Pesquisar
Close this search box.
/
/
Jogos (quase) vorazes

Jogos (quase) vorazes

Ser reconhecido como viciado em videogame não era algo pejorativo há alguns anos. Pelo contrário. O vício era um status poderoso entre gamemaníacos, que viam o jogador inveterado como uma espécie de ídolo.

Embora a máxima continue forte no universo gamer, a percepção começou a mudar nos últimos anos, principalmente com o avanço dos jogos on-line e a massificação dos videogames. Mário e outros personagens também foram incluídos na lista de atividades que podem resultar na chamada síndrome do jogo patológico.

O estudo do vício em videogames é relativamente novo no mundo. Até por isso, não se sabe a real dimensão do problema. Mais do que isso: para alguns, isso ainda não é um problema.
Os pais de um jovem jogador, claro, discordam. Aliás, os pais de jogadores inveterados ao redor do mundo é quem acenderam a chama da discussão sobre o assunto, que um dia foi visto como uma brincadeira de criança. Inofensivo até. A mudança deu início a partir de uma simples observação paterna: o filho não quer sair de casa para brincar ou fazer outra atividade. Só quer jogar videogame.

Essa falta de disposição por outras coisas chamou a atenção de especialistas, que logo viram semelhanças entre os vícios do videogame e das drogas. Em comum, ambos os viciados apresentam três grandes sintomas: crise de abstinência (irritação sem o jogo), muitas horas imersas no jogo e a chamada fissura, ou seja, a sensação intensa de necessidade de estar conectado ao jogo ? o que pode resultar em gastos excessivos e até pequenos furtos por causa do videogame. Além disso, as consequências mais conhecidas entre os jovens é a evasão escolar, a nota baixa e a falta de contato do jogador com outras pessoas.

O aumento da quantidade de pessoas conectadas à internet ao redor do mundo e o surgimento de mais e jogos on-line elevou o alerta contra o aumento do vício. A preocupação de especialistas é com o chamado Massively Multiplayer On-line Role Playing Game (Jogos de interpretação de personagens on-line com vários jogadores). O caso mais emblemático desse jogo é o World of Warcraft.
O jogo World of Warcraft, aliás, aparece em uma lista dos 10 casos de vício extremo elencadas pelo site especializado em tecnologia, o Hypescience.com. A lisa foi feita em 2010. Nela, aparecem nada menos que dois casos escabrosos de viciados que resultaram até mesmo em morte. Em um deles, um jovem chinês ateou fogo em um colega de escola após um desentendimento. O site afirma que o jovem agressor teria o poder de um mago presente no jogo on-line. Clique aqui para acessar o link.

10 casos de vício extremo em videogame

Tratamento

Uma das regiões no planeta onde o vício é levado a sério é na Ásia, em especial na Coreia do Sul. Foi lá que, em 2011, foi inaugurada a primeira clínica exclusiva para esse tipo de tratamento na Ásia ? a primeira surgiu na Inglaterra em 2010. Na época, o governo sul coreano afirmou que a clínica era necessária diante da quantidade de viciados verificada no país: 14% dos jovens jogadores se encaixavam na categoria de compulsivos e precisavam de tratamento. Atualmente, há até mesmo medicação para o tratamento do mal.

Outros países seguiram o exemplo sul coreano e abriram suas clínicas, como foi o caso dos Estados Unidos e da Alemanha.

No Brasil, o debate sobre o assunto é tão precário quanto o tratamento de jogadores de outras práticas lúdicas mais antigas, caso do bingo –  um problema igualmente crônico e que alimenta uma rede de bingos clandestinos em todo o país. Por aqui, pouco se sabe de pessoas viciadas em videogames. No entanto, um estudo desenvolvido pelo Hospital das Clínicas e a Universidade Federal de São Paulo dá uma pista: 1% dos 192 milhões de brasileiros (ou quase dois milhões de pessoas) são jogadores patológicos de dos mais variados jogos (bingos, caça-níqueis e tantos outros).

Veja algumas reações de jogadores compulsivos:

 

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]