Pesquisar
Close this search box.
/
/
O poder da resiliência para as empresas

O poder da resiliência para as empresas

Estar sempre preparado para se adaptar a mudanças e valorizar colaboradores com perfil flexível são características de uma gestão inteligente

Você já pesquisou sobre o significado da palavra resiliência? Basicamente, é a capacidade de adaptar-se às mudanças. No meio corporativo isso faz uma enorme diferença, podendo determinar o sucesso, a liderança ou mesmo a permanência de uma empresa no mercado. Não por acaso, é uma palavra com semelhanças na escrita, na sonoridade e no significado de outro vocábulo da língua portuguesa: resistência.

Quando pesquisada no dicionário, é possível encontrar definições como “ação ou efeito de resistir, de não ceder nem sucumbir; tendência para suportar dificuldades”. Pois bem, no ambiente corporativo, todos esses significados descrevem uma empresa resiliente: aquela que tem a flexibilidade e a capacidade de adaptação como características presentes em sua gestão.

Com a chegada da pandemia, a resiliência ganhou nova dimensão e assumiu uma importância maior entre as empresas, que precisaram reestruturar o formato de trabalho, incluindo a relação com colaboradores e fornecedores, e principalmente o relacionamento estabelecido com seus clientes.

“Na pandemia, praticamente todas as pessoas tiveram que migrar da noite para o dia para o home office, conciliando trabalho e vida pessoal em um mesmo ambiente. O medo do vírus, os desafios no trabalho, a insegurança pessoal e profissional exigiram mais resiliência para atravessar esse momento. No ambiente corporativo, a resiliência consiste em entender o momento, mostrar mais flexibilidade para atuar em momentos de crise ou mais desafiadores, buscar conhecimento e resultados que sejam bons para a equipe e, consequentemente, para a empresa e seus clientes”, afirma Marcelo Ciasca, CEO da Stefanini Brasil.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Prova de resistência na gestão das empresas

Muitas empresas só percebem suas fragilidades e a dificuldade de adaptação quando são colocadas diante de adversidades. Nesse sentido, a pandemia de Covid-19 foi uma grande prova de resistência e também um divisor de águas para inúmeras corporações. Principalmente no Brasil, onde os desafios são constantes. “A resiliência é algo que faz parte do autoconhecimento para encontrar maneiras de lidar com as situações difíceis, mantendo o equilíbrio emocional”, acrescenta Ciasca.

Alguns resultados dessa necessidade urgente de adaptação das empresas foram constatados e descritos na pesquisa Building the resilient organization (Construindo uma organização resiliente), feita pela Deloitte, consultoria de negócios reconhecida mundialmente. De acordo com o estudo, antes de 2020, apenas 24% dos líderes se sentiam completamente preparados para enfrentar as dificuldades do mercado e somente 21% se sentiam totalmente confiantes de que seria possível fazer uma adaptação rápida se necessário.

Durante a pandemia, esses números sofreram alterações importantes. Segundo a pesquisa, 34% dos líderes passaram a se considerar preparados para enfrentar as adversidades e 30% afirmaram estar confiantes na resiliência das empresas comandadas por eles. Esses resultados apontam, mesmo que de forma indireta, para a importância de outro elemento nessa equação: o planejamento. “O planejamento deve ocorrer independentemente de uma situação adversa. A empresa que consegue se antecipar aos fatos e adotar medidas preventivas tem muito mais chances de aceitar as mudanças e transformá-las em oportunidades”, afirma o CEO da Stefanini Brasil.

O papel dos colaboradores em uma gestão de resiliência

No início do texto, o significado de algumas palavras foi destacado para deixar o entendimento mais claro. Pois bem, voltemos a invocar o dicionário para falar de um elo importantíssimo nessa corrente corporativa: os colaboradores – ou a parceria formada com eles. Por definição, parceria é uma reunião de indivíduos para alcançar um objetivo comum. Exatamente por isso, ter funcionários resilientes é fundamental para o sucesso de uma empresa.

“As pessoas resilientes têm mais facilidade de transpor obstáculos, por mais complicados que sejam. E ainda, têm mais facilidade de antecipar crises, prevendo-as e se preparando para elas. Considerada uma das principais competências do século 21, a resiliência não é baseada apenas em ações objetivas, mas também em mudanças de comportamento e quebras de paradigmas que poderão contribuir para que a empresa se torne resiliente”, afirma Ciasca.

Por isso, é muito importante que os líderes empresariais também invistam no ambiente colaborativo. Certamente, isso trará bons resultados internos, influenciando inclusive na resposta dos clientes/consumidores. “O ambiente colaborativo incentiva a resiliência na medida em que permite que as pessoas se sintam seguras. É um ambiente em que se pode arriscar e errar. Várias organizações estão em busca de profissionais capazes de administrar situações de conflito e estresse, ao mesmo tempo em que buscam formas de ampliar a produtividade”, observa o executivo.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Perfil flexível

Nesse jogo corporativo, ter colaboradores com perfil flexível é uma carta muito importante. Por esse motivo, gestores de todas as áreas estão em constante busca por essas pessoas. Segundo Ciasca, pessoas resilientes enfrentam situações difíceis com equilíbrio e serenidade. Tendem a ser mais flexíveis com elas mesmas e com as equipes. A resiliência é uma das características que permitem alcançar altos desempenhos.

Mas então, é possível treinar os colaboradores para serem resilientes? “A resiliência está mais relacionada ao autoconhecimento. A empresa pode orientar, mas é um processo mais pessoal. É a capacidade que a pessoa desenvolve para superar dificuldades, angústias ou estresse com uma visão diferente sobre cada situação. Não existe um manual para ensinar a resiliência, mas caminhos para que os profissionais reflitam sobre o momento e como transformar dificuldades e sentimentos em comportamentos mais flexíveis e resilientes”, ensina o CEO da Stefanini Brasil.

Segundo ele, para desenvolver a resiliência é importante ter consciência de qual é a sua principal busca, focar e valorizar as ações e sentimentos que promovam confiança, dar novos significados às crenças pessoais – ou torná-las menos rígidas – e mudar o comportamento diante de situações que fujam do controle.

“Em um mercado em que CX é a chave, adaptar processos, produtos e canais na visão da experiência é um elemento fundamental para a sobrevivência das empresas. E isso também é resiliência”, define Ciasca.

Segundo o executivo, a resiliência aumenta a capacidade de inovar, e consequentemente, de se destacar no mercado. “Resiliência é a capacidade de se adaptar a situações imprevistas. Inovar tem pela própria natureza da reinvenção o componente da resiliência. Para inovar, devemos aprender a desaprender. Devemos nos jogar a situações que não conhecemos, sempre atentos aos olhares diversos, que nos permitem buscar novas lógicas”, afirma.

 

*Por Patrícia Suzuki


+ Notícias

Cassio Azevedo, fundador da AeC, deixa legado de resiliência e transformação

O mito em torno da resiliência: entenda o que é e use a seu favor

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]