Pesquisar
Close this search box.
/
/
Qual é o real valor de uma inovação em ganhar escala na jornada do cliente?

Qual é o real valor de uma inovação em ganhar escala na jornada do cliente?

Relatório mostra como startups ganham cada vez mais espaço e investimentos no mercado

O movimento das startups é relativamente recente no Brasil, um dos países considerados berço para esse formato de empreendedorismo. E o modelo parece estar dando certo por aqui: de acordo com o relatório Inside Venture Capital Report 1/2021, as startups brasileiras já movimentaram bilhões de reais em 2021 (sim, apenas no primeiro semestre).

Esse número é capaz de mostrar algumas informações: a inovação proposta pelas startups ganhou o mercado ao conquistar a jornada do cliente, o que algumas empresas de grande porte ainda têm como desafio.

O mercado de Startups

O termo startup surgiu entre o fim da década de 1990 e começo do século XXI. Naquele momento, a palavra referia-se principalmente a empresas do ramo de tecnologia que estavam começando seus negócios. Com isso, houve um aumento das ações desse tipo de empresa, criando uma bolha especulativa no mercado financeiro.

Essas empresas passaram a ser chamadas de startups, pois colocavam uma ideia em funcionamento de maneira rápida e com potencial de fazer dinheiro, o que se aproxima do significado do termo.

Aqui no Brasil, já são mais de 13 mil startups ativas, sendo que muitas já chegaram ao patamar de unicórnio, quando passam a valer mais de 1 bilhão de dólares. Nubank, 99, Gympass e Quinto Andar são alguns desses unicórnios.

Segundo o estudo Corrida dos Unicórnios, do Distrito, essa lista ainda tem muito a crescer. Apenas em 2021, é esperado que 17 outras startups “consigam seu chifre” ainda em 2021, sendo Neon, ContaAzul e Dr. Consulta alguns dos principais nomes do mercado no Brasil atualmente.

O investimento em Startups

Considerando a quantidade de investimento colocado no mercado de startups brasileiro, tais resultados não tinham como ser diferentes. Segundo o Inside Venture Capital Report 2021, também do Distrito, tais resultados não tinham como serem diferentes.

De acordo com os dados do hub de inovação, apenas no primeiro semestre de 2021 as startups brasileiras movimentaram cerca de 5,6 milhões de dólares em investimento. Em comparação com o mesmo período no ano passado, esse número representa um aumento de 35% nos investimentos.

Apenas no mês de junho de 2021, os dados mostraram que houve investimento de 484,4 milhões de dólares no mercado nacional, número 20% abaixo de 2020 para o mesmo mês, mas ainda indicando crescimento na quantidade geral do ano, principalmente nos aportes, que já chegaram a 412 até agora, podendo superar 2020.

Nos primeiros meses do ano, alguns setores se destacaram ao receber investimentos: as fintechs (do mercado financeiro) foram as que mais receberam investimento, entrando na casa dos US$ 2,6 bilhões. Depois vieram, real estate (imobiliário) com US$ 851,3 milhões e a retailtechs (soluções para o varejo) com US$ 607,9 milhões. Outro mercado que chamou atenção foi o healthtech (saúde e bem-estar), com US$ 33,1 milhões apenas em julho deste ano.

Impulsionadas pela pandemia, as healthtechs estão em pleno desenvolvimento; saiba como startups de saúde planejam revolucionar o setor

No setor de fusões e aquisições, outro importante para o mercado de startups, o primeiro semestre fechou com 134 operações, o que já mostra um potencial de atingir uma marca maior do que em 2020, quando foram feitas 163 operações durante todo o ano. Nesse caso, as fintechs também são destaque.

Jornada do cliente e inovação

Um dos grandes diferenciais das startups é a maneira de trabalhar a jornada do cliente. De maneira geral, um consumidor ou cliente passa por três principais etapas antes de finalizar uma compra ou contrato: a consciência, a consideração e a decisão. O primeiro passo, é quando ele percebe que tem um problema e isso pode acontecer tanto diretamente quanto indiretamente.

Por exemplo, quando o Quinto Andar passou a oferecer um jeito mais prático de alugar um apartamento, mostrou aos seus possíveis clientes que existia uma maneira mais fácil de fazer um processo que já havia sido “aceito” pelas pessoas como algo complicado. Assim, mostrou para eles um problema (a alta burocracia no processo de aluguel de espaços) e deu uma solução.

Mudar a maneira como o cliente enxerga a jornada do cliente, a partir da inovação, é um dos diferenciais do modelo de startups. Em 2021, outras quatro empresas brasileiras se tornaram unicórnios ao trazerem mudanças inovadoras para essa jornada do cliente: MadeiraMadeira, C6Bank, MercadoBitcoin e a Hotmart.

Segundo o Distrito, um dos propósitos do hub é exatamente incentivar e apoiar o crescimento dessas empresas que visam a inovação para tornar a vida do cliente mais fácil de alguma forma. “A tecnologia cria inclusão, acesso, economia, conexão, proximidade, transparência, escalabilidade. Está na tecnologia o poder de resolver muitos dos problemas do mundo. Está no empreendedor a responsabilidade de utilizá-la para melhorar a vida das pessoas”, diz a página institucional do hub.

experiência-do-cliente

O futuro do mercado

Analisando os dados apresentados no relatório do Distrito, é possível notar o crescimento das startups no Brasil. Mesmo com tantos unicórnios, isso não quer dizer que todas as criadas conseguem o mesmo feito.

De acordo com publicação de 2018 da Agência Brasil e pesquisa Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) e pelo Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, cerca de 30% das startups consultadas durante o estudo acabaram fechando seus negócios. O principal motivo: falta de investimento.

Outro estudo da CB Insights também mostrou esse problema, mas acrescentou que outra razão comum é o fato de muitas delas não conseguirem espaço no mercado pois não apresentam uma solução real para o mercado. Ou seja, não apresentam uma mudança significativa na jornada do cliente, ou oferecem algo ainda distante do dia a dia das pessoas e empresas.

Mesmo assim, dados do Distrito mostram o que o hub de inovação já afirma há algum tempo: as startups vieram para ficar e mudar a maneira como o mercado e as pessoas se comportam.


+ Notícias

O importante papel das startups para a transformação digital nas empresas

O mercado (superaquecido) das startups brasileiras

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]