Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como Richarlison ajuda a entender a Geração Z

Como Richarlison ajuda a entender a Geração Z

Como as empresas podem se aproveitar da mudança de comportamento e perspectivas que a nova geração de jogadores de futebol mostra dentro e fora dos campos

Richarlison foi o destaque na estreia da seleção brasileira na Copa do Mundo do Catar. Os dois gols no primeiro jogo contra a Sérvia – sua primeira partida em Copas – fizeram o camisa 9 cair ainda mais nas graças da torcida. Mas não é só o posicionamento em campo do atacante que tem chamado a atenção para Richarlison, de 25 anos. Fora de campo ele é engajado em questões raciais e sociais, e não tem medo de falar o que pensa, inclusive em English, my friend.

O comportamento de um dos representantes da nova geração da seleção brasileira é engajado em causas sociais. E não se trata de uma atitude isolada, mas reflexo de uma geração: a Z. Richarlison incentivou a vacinação contra a Covid-19 e é embaixador do programa USP Vida; protestou contra o racismo após as mortes de George Floyd nos Estados Unidos e do adolescente João Pedro, morto em uma operação policial no Rio; defende causas ambientais – e pediu buscas por Dom Phillips e Bruno Ribeiro.

Leia Mais: Como atrair a nova geração de consumidores do futebol?

Na primeira entrevista coletiva na Copa, Richarlison criticou as restrições impostas pela Fifa ao uso da braçadeira “One Love”, com cores do arco-íris. “Independentemente de qualquer coisa, temos que respeitar. Não sei o que vão fazer aqui, se vão entrar com faixa, mas eu apoio qualquer ato. Vivemos num mundo perigoso, onde não podemos ter opiniões. Seja contra o racismo ou a favor do movimento LGBTQIAP+. Eu apoio qualquer movimento”.

Para Gabriel Tavares, consultor de pesquisas da WGSN, a postura pública de Richarlison é um exemplo da visão de muitos da Geração Z. Eles realmente entendem que essas ações – tanto individuais quanto coletivas – têm um peso muito grande. “O acesso à informação que eles têm hoje fundamenta a crença na capacidade deles de influenciar o que acreditam, desde políticas públicas até comportamentos de marca”.

Assine nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

O atacante Kylian Mbappé, ídolo da atual campeã mundial, a França, tem apenas 23 anos. Ele se recusou a participar de algumas ações publicitárias com os patrocinadores por não querer associar sua imagem a determinadas marcas. Segundo o jornal Le Parisien, Mbappé não deseja ver seu nome ligado à Coca-Cola e KFC (junk food) assim como à BetClic (de jogo de azar). O camisa 10 francês exige mudanças no contrato de uso de direitos de imagem dos jogadores com a federação francesa, atualizado pela última vez em 2010, e ter mais controle sobre si.

“A busca por autenticidade marca muito o comportamento dessa geração. As pessoas são marcas hoje, então digamos que esse collab, esse cobranding precisa fazer muito sentido para que o consumidor confie e não haja desgaste para nenhuma das 2 marcas – tanto dessa pessoa que tem um poder de influência quanto da empresa à qual ela se vincula”, aponta Tavares.

Outro jogador brasileiro que também se coloca é Vinícius Jr. Um dos destaques na segunda partida da seleção brasileira na Copa do Catar (com direito a um belo um gol anulado), ele usa muito suas redes sociais para falar sobre oportunidades e contra a discriminação. Recentemente, ele, que joga no Real Madrid, foi vítima de racismo na Espanha, gerando um movimento gigante #BailaVini #BailaViniJr e transformou isso num vídeo tão inspirador quanto seus passes e gols.

Leia Mais: Marketing de influência e Copa: qual a melhor jogada?

Essa geração é a primeira do futebol que se comunica através das redes sociais, mais do que em uma relação mediada com a imprensa, lembra o jornalista esportivo Bruno Guedes. Se por um lado isto é positivo, por outro perde-se a espontaneidade do contato “desprevenido”. “Avalio que é uma geração muito bem treinada para se comunicar. Mas quando a gente vê o Richarlison, por exemplo, que tuíta como fala, é perceptível que ele é autêntico e se posiciona – e não se esconde”.

“A geração Z começou a ser socializada em um mundo que é uma disputa constante por atenção, em que se misturam marcas, pessoas, personas e personalidades. Para outras gerações, como Millenials, Boomers pode ser muito confuso, mas é uma noção que a Geração Z tem, de que deve fazer valer a atenção que recebe. Essa consciência de fazer isso valer de alguma forma é muito forte dentro deles”, explica Tavares.

O futebol desafia a forma como a Geração Z se organiza, muito mais no contato um a um, individual e personalizado, aponta o pesquisador da WGSN. “Ela precisa de permeabilidade, de porosidade, de poder influenciar de alguma forma isso e acho que o futebol, da forma que ele é construído socialmente, acaba se tornando um pouco impositivo”.

Conheça o Mundo do CX

Por outro lado, o Brasil se tornou nos últimos anos um país de jogadores de jogos digitais, as pessoas estão consumindo marcas de futebol dentro de ambientes digitais. Para Tavares, o que pode aproximar ainda mais a Geração Z da ‘paixão nacional’ é a multiplicidade de formas de participar da Copa. Um dos exemplos é Casimiro. As transmissões dos jogos do Mundial pelo Youtube bateram recordes de audiência. O streamer teve mais de 5 milhões de pessoas assistindo às lives da seleção na Cazé TV, ao narrar os jogos com toda a verve que o tornou um dos queridinhos do Brasil em 2022.

“Isso não é à toa, é porque o conteúdo não vem embalado como futebol, o conteúdo é consumido a partir de outra perspectiva. O entretenimento está sendo pulverizado cada vez mais, as pessoas buscam outro tipo de entretenimento, o que faça mais sentido para ela. O futebol é um traço da nossa cultura como brasileiros, mas a forma que nós consumimos mudou”, finaliza Tavares.


+ Notícias

Respeito é atender às mudanças de hábitos dos clientes

O que a Copa do Mundo pode nos ensinar sobre diversidade?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]