Pesquisar
Close this search box.
/
/
CX é investimento elementar ou custo alto? Accenture responde

CX é investimento elementar ou custo alto? Accenture responde

Fábio Nantes, diretor da Accenture Song, avalia a importância de investimentos em CX e destaca como medir ROI em CX hoje

Investimentos em Customer Experience tem se tonando um assunto fundamental hoje quando se fala sobre retenção de clientes, diminuição de custos e aumento de vendas. Não só isso, investimentos em CX podem ajudar a diferenciar as empresas em um mercado cada vez mais competitivo.

Por outro lado, muitas empresas ainda podem ver CX como um custo alto quando estão focadas em um retorno financeiro imediato e hiper tangível. O fato é que a implementação de iniciativas em CX exige investimentos significativos em tecnologia, treinamento de pessoal etc. “Trabalhar a experiência de clientes (CX) custa sim. Não só dinheiro, mas também tempo, e priorização”, diz Fábio Nantes, diretor da Accenture Song.

No entanto, embora possa haver um custo inicial associado à implementação de uma estratégia eficaz de CX, os benefícios a longo prazo, segundo Nantes, superam o custo. “Quando se entende que CX passou a ser uma necessidade para se manter relevante, deixa-se de falar em custo para se falar em investimento com projeções de resultados de curto, médio e longo prazo”, explica.

Para Nantes, se as empresas não mudarem sua visão tradicional de trabalhar CX, passando de customer centric para life centric, deixarão de ser relevantes e correrão riscos. “Sobretudo num cenário super digitalizado, com mercados saturados pela concorrência”, salienta.

Quando se entende que CX passou a ser uma necessidade para se manter relevante, deixa-se de falar em custo para se falar em investimento

Conheça o Mundo do CX

É possível calcular ROI de CX?

Mas como é trabalhar com métricas tradicionais para demonstrar que CX vale investimentos? Nantes explica que existem algumas maneiras de calcular ROI em CX – dependendo dos objetivos específicos da empresa e do tipo de iniciativa de CX sendo considerada. Uma das maneiras mais comuns é medir a redução de custos ou o aumento de receita que resulta diretamente de uma iniciativa de CX específica. Por exemplo, uma nova plataforma de autoatendimento para diminuir o número de chamadas. Ou investir em treinamento para melhorar o atendimento ao cliente.

No entanto, Nantes avalia que hoje deve-se elaborar muito mais a forma de cálculo para realmente ser assertivo em investimentos em CX. “É preciso entender os parâmetros tradicionais e adicionar informações referentes à vida dos clientes. Dados sobre sentimentos, ambientes macroeconômicos e políticos e outros aspetos que influenciam o perfil de consumo das pessoas”, explica Nantes.

E para impulsionar esses indicadores, Nantes conta que muitas empresas já vêm recorrendo às plataformas de IA e machine learning, as quais agregam elementos preciosos às bases de cálculos tradicionais e aumentam a acurácia das respostas.

CX é uma jornada contínua

Ao mostrar que melhorias nas métricas tradicionais, apoiadas em tecnologias e treinamentos específicos, resultam em ganhos financeiros, executivos podem demonstrar o valor do CX e justificar os investimentos para as lideranças.

Essa “magia”, segundo Nantes está em “proporcionar uma experiência excepcional para o cliente em todos os pontos de contato com a empresa”. “Para oferecer uma experiência de alta qualidade ao cliente, é importante que a empresa combine todo o potencial de CX em atendimento omnicanal, operação phygital e tecnologia”, pontua.

Ao combinar esses elementos, Nantes entende que a empresa pode melhorar o CX e reduzir o CAC, aumentar o NPS e o CSAT e reduzir o Effort Rate. “No entanto, é importante lembrar que CX é uma jornada contínua. É necessário monitorar constantemente as métricas e adaptar a estratégia para atender às mudanças de comportamento dos clientes”, alerta o executivo.

Investimento VS tamanho da empresa

Ponto importante na análise de Nantes sobre ROI em CX é como trabalhar os investimentos com o tamanho e rentabilidade da empresa. “É importante desenvolver uma estratégia personalizada que leve em consideração as necessidades específicas da empresa e dos clientes. Isso inclui avaliar recursos disponíveis, expectativas dos clientes e a concorrência”, frisa Nantes.

Em resumo, personalização é a chave para trabalhar o investimento em CX com o tamanho e rentabilidade da empresa, segundo o diretor da Accenture. Entretanto, a liderança tem um papel fundamental na implementação e promoção de uma cultura focada em CX. Segundo Nantes é ela quem garante o compromisso na busca contínua da experiência como missão estratégica e prioritária para a empresa. “A liderança deve ter uma visão clara sobre a importância do CX para o seu sucesso, e deve comunicar essa visão de forma clara e frequente para todos os colaboradores e para o mercado”, conclui o diretor.


+ Notícias

IA com personalidade verdadeira apoia o aprendizado sobre CX

Mais da metade dos brasileiros se preocupa com impactos da IA

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]