Pesquisar
Close this search box.
/
/
Pagamento offline começa a ser estudado no Brasil

Pagamento offline começa a ser estudado no Brasil

Objetivo primordial da ação, do Banco do Brasil em parceria com a G + D, é oferecer possibilidades de inclusão financeira.

Você já ouviu falar de meio de pagamento offline, sem contar o dinheiro em espécie ou o cheque? Pois é isso que está porvir, em um futuro nada distante. Os benefícios serão vários, mas o principal, a princípio será a inclusão financeira de pessoas vulneráveis ou excluídas digitalmente.

Mas, engana-se quem pensa que as vantagens pararão nesse ponto. Tudo porque, do lado do consumidor: quem nunca passou pela experiência de, no momento da conclusão de uma compra, o sinal do celular cair?

E, agora, da parte das empresas: que negócio nunca teve problemas de rede de internet, que deixam todos os processos lentos ou até mesmo sem funcionar? E como consequência tiveram que ver consumidores desistindo da compra, gerando prejuízos no faturamento do negócio?

É para evitar esse tipo de transtorno, para ambos os lados, que métodos de pagamento offline estão sendo estudados no momento. Como o próprio nome diz, o pagamento offline é um meio de pagamento que não requer o uso da internet para movimentar valores de uma conta para a outra.

Pagamento online x Pagamento offline

Um exemplo de pagamento offline é o próprio dinheiro em espécie. Nesse caso, seja para obter desconto, seja para manter o controle das finanças, o uso das cédulas em papel continua em alta. Inclusive, ele foi apontado como o meio de pagamento favorito para 44% dos entrevistados. O dado está em uma pesquisa do Instituto Locomotiva no ano passado.

Todavia, em termos de preferência, o Pix foi o meio de pagamento mais utilizado em 2023. Com quase 42 bilhões de transações, houve um aumento de 75% em relação ao ano anterior. Ele, sozinho, ultrapassou todas as transações de cartão de crédito, débito, boleto, Transferência Eletrônica Disponível (TED); cheques e os extintos Transferência Especial de Crédito (TEC) e Documento de Crédito (DOC), os quais, somados, chegaram a quase 39,4 bilhões.  

Agora, imagine só unir a tecnologia do Pix com a facilidade do dinheiro do papel?

Sem conexão com a internet

Pense no celular, um cartão de banco ou até uma pulseira realizando transações com moedas virtuais, mas sem estar conectado a internet. Pensou? Uma aproximação entre dispositivos será o suficiente para transferir o valor do pagador para o recebedor, de forma criptografada. Rápida e automática. Simples assim.

A solução tecnológica, já testada em países como Tailândia e Gana, começará e a ser estudada no Brasil. Quem está à frente essa iniciativa é o Banco do Brasil (BB), juntamente com a empresa Giesecke+Devrient Currency Technology (G+D). Ambos firmaram um acordo de cooperação técnica que prevê o uso do Drex, a versão eletrônica desenvolvida pelo Banco Central, para transações sem conexão com a internet.

Na prática, esse novo acordo busca adaptar a solução do Drex às necessidades do Brasil. Em suma, a ação complementará as transações feitas com dinheiro, cartões e Pix. O Banco do Brasil destaca que o pagamento offline possibilitará a exploração de novas maneiras de utilizar o Drex em transações do dia a dia, como em pequenas compras, pagamentos de serviços e mesadas.

Inclusão financeira

Outra característica importante é que a novidade aumentará o acesso à moeda digital. E isso se estenderá para pessoas com dificuldade de internet. O resultado será maior promoção da inclusão financeira de pessoas que não têm acesso a internet. Além disso, será possível realizar transações seguras em estabelecimentos locais por meio de dispositivos como pulseiras ou anéis.

Neste aspecto, segundo dados do Banco Central do Brasil, em 2020, na pesquisa “O brasileiro e os hábitos de uso de meios de pagamento [2019]”, as compras com dinheiro dominavam: 77% consumidores pagavam com dinheiro em espécie, sendo ele o principal meio de pagamento, seguido do cartão de débito, com 12%, do crédito, com 7%.

A pandemia da Covid-19 acelerou uma transformação. No ano passado, os brasileiros bancarizados mantinham, em média, contas em quatro bancos simultaneamente. A informação consta em um levantamento encomendado pelo Google aos institutos Quantas e Liga Pesquisa. Ao todo, 190 milhões de brasileiros tinham conta em banco em 2023.

Contudo, mesmo com todo esse avanço, nos últimos três meses de 2023, 29 milhões de pessoas não tinham acesso à internet. Tais dados foram coletados pela pesquisa Tecnologias de Informação e Comunicação nos Domicílios Brasileiros (TIC) Domicílios 2023, realizada pelo Comitê Gestor da Internet no Brasil.

Os excluídos

Esse público – de excluídos – é o ponto chave para o estudo. Quem explica é o próprio Banco do Brasil, que diz que a ampliação do Drex beneficiará as pessoas com dificuldade de acesso à internet, sem inclusão financeira ou que vivam em locais com infraestrutura precária. “Pessoas sem contas bancárias podem carregar carteiras digitais em um dispositivo, que pode até ser um acessório como pulseira ou anel, e fazer transações seguras em comércios locais”, diz o BB em nota.

A solução em estudo foi apresentada no programa Laboratório de Inovações Financeiras e Tecnológicas (Lift Challenge), promovido pelo Banco Central.

Quando estiver em pleno funcionamento, no pagamento offline, as transferências dos dados criptografados entre as contas serão garantidas pelo protocolo de segurança criado pela G+D, uma empresa global que fornece soluções para segurança digital, plataformas financeiras e tecnologia monetária. A companhia também atua no desenvolvimento de projetos mundiais de moedas digitais de Bancos Centrais, como o Drex. O Banco do Brasil participa oficialmente do projeto-piloto do Drex.

Uso de dinheiro

Outra pesquisa que aponta que o uso do dinheiro em espécie continua expressivo no Brasil é da Tecban, empresa de tecnologia bancária e de soluções financeiras. Nela, ficou provado que 29% dos brasileiros usam o dinheiro físico como uma das principais formas de pagamento. Nas classes C, D e E esse número sobe para 32%. Na Região Nordeste, o índice chega aos 40%.

Em resumo, entre os motivos pela preferência pelo papel moeda, informou o levantamento, estão a dificuldades de conexão com a internet e a falta de conta ou cartão de crédito.

Em contrapartida, uma solução que permita pagamentos sem conexão com a internet, de forma prática, segura e simples, “tem potencial para se tornar um meio de pagamento alternativo ao dinheiro em espécie, além de popularizar o Drex”, finaliza o Banco do Brasil.

Diante da falta de atendimento adequado nas concessionárias de energia elétrica, a pergunta é: “Qual o futuro do atendimento e da defesa do consumidor sobre o prisma da IA?

Esse questionamento será debatido – e respondido – durante A Era do Diálogo de 2024, que está na 12ª edição. O evento está programado para acontecer no dia 7 de maio, no Hotel Renaissance, em São Paulo. Seu objetivo é unir vozes para moldar o futuro das relações entre empresas, órgãos reguladores e o consumidor.

Assim, A Era do Diálogo é um espaço onde diversos elos da cadeia de prestação de serviço debaterão soluções para os desafios enfrentados em nível individual e coletivo. Saiba mais em: A Era do Diálogo

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]