Pesquisar
Close this search box.
/
/
Tire a sua empresa do lugar comum

Tire a sua empresa do lugar comum

Você já sentiu que o seu local de trabalho não faz sentido para o que a empresa faz? Isso tem solução sob medida

Cada vez mais empresas precisam concentrar foco e esforços na melhoria de sua atividade central. Alocar recursos de modo eficiente é um mandamento, ainda mais em épocas de crise. Pensar no local de trabalho, para que ele possa funcionar como um instrumento de melhoria da produtividade e da qualidade operacional é o negócio de empresas voltadas para o “built to suit” ou “feitas sob medida” em tradução livre. Empresas especializadas em construir sedes, escritórios ou unidades perfeitamente pensadas e adequadas para as necessidades de outras empresas.

No Brasil, uma das protagonistas nessa nova modalidade é a TRX, segunda maior empresa na gestão de ativos imobiliários terceirizados do país. Consumidor Moderno conversou com José Alves, Vice-Presidente do Grupo TRX sobre o “built to suit” no Brasil, e os reflexos positivos que ter um local de trabalho estruturado para uma empresa pode inclusive trazer muitos benefícios a clientes e consumidores.

O conceito de built to suit segundo a TRX

A TRX é gestora e desenvolvedora. Uma empresa gestora de recursos que tem o DNA do mercado imobiliário. Ela nasceu com todas as referências no mercado para ser protagonista no “built to suit”. A TRX faz espaços comerciais sob medida para atender as necessidades da empresa ocupante. As empresas demandam espaços novos. Em seus movimentos de expansão, de readequação ou até mesmo momentos turbulentos como o atual, adotar espaços pensados nos mínimos detalhes para melhorar a eficiência operacional.

Os benefícios do “built to suit”

Economia de escala, um espaço perfeitamente dimensionado aumenta extraordinariamente o armazenamento de produtos, reduz até custos de seguro porque o imóvel traz todas as contingências de segurança necessárias. A localização é estratégica, tanto para facilitar o acesso dos colaboradores quanto para escoar a produção ou facilitar a logística. E o que é melhor: o capital da empresa é totalmente alocado na atividade fim, sem dispersão em outros investimentos ou custos laterais ao negócio. Sem contar que operações mais eficientes podem criar benefícios para toda a cadeia de valor, incluindo clientes e consumidores. Uma empresa de e-commerce pode reduzir sensivelmente custos de logística e tempo de entrega de produtos para o consumidor com um Centro de Distribuição “built to suit”.

Projetos da TRX para a AMBEV
Projetos da TRX para a AMBEV

Como se molda uma operação “built to suit”

A partir de um mapeamento das necessidades da empresa cliente, busca-se uma localização estratégica e então cria-se um projeto para a construção de um espaço específico para ela. Nesse modelo, o imóvel é construído e então cedido para usufruto da empresa em contratos geralmente de longo prazo, de 15 anos ou mais. Ou seja, é necessário desenvolver o imóvel do zero. Normalmente o processo envolve uma concorrência entre construtoras e projetos. O “built to suit” assegura total acessibilidade de uso, e normalmente envolve valores de aluguéis para a empresa cliente em patamares de mercado. É sob medida para o inquilino e para o investidor.

Expansão do “built to suit” no Brasil

A terceirização de ativo imobiliário, o capital alocado na atividade fim ainda enfrenta uma resistência no Brasil. Existe uma cultura brasileira das empresas serem donas dos seus ativos. Mas nos EUA, por exemplo, 80% dos ativos imobiliários corporativos são terceirizados. No Brasil, ao contrário, 80% são proprietários. no Brasil. Mas a crise e os trimestres seguidos de recessão configuraram uma tendência de terceirização clara, delineada. O parque industrial brasileiro, considerando os ativos imobiliários está obsoleto. A modernização é inevitável. É essa modernização passa pelo “built to suit”.

Que tipo de empresa pode apostar no “built to suit”

Empresas como a TRX focam em empresas com faturamento acima de RS$ 1 bilhão ou mais. Os segmentos mais propensos a adotar o modelo são o logístico, o industrial, e o varejo, incluindo empresas de material de construção, grandes shopping centers, hipermercados e atacarejo. Edifícios inteligentes corporativos que funcionem como sedes de grandes empresas e ativos de infraestrutura e commodities como armazenamento de grãos também podem se beneficiar do “built to suit”. Empresas como Ambev, Decathlon e BR Foods já adotaram essa modalidade no Brasil.

*Jacques Meir é Diretor de Conhecimento e Plataformas de Conteúdo do Grupo Padrão.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]