Pesquisar
Close this search box.
/
/
Consumidor consegue ver sustentabilidade nas empresas?

Consumidor consegue ver sustentabilidade nas empresas?

Meio ambiente, responsabilidade social e mundo corporativo são universos que, mais do que nunca, estão atrelados, mas isso é real ou apenas uma ideia de como a sustentabilidade deveria acontecer nas empresas?

 

Duas pesquisas sobre a área ambiental e o mundo corporativo, feitas recentemente, viraram motivo de preocupação. Uma delas, guiada pela empresa britânica Verdantix, foi realizada com 250 líderes empresariais em 13 países. A outra, elaborada pelo Boston Consulting Group (BCG) em parceria com o Instituto de Tecnologia de Massachusetts, o MIT na sigla em inglês, entrevistou 2.300 diretores de empresas. O resultado das duas pesquisas revelou que a maioria dos executivos só se interessa por sustentabilidade se o assunto significar redução de custos.

De acordo com o resultado das pesquisas, cerca de 90% dos entrevistados contaram que é o fator lucratividade que os fazem inserir a empresa no mundo ?ecologicamente correto?. Além disso, poucas empresas investem mais do que 2% em ações de sustentabilidade, o que é preocupante devido ao impacto que a maioria das corporações causa na natureza.

Apesar de o tema ter passado a receber destaque na mídia a partir da década de 1970 com a realização de uma conferência da Organização das Nações Unidas (ONU) na cidade de Estocolmo, os empresários ainda acham que é cedo para pensar de forma mais séria sobre o assunto. É o que aponta a pesquisa da Verdantix: a maioria dos entrevistados afirmou que a sustentabilidade é importante, mas não agora.

Entre as iniciativas que visam aproximar o empresário e o tema sustentabilidade, o professor Heiko Spitezeck, professor e gerente executivo do Núcleo de Sustentabilidade da Fundação Dom Cabral dividiu o conceito de geração de valor compartilhado em três itens: gestão de riscos, redução de custos e a diferenciação do mercado. ?Infelizmente, o comércio varejista só começa a aprender e adotar essas medidas quando o problema aparece?, acrescentou.

De acordo com José Goldemberg, presidente do Conselho de Sustentabilidade da FecomercioSP, o fato de a água não ter acabado em São Paulo é um ?milagre?. Ainda segundo o presidente do conselho, ações dos consumidores, como banhos mais curtos, não lavar calçadas e instalação de restritores de pressão e vazão impediram que a crise se agravasse.

?Os empresários precisam de estímulos?, afirmou o presidente do conselho, ao comentar sobre a quinta edição do Premio Fecomercio de Sustentabilidade, que tem como premissa estimular práticas sustentáveis, que, ao mesmo tempo, também agreguem valor a novos modelos de negócios, serviços e produtos.

Segundo o estudo da DOM Strategy Partners, o policiamento social é a tendência com maior destaque na pesquisa, pois foi lembrada por 88% dos executivos, podendo ser aplicada entre um e três anos com a perspectiva real de adoção para 85% dos entrevistados.

Daniel Domeneghetti, autor da pesquisa e CEO da DOM Strategy Partners, acredita que a regulamentação e punição das empresas seria um bom caminho para convencer as companhias da necessidade de adoção de práticas sustentáveis. ?Não há apoio ou retorno, nem pelo amor, nem pela dor. Se as pessoas pagassem mais por produtos e serviços sustentáveis ou punissem as empresas, o cenário seria diferente?, comenta o executivo.

?Ainda há poucas empresas que compreendem o termo sustentabilidade de forma global?. A afirmação é de Laura Pires, gerente de sustentabilidade corporativa do Grupo Pão de Açúcar, que, durante o evento, destacou a luta da marca contra todos os tipos de preconceitos e discriminações.

A executiva explicou que a palavra sustentabilidade não está ligada somente com o meio ambiente. Por isso, o grupo firmou parceria com a APAE e contrata funcionários que possuem deficiência intelectual e autismo. Em 2014, cerca de 50 aprendizes foram admitidos e a meta para 2015 é chegar a 200.

Para Eduardo Tirlone, coordenador do MBA Perícia, Auditoria e Gestão Ambiental do Instituto de Pós-Graduação e Graduação (IPOG), esse é um dos pontos de deficiência na área de Gestão Ambiental em todo o mundo, inclusive no Brasil. Mas o problema não se resume a isso. Segundo ele, quando o planejamento ambiental existe, ele é, na maioria das vezes, bastante falho. Além disso, avalia Tirlone, as normas e legislações ambientais são ignoradas pelas pessoas e corporações.

?O país acaba gerando resíduos desnecessários e em grande volume, por causa do crescimento populacional, continua permitindo o desmatamento, desperdiçando água, e mais uma série de outros problemas?, alerta Tirlone.

* Sustentabilidade e sua relação com o consumidor será um dos temas abordados pelo Conarec 2015 (Congresso Nacional das Relações Empresa-Cliente), nos dias 1 e 2 de setembro. Veja a programação e cobertura do evento pelo site Conarec.com.br

 

LEIA MAIS:

Crise faz consumidor adquirir novos hábitos no supermercado

Onde estão os juros bancários que você paga?

O que faz o custo de vida da classe média aumentar?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]