Pesquisar
Close this search box.
/
/
Storytelling para gestão de pessoas: como fazer?

Storytelling para gestão de pessoas: como fazer?

Criar uma história capaz de gerar propósito e vínculo emocional dos colaboradores com a empresa é um caminho valioso

Toda história fica mais fácil de ser entendida quando são usados elementos que aproximam ou despertam o interesse dos interlocutores. E, na gestão de pessoas, esse recurso também pode ser utilizado. Ou seja, usar uma narrativa atraente, persuasiva e elaborada faz parte do storytelling para gestão, como uma ferramenta para engajamento dos colaboradores.

O storytelling – a contação de histórias – neste contexto, segundo o professor da FGV EBAPE, José Mauro Gonçalves Nunes, é uma forma de comunicação inicialmente criada no âmbito da Gestão de Marcas, que procura conectar consumidores a essas a partir da construção de histórias relacionadas à criação da marca e de sua identidade.

Essas histórias devem despertar reações emocionais nos consumidores, a fim de gerar compra, engajamento e lealdade para com a marca e a empresa que lhe é detentora.

“Nesse sentido, para a gestão de pessoas, o storytelling é uma poderosa ferramenta no desenvolvimento de vínculos motivacionais e emocionais para com a organização, uma vez que possibilita que os colaboradores possam se identificar com os valores e atitudes da empresa, gerando motivação, engajamento, propósito e senso de pertencimento com as equipes”, explica o professor.

Usando o storytelling para gestão

Contar histórias faz parte da natureza humana. Antes que a escrita existisse era através da narrativa de um acontecimento que os humanos compartilhavam experiências e aprendiam uns com os outros. Milênios mais tarde essa forma de comunicação ainda encanta, atrai a atenção, podendo ser educativa, divertida e agregadora.

O storytelling pode ser utilizado em treinamentos, capacitações e desenvolvimento de pessoas, a fim de gerar identificação dos colaboradores com a missão, valores e propósito da organização.

Além disso, a técnica é indicada também em processos de team building, onde há a necessidade de se construir equipes de alto desempenho, que tenham alto foco na tarefa e elevado nível de resiliência frente aos desafios que a organização enfrenta.

Mas, para colocar em prática, é preciso estruturar as capacitações ao redor de uma história poderosa que gere propósito e vínculos emocionais dos colaboradores para com a empresa.

Para o professor da FGV, é preciso também mostrar como essa história e seus valores se manifestam em todas as atividades da empresa nos mais diferentes setores, seja no contato com o cliente externo, seja nos processos ou nos relacionamentos de sinergia e colaboração envolvendo os clientes internos.

Além disso, é preciso criar atividades práticas nos treinamentos que ilustrem a aplicação do storytelling nas atividades de trabalho. “Além de criar motivação, engajamento e senso de propósito nos colaboradores, o storytelling é uma poderosa ferramenta a ser utilizada nos processos de team building, além de proporcionar a visão de dono por parte dos colaboradores e das equipes de trabalho”, pontua José Mauro Nunes.

Mas, como tirar as ideias do papel?

A informação mais relevante é conhecer o público-alvo, ou, no caso da gestão de pessoas, os colaboradores da empresa. Em seguida, é preciso saber qual a necessidade que será preciso desenvolver e qual a melhor maneira para apresentar essa ideia em forma de storytelling.

Para isso, será necessário criar modelos de personas, estudando os hábitos dos colaboradores e conversando com as pessoas para levantar esses perfis.

Se a ideia é criar um storytelling, por exemplo, para engajar pessoas a se inscreverem em um treinamento sobre segurança no trabalho, converse com alguém que já participou e colheu resultados.

Assim, é possível criar um roteiro com a participação desse funcionário, mostrando que ele é também um colaborador, como os demais, e que recebeu um impacto positivo no seu dia a dia ao participar desse treinamento. A partir dessa premissa, é possível fazer um storytelling, contando histórias reais, e engajar as pessoas a participarem mais dos treinamentos (e, de quebra, assimilarem melhor o conteúdo passado).

O caso da história da Nike

Compartilhar histórias de sucesso ou até mesmo de erros, em alguns casos, ajuda a moldar o relacionamento de uma empresa com seus colaboradores.

Na Nike, por exemplo, os executivos seniores são designados como contadores de histórias corporativas. Eles contam a história de Phil Knight, cofundador da Nike, vendendo tênis de corrida no porta-malas de seu carro, além da história de como o outro cofundador da marca, Bill Bowerman, despejou borracha no aparelho de waffle de sua esposa para criar a sola de um tênis de corrida melhor.

As equipes da marca entenderam há muito tempo que aproveitar a emoção a serviço da narrativa é uma estratégia muito mais eficaz para a construção da marca do que enumerar recursos e benefícios.

“Por que as pessoas se casam ou fazem alguma coisa?” Phil Knight disse para a Harvard Business Review em 1992. “Por causa de laços emocionais. É isso que constrói relacionamentos de longo prazo com o consumidor, e é disso que tratam nossas campanhas. Nossa publicidade tenta conectar os consumidores à marca Nike por meio das emoções dos esportes e do condicionamento físico. Mostramos competição, determinação, realização, diversão e até mesmo as recompensas espirituais de participar dessas atividades”, explicou o cofundador da empresa de material esportivo à época.

E, na Nike, o recurso de storytelling possibilitou o sucesso da construção de sua marca, que aconteceu através da capacidade de promover a conexão por meio de narrativas emocionantes, seja com seus consumidores ou colaboradores.


+ Notícias 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]