Pesquisar
Close this search box.
/
/
O jeitinho brasileiro de trocar cheque no boteco está com os dias contados?

O jeitinho brasileiro de trocar cheque no boteco está com os dias contados?

Ideia dos bancos centrais é cortar os custos de impressão e trazer mais controle e segurança sobre as operações financeiras

Os saques no Brasil responderam por 3,2% do que foi transacionado em dinheiro no segundo semestre de 2021, segundo dados obtidos pelo Banco Central. Se compararmos com o movimento do Pix, o percentual foi de 5,9%. Estamos falando apenas de uma solução digital de transferências e pagamentos lançada em novembro de 2020.

Leia mais: Pix parcelado: como funciona e o que muda para o consumidor?

Quando analisamos o meio circulante, é possível notar que o dinheiro em espécie teve sua primeira queda desde a criação do Plano Real, idealizado em 1994. As cédulas encolheram cerca de R$31 bilhões na comparação de 2020 com 2021. A tendência é que essa queda se acentue cada vez mais, entretanto, não podemos desconsiderar as cédulas tão logo. É um processo que leva tempo, maturidade da sociedade e principalmente empresarial. A queda do meio circulante está atrelada a diversos fatores.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Nos últimos dois anos, o varejo vivenciou uma transformação exponencial na área de pagamentos e, na maioria das vezes, as novas soluções acabaram substituindo o papel moeda. Podemos nos questionar: o dinheiro ainda tem uma função importante na era digital?

No meu entendimento, sim, mas com ressalvas. O real em espécie ainda possui um papel importante para a sociedade, especialmente, em segmentos sob perspectivas da geolocalização onde a tecnologia ainda não é realidade e empreendedores e varejistas estimulam pagamentos em dinheiro para driblar as taxas de compensações de crédito e débito, geralmente incômoda para pequenos pagamentos, aqui trago apenas um exemplo.

O Brasil possui dimensões continentais e quando olhamos para fora das grandes metrópoles, especialmente para o interior do país, o dinheiro ainda é muito pulsante. Para se ter ideia sobre o impacto do dinheiro físico, basta olharmos para os micropagamentos nas gigantescas filas das tradicionais casas lotéricas espalhadas em cada esquina onde o consumidor, por vezes, não se adequa às inovações das transações digitais.

Leia mais: Os impactos do consumo das classes C e D em 2021 no varejo brasileiro

Dito isto, o dinheiro em espécie continua com seu papel relevante para população das classes C, D e E. Esse é um cenário favorável para o Pix, que tende a crescer exponencialmente.

Você lembra que quando o Pix surgiu, em meados de 2020, tínhamos mais de 30 milhões de brasileiros desbancarizados? Hoje essa galera recebe e paga via Pix por conta do acesso via Caixa Econômica para recebimento de auxílios na época.

Nos últimos quatro anos o dinheiro encaminha-se para sua maior reinvenção global. A Europa caminha de forma mais eficaz nesse sentido, a moeda digital na Suécia é realidade e a meta por lá é emissão zero de francos suíços num futuro próximo.

O Brasil, os EUA e a China serão os próximos a adotarem essas mudanças. A ideia dos bancos centrais é cortar os custos de impressão e trazer mais controle e segurança sobre as operações financeiras. Essas inovações nos levam para um caminho sem volta, a digitalização. E um ponto importante, o lastro digital. Quanto o Brasil ganha com a transparência no rastreamento do dinheiro? Muito!

Para o varejista brasileiro, acostumado a colocar tudo na ponta do lápis para manter margem de lucro, existe uma equação semipronta que representa o custo monetário do dinheiro em espécie em torno de 0,3 a 0,5% do negócio. Já para os consumidores que possuem quatro saques mensais gratuitos nos caixas 24h, assegurados por lei, essa transformação chega como benefício de atratividade dentro do ecossistema financeiro. O “jeitinho brasileiro de trocar cheque no mercado ou no boteco” está com os dias contados.

Assine a nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

*Por Luiz Coimbra,  sócio e cofundador da Shipay, fintech de meios de pagamentos digitais.


+ Notícias

Como o brasileiro se comporta quando o tema é a educação financeira dos filhos? 

De olho no Pix: como a ferramenta vem transformando os negócios B2B 

 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]