Pesquisar
Close this search box.
/
/
Sem sair de casa: os benefícios ecológicos do home office

Sem sair de casa: os benefícios ecológicos do home office

A ONU ressalta que as empresas podem reduzir o impacto ambiental com medidas eficientes nos escritórios, como o deslocamento responsável e a eliminação de resíduos

Isto chama a atenção para a necessidade das empresas de apoiar iniciativas como o home office. Não há como negar que ele ajuda no aumento da produtividade, porque os estudos têm provado que um funcionário que mantém o equilíbrio entre o trabalho e uma vida saudável possui um alto nível de satisfação e é muito produtivo.
Outra vantagem está no fato de que, dessa forma, ele ajuda a empresa a economizar dinheiro com a redução de custos, além de aumentar a eficiência gerada pela economia de tempo.

O home office também traz vantagens sob o ponto de vista ecológico, resultantes do corte de horas de deslocamento, reduzindo, assim, as emissões de gases que causam o efeito estufa. Graças a essa iniciativa, é possível diminuir o número de viagens ao trabalho e, assim, reduzir a poluição, os gastos de energia e o desperdício de papel.

Menos deslocamento
De acordo com um estudo divulgado em 2013 pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), o tempo de deslocamento entre a casa e o trabalho em uma cidade como São Paulo, por exemplo, costuma ser de 42 minutos, em média. Com isso, o tráfego torna-se a principal causa da poluição.

Segundo dados da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo, todos os anos, cerca de 7 mil pessoas morrem prematuramente na cidade em decorrência de problemas respiratórios causados pela poluição atmosférica. Graças a iniciativas como o home office, é possível reduzir a quantidade de horas usadas no deslocamento até a empresa e das horas de voo associadas ao trabalho.

Menos passageiros significa menos congestionamentos e menos acidentes, o que também significa menos poluentes e melhora na qualidade do ar. Com um software de compartilhamento remoto e seguro, a colaboração online está habilitada para qualquer dispositivo. Os funcionários podem chegar de qualquer lugar e acessar seus computadores do escritório para compartilhar arquivos, trabalhar e salvar documentos como se estivessem sentados em frente às suas máquinas. O resultado disso é menos emissão de carbono, ao mesmo tempo em que o home office garante a estabilidade ambiental.

Menos consumo de energia
Na Espanha, por exemplo, o estudo Efficient Energy among SMEs, de 2015, aponta que as pequenas e médias empresas daquele país poderiam economizar até 25,9% ao adotar medidas com foco na eficiência energética. Já faz muito tempo desde que ficou estabelecido que a taxa de consumo de energia dos escritórios equivale ao dobro do consumo dos equipamentos usados no home office. Os funcionários podem, portanto, trabalhar de suas próprias casas.

Para as empresas, isso se traduz em menos espaço de trabalho e armazenamento. Em outras palavras, com mais pessoas em casa, as empresas podem economizar dinheiro com aluguel de salas e, assim, diminuir seu uso da energia. Isso significa que elas podem preservar muita área verde e, ao agirem assim, aumentam seu compromisso de responsabilidade social corporativa.

Menos papel e menos armazenamento
Os adeptos do home office usam menos papel e preferem opções digitais, como o PDF e outros documentos eletrônicos. Menos uso de papel significa menos espaço de armazenamento, que também se resume à redução da necessidade de construção de outros espaços físicos para esta finalidade. As novas tecnologias de armazenamento em nuvem também servem de grande ajuda para trabalhadores com esse perfil, permitindo que reduzam suas necessidades por mais espaço.

De acordo com o Programa Ambiental das Nações Unidas (Unep), o consumo de energia dos setores de transporte e serviços está aumentando de forma global. Em grande parte, isso acontece devido ao aumento das viagens e do transporte de cargas. O ano de 2050, quando a população mundial deverá atingir 9,6 bilhões de pessoas, está se aproximando do nosso planeta. Segundo a Unep, se continuarmos a manter os atuais padrões de produção e consumo, precisaremos de três planetas para sustentar nosso estilo de vida. Com o home office, empresas e funcionários têm um caminho por meio do qual podem ajudar a salvar nosso planeta.

***

 Kornelius Brunner é diretor de Gerenciamento de Produtos da TeamViewer, empresa focada no desenvolvimento e distribuição de soluções high-end para comunicação on-line, colaboração e monitoramento remoto de sistemas de TI.

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]