Pesquisar
Close this search box.
/
/
Letramento digital: como ajudar crianças a fazerem um uso seguro da internet?

Letramento digital: como ajudar crianças a fazerem um uso seguro da internet?

Com parceria internacional, Anatel lança conjunto de cartilhas que orienta pais, educadores, formuladores de políticas públicas e indústria

Nesta semana, tivemos um avanço importante pela proteção das crianças na internet. Foram lançadas ontem, pela Agência Nacional de Telecomunicações, cartilhas que orientam pais, educadores, formuladores de políticas públicas e representantes de diferentes indústrias sobre o uso seguro da internet pelos pequenos. O material foi produzido pela União Internacional de Telecomunicações e traduzido para o português pela Anatel.

A iniciativa é fruto de uma parceria da Agência com a embaixada do Reino Unido e o Comitê Gestor da Internet (CGI.br), que entenderam a necessidade de auxiliar a navegação dos mais jovens desde os primeiros contatos deles com a rede mundial de computadores. No Brasil, dados da pesquisa TIC Kids Online mostram que houve um aumento significativo na proporção de usuários da internet com idade entre 9 e 10 anos. Quando olhamos para as crianças e adolescentes entre 9 e 17 anos, 90% deles já utilizam a internet.

O papel dos pais no uso seguro da internet

Os materiais disponibilizados pela Anatel são muito interessantes e divertidos. Uma das cartilhas produzidas para utilização dos pais é um livro de atividades para ser trabalhado com crianças pequenas, com menos de nove anos. O livro é conduzido por um personagem chamado Sango, nada mais, nada menos que um “telefone ninja”. Sango leva as crianças e os pais para situações do cotidiano, que no livro são vividas por outros personagens: Hugo, Tom, Amal, Zola, Kayla, entre outros. Todos crianças.

SANGO-NINJA-INTERNET

O “ninja” apresenta as situações e pergunta como os personagens deveriam agir em cada caso, dando duas opções de resposta e depois trazendo o gabarito. São tratados, de forma leve e simples, temas sobre o direito a brincar oline, o gerenciamento do tempo de uso da tela, a exposição a conteúdo impróprio, o direito a usar a mídia digital para aprender, questões de privacidade e a importância dos adultos serem modelos do uso positivo da internet para as crianças.

A proposta é que os pais leiam o livro junto com os filhos e conversem abertamente com eles sobre a maneira com que eles usam a internet, deixando um canal aberto para que ele relatem situações de desconforto, medos e tire dúvidas. É importante, segundo as diretrizes, que as crianças entendam que podem falar com os pais sobre tudo que acontecer no universo digital, sem medo de serem punidos.

É interessante que entre os personagens que Sango visita estão crianças diversas: pretas, brancas, que usam óculos, cadeirantes, meninos, meninas. Isso faz com que quem está acompanhando a história possa se identificar ainda mais com as situações retratadas.

CARTILHA-ANATEL-CRIANÇAS

Além do livro, foram publicadas as diretrizes para pais e educadores sobre Proteção On-line Infantil. Do material, vale destacar a ênfase de que no mundo conectado em que vivemos é importante que os pais apoiem as crianças e jovens para que possam se beneficiar da tecnologia de maneira segura. A dica é ter uma abordagem equilibrada e reconhecer a ampla gama de benefícios que a Internet pode oferecer.

Compreender isso, segundo as diretrizes publicadas pela Anatel pode ajudar os pais a se envolverem mais e acompanharem melhor as crianças nesse processo, garantindo que elas usem os sites de forma segura e responsável desde pequenas. A orientação é que os pais se familiarizem com os riscos e oportunidades que a internet representa, para saberem identificar ameaças em potencial.

Uma outra dica é que os pais saibam identificar bons sites, jogos de aprendizagem e entretenimento que possam usar com os filhos. Um bom site, segundo as diretrizes, terá uma página dedicada à segurança, links claros, mecanismos de denúncia e orientação para crianças de jovens. Conversar com os filhos sobre ser um “bom cidadão digital” também é importante, para que desde pequenos eles saibam o que compartilhar sobre si mesmos e sobre os outros e construam um pensamento crítico sobre o que vêem online, entendendo que nem tudo é verdade.

A conversa sobre como a tecnologia pode ser viciante e envolvente também é necessária. Chegar a um acordo sobre regras familiares para uso de dispositivos conectados é um caminho, que junto com bons exemplos dentro de casa, ajudam a construir hábitos de consumo consciente no meio digital.

Essas são apenas algumas das muitas dicas que compõem o material disponibilizado ontem pela Anatel. Você pode conferir a íntegra das diretrizes para pais e educadores, aqui.

Formuladores de políticas públicas e indústria como agentes de conscientização

No conjunto de cartilhas também foram feitas publicações voltadas para formuladores de políticas públicas e para indústria, entendendo que eles são potenciais agentes para as ações de conscientização.

As diretrizes para os formuladores de políticas públicas tratam de recomendações para criação de estruturas, implementação e desenvolvimento de uma estratégia nacional que dê mais segurança às crianças e adolescentes na internet. Segundo o documento, ao desenvolver uma estratégia para o país de proteção online infantil que promova segurança online de crianças e jovens, os governos nacionais e as instituições precisam identificar as melhores práticas e se envolver com as principais partes interessadas.

Isso inclui desde pais, educadores, comunidades de pesquisa e ONGs, até a própria indústria, operadores de banda larga e instituições de direitos humanos. Além de estar perto dos atores interessados no tema, é importante que se olhe para o que já existe de política pública a nível nacional e internacional, para investir no que funciona e ampliar o alcance dessas iniciativas.

Em relação às diretrizes para indústria, são abordadas as principais áreas de promoção e proteção das crianças, trazendo exemplos de boas práticas que sirvam de inspiração. A ideia é que as empresas que produzem tecnologia e conteúdo digital estejam atentas para identificar, prevenir e mitigar quaisquer impactos adversos de seus produtos e serviços para crianças e jovens. Algumas dicas de como fazer isso são:

  • Certificar que uma pessoa e/ou equipe específica seja designada como responsável por esse processo e assuma a liderança na promoção da proteção infantil online em toda a empresa;
  • Desenvolver uma política de proteção e salvaguarda da criança e/ou integrar riscos e oportunidades específicas relativas aos direitos das crianças e dos jovens nos compromissos das políticas de toda a empresa (por exemplo, direitos humanos, privacidade, marketing e códigos de conduta relevantes);
  • Integrar a devida diligência em questões de PIO aos direitos humanos existentes ou estruturas de avaliação de risco para determinar se o negócio ou indústria pode estar causando ou contribuindo para impactos adversos através de suas atividades.

 


+Notícias

Gerações Alpha e Z: As marcas preferidas do público infanto-juvenil no Brasil

Conheça os seus direitos de consumidor em contratos com instituições de ensino

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 283

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
Imagem idealizada por Melissa Lulio,
gerada por IA via DALL·E da OpenAI, editada por Nádia Reinig


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

Coordenador de Marketing de Performance 
Jonas Lopes 
[email protected]

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 283

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos na era da Inteligência Artificial, dos dados e de um consumidor mais exigente, consciente e impaciente. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo: das decisões, estratégias e inovações.
O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia. Ele quer respeito absoluto pela sua identidade, quer ser ouvido e ter voz.
Acompanhar cada passo dessa evolução é um compromisso da Consumidor Moderno, agora um ecossistema de Customer Experience (CX), com o mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor, inteligência relacional, tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a experiência de modo eficaz, conectando executivos e lideranças.

CAPA:
Imagem idealizada por Melissa Lulio,
gerada por IA via DALL·E da OpenAI, editada por Nádia Reinig


Publisher
Roberto Meir

Diretor-Executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-Executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-Comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Elisabete Almeida
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

Fabiana Hanna
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-Assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Danielle Ruas 
Jéssica Chalegra
Julia Fregonese
Marcelo Brandão

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Líder de Marketing Integrado 
Suemary Fernandes 
[email protected]

Coordenadora
Mariana Santinelli

Coordenador de Marketing de Performance 
Jonas Lopes 
[email protected]

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com autorização da Editora ou com citação da fonte.
Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright,
sendo vedada a reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados
e informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]