Pesquisar
Close this search box.
/
/
Como sobrevivemos a empresas jurássicas em um mundo quase pós-pandemia?

Como sobrevivemos a empresas jurássicas em um mundo quase pós-pandemia?

As relações mudaram e o consumidor amadureceu, ganhou voz e urge por seus direitos, agora respeitados e valorizados pelas empresas da nova era

Assistimos e participamos ativamente do “novo normal”, da nova ordem mundial e vivenciamos as mudanças e esforços nossos e das empresas para sobreviverem, criarem e se estabelecerem neste mundo pandêmico. Um mundo cheio de barreiras, receios e com uma única certeza: que a ordem natural das coisas não voltaria nunca mais a ser como era.

O que de certa forma em alguns momentos foi acalentador. Vislumbrávamos um mundo pós-pandemia com a esperança de pessoas melhores, um mundo mais tolerante e, que unido, conseguiria romper barreiras, ser menos desigual, mas não foi. Vide as eleições para presidente no Brasil, Guerra na Ucrânia…

E cá estamos, aprendemos que sim, dá para repensar e recriar nossas vidas de outro modo, que podemos trabalhar remotamente e entregar um desempenho muito bom. As crianças podem estudar remotamente e aprender, e que o mundo acelerou e isso não tem volta.

As relações se acertaram e acomodaram em outro compasso, não só as humanas, mas também as que estabelecemos com as marcas, empresas.

Startups, novos modelos de negócios que já nascem em outro universo, mais leve, com propósitos transparentes, criado e estruturado por cabeças jovens, pensantes, sem vícios. Vamos nos desapegando de modelos que aos poucos não se fazem mais necessários.

Conheça o Mundo do CX

Não precisamos possuir música, apenas compartilhar e usufruir. Foi-se o tempo em que os jovens contavam os dias para completar 18 anos e estar aptos para dirigir seu carro – aplicativos de compartilhamento oferecem e muito mais para eles: caronas, liberdade de beber, poder dirigir o carro que quiser pelo tempo que quiser. Novamente a posse se torna obsoleta – o que vale é a experiência aliada à liberdade de escolha, de ser e de viver. O carro não é mais extensão de seu corpo, seu desejo está na liberdade de escolha e acesso.

Experiências de pertencimento em viagens e cidades, em vez de alugar quartos de hotéis, vivem a experiência da cidade tal qual um nativo – e surge o Airbnb. E este é só o começo dos novos tempos. Não dá para não mudar, para não acelerar, para não ver o que está acontecendo.

Mas, ainda tem muitas empresas que não conseguem engajar-se nestas mudanças. Algumas pelo peso da estrutura, outras pelos processos e pensamentos que não se alinham à nova ordem mundial.

Empresas que já dominaram seu mercado no passado e não conseguem seguir em frente atualizando-se: a hierarquia é rígida, a centralidade no lucro e retorno são cegas, não tem espaço para o reconhecimento e entendimento das experiências do consumidor, nem do fornecedor nem do colaborador, oferecendo experiências toscas.

As relações mudaram e o consumidor amadureceu, ganhou voz e urge por seus direitos, agora respeitados e valorizados pelas empresas da nova era e por algumas de longa data, mas que não se perderam na miopia de enterrar sua cabeça e não interagir com o mundo, nem com seus clientes.

Não adianta manter velhos padrões e tentar empurrá-los goela abaixo dos consumidores, pois não aceitamos mais. Temos um repertório emocional onde são armazenadas experiências com as empresas, portanto é como se tivéssemos um ranking atualizado instantaneamente dentro de nós. Cabe as empresas a inteligência de manter-se no topo ou ser frequentemente lembrada como a pior.

Assine nossa newsletter e fique atualizado sobre as principais notícias da experiência do cliente

Depois de cair muitas vezes no golpe da assinatura com cobrança automática no cartão de crédito e deixar que empresas como o jornal O Estado de São Paulo renovassem a assinatura com um acréscimo de 100% no valor cobrado, começo a me desligar de certas assinaturas que não se fazem necessárias e, pelo hábito e correria do dia a dia, não percebemos que não nos cabe mais, mudamos, precisamos atualizar nossas necessidades, gostos e gastos.

Ao tentar cancelar o jornal, tenho a oferta do valor adicional cobrado restituído em jornais, mas, só aceito com a condição de pagar no boleto, evitando assim empoderar o Estadão de controlar meu cartão de crédito. Mas, eles insistiram no desrespeito ao consumidor e, nunca tiraram a cobrança do débito automático. Fico com a clara impressão de que faz parte de um padrão reincidente, de má fé onde o pouco de confiança e respeito que tinha na marca simplesmente viram ojeriza.

A mesma política tosca aconteceu mês passado, com a conta da Vivo TV, que também estava em débito automático. E, era outra assinatura que com os recursos da nova era, percebi que consigo substituir com muitas vantagens. Já cancelei duas vezes o mesmo serviço, mas a empresa até o momento não se dignou a tirar a cobrança do débito automático nem de me tirar da sua lista de clientes! Diz que houve um erro no sistema, que certamente desaparecerá imediatamente assim que receber em a notificação via Anatel de seus procedimentos desrespeitosos e ilegais – tenho direito a não querer mais usar seus serviços.

Por que só recebemos propostas de descontos nas operadoras quando vamos cancelar ou mudamos de operadora? O cliente antigo – exatamente aquele que paga os salários é o que é penalizado pagando preço cheio!

Continuo aprendendo a cada dia através de boas práticas de muitas empresas, possibilidades de inovação e mudança dos nossos padrões de comportamento. Temos que revisitar hábitos antigos, facilitar nosso dia a dia, priorizar e valorizar empresas que nos valorizem, também a nossa inteligência e lealdade!

Continuando por este mundo cada dia mais líquido e cada dia mais leve, sem assinaturas engessadas que roubam não só minha liberdade, mas muitas vezes meus direitos e minha voz!


+ Notícias

Como construir marcas icônicas para a Web3?

Como impulsionar conversas e vendas pelo WhatsApp?

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 284

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
YUCA | Estúdio Criativo

ILUSTRAÇÃO:
Midjorney


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head de Conteúdo e Comunicação
Verena Carneiro
[email protected]

Head de Conteúdo
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio
YUCA | Estúdio Criativo

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]