo com desastres ambientais em 2016

US$ 175 bi: é o prejuízo do mundo com desastres ambientais em 2016

Valor equivale ao PIB do Nova Zelândia. Tsunami do Japão e Furacão Katrina ainda seguem como piores desastres da história. Veja a lista completa

Há uma corrente grande de pessoas que contesta a existência do aquecimento global ou das mudanças climáticas no mundo. Para muitos destes, isso seria uma invenção dos cientistas para uso político.

Enquanto eles discutem, o fato é que os efeitos das mudanças climáticas avançam. E mais: custam caro. Em 2016, só as seguradoras tiveram que desembolsar US$ 50 bilhões para cobrir danos causados por desastres naturais. E isso é só uma fração dos prejuízos totais.

Em 2016, danos causados por terremotos, enchentes, tempestades, furacões, secas e outros somaram uma conta de US$ 175 bilhões, segundo estimativas da companhia de resseguros Munich Re. É o maior prejuízo desde 2012.

Para se ter uma ideia, o valor equivale ao PIB inteiro de países do porte da Nova Zelândia e o Peru, ou então ao de alguns dos estados mais ricos do Brasil, como Minas Gerais e Rio de Janeiro

Além disso, a frequência dos desastres em 2016 ficou consideravelmente acima da média. Segundo a Munich Re, foram 790 incidentes relevantes no ano, para um média anual que foi de 590 na última década. A conta também saiu mais cara. A média dos últimos dez anos, já ajustada pela inflação, foi de US$ 154 bilhões de perdas ao ano, 13% menos do que o registrado em 2016.

Os especialistas destacam a situação especialmente frágil dos países emergentes, onde a quantidade de bens e locais segurados é consideravelmente menor do que nos desenvolvidos. Na Europa, por exemplo, 53% do valor dos desastres foi coberto por seguros, e 25% nos Estados Unidos. Na China, o valor segurado é apenas 2% do total.

Os desastres mais custosos do ano passado vieram da Ásia. Dois terremotos em sequência na ilha de Kyushu, no Japão (US$ 31 bilhões) e uma série de enchentes na China em junho e julho (US$ 20 bilhões) responderam sozinhos por um terço dos prejuízos do ano.

O maiores desastres da história
Apesar dos números preocupantes de 2016, os desastres mais custosos de que se tem notícia ainda estão no passado. Com 15 mil mortos, uma usina nuclear quase destruída e US$ 210 bilhões em perdas, o tsunami que devastou o Japão em 2011 segue até hoje o pior desastre ambiental desde 1980, segundo o ranking da Munich Re.

O mais letal, por outro lado, aconteceu na China em 2005, com 84 mil mortos em um terremoto. Da lista de dez, oito aconteceram depois dos anos 2000.

Veja a lista dos 10 acidentes mais custosos desde 1980:

1. Tsunami, terremoto – Japão
Data: mar/2011. Prejuízo: US$ 210 milhões. Mortes: 15.880

2. Furacão Katrina – Estados Unidos
Data: ago/2015. Prejuízo: US$ 125 bilhões. Mortes: 1.720

3. Terremoto – Japão
Data: jan/1995. Prejuízo: US$ 100 bilhões. Mortes: 6.430

4. Terremoto – China
Data: mai/2005. Prejuízo: US$ 85 bilhões. Mortes: 84.000

5. Furacão Sandy – Bahamas, Cuba, República Dominicana, Haiti, Jamaica, Porto Rico,, Estados Unidos e Canadá
Data: out/2012. Prejuízo: US$ 68,5 bilhões. Mortes: 210

6. Terremoto – Estados Unidos
Data: jan/1994. Prejuízo: US$ 44 bilhões. Mortes: 61

7. Enchentes, deslizamentos – Tailândia
Data: nov/2011. Prejuízo: US$ 43 bilhões. Mortes: 813

8. Furacão Ike – Estados Unidos, Cuba, Haiti, Ilhas Turcas e Caicos, República Dominicana e Bahamas
Data: set/2008. Prejuízo: 38 US$ bilhões. Mortes: 170

9. Terremoto, tsunami – Chile
Data: fez/2010. Prejuízo: US$ 30 bilhões. Mortes: 520

10. Terremoto – Japão
Data: out/2004. Prejuízo: US$ 28 bilhões. Mortes: 46

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]