Pesquisar
Close this search box.
/
/
Brasil x Latam: como se comportam os Millennials e a Geração Z

Brasil x Latam: como se comportam os Millennials e a Geração Z

Estudo compartilhado em palestra do CONAREC mostra que as diferenças no comportamento do consumidor são mais geracionais do que regionaisEstudo compartilhado em palestra do CONAREC mostra que as diferenças no comportamento do consumidor são mais geracionais do que regionais

Em um mundo globalizado e tão virtualmente interconectado, é possível pensar em diferenças latentes entre consumidores de países de uma mesma região? Na palestra ministrada no CONAREC 2023, na Arena Amazônia, por Felipe Mendes, Vice-Presidente para América Latina da Tech&Durable GfK, empresa do Grupo NIQ, fica evidente que não.

Em pouco mais de vinte minutos, o VP abordou principalmente hábitos de vida e consumo da Geração Z brasileira e latino-americana, defendendo que ela é marcada muito mais pelo que já viveu até então, como a pandemia e crises econômicas, políticas e sociais, do que pelo país onde nasceu.

Fazendo jus à proposta, o mote da palestra foi: “Z de Zeitgeist: uma geração onde o Zeitgeist (termo alemão que significa ‘espírito do tempo’) importa mais que o ZIP code (o CEP, onde a pessoa mora)”.

O que baseou a afirmação foram dados do GfK Consumer Life, maior estudo global de tendências do consumidor. Em 2023, ele foi realizado em mais de 25 países, incluindo Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, México e Peru. Para a palestra, foram comparadas respostas dadas por Millenials há dez anos, ou seja, quando estavam na faixa dos 18 a 26 anos, com respostas da Geração Z que agora está na mesma faixa de idade.

Por que considerar diferenças mais entre gerações
do que entre países?

“Quando falamos de jovens adultos, independentemente da geração, existem muitas coisas em comum, como ser a época de formação como cidadão ativo, vivência de primeiras vezes, como relacionamento, emprego e casa, e o pouco poder aquisitivo balanceado com muitos desejos de consumo”, comenta Felipe Mendes.
Nesse sentido, o que muda de geração para geração é como estas experiências são vivenciadas a partir de um contexto geral.

Ainda que os Millenials se diferenciem da geração mais nova como o grupo que acreditou que o mundo ia dar certo, principalmente considerando o impacto da tecnologia na melhoria da vida de todos, eles têm em comum que, atualmente, a realidade tenha se imposto a eles da mesma maneira. Como contraponto, os Gen Z já se formaram em um momento mais complexo e turbulento, o que ajudou a formar uma cultura global compartilhada.

Por isso, ao comparar dados do Brasil com outros países da América Latina, ainda que existam percentuais diferentes em alguns indicadores, os caminhos vão apontando para o mesmo lado ao se considerar grupos geracionais. O estudo, inclusive, lista os valores-chave dos latino-americanos e brasileiros mais jovens:

Leia mais:
Valor e missão de uma empresa na prática

Prosperidade

Ainda que o pessimismo e a impressão de um futuro menos promissor tenham aumentado, a Geração Z se mostra mais pragmática e concreta do que os Millenials quando tinham a mesma idade. Valores como diversão e liberdade foram substituídos por aprendizado e tolerância social, por exemplo.

Além disso, a riqueza aparece mais como valor pessoal, embora esta seja uma geração que seja mais preocupada com o básico: pagar as contas.

“A sobrevivência é uma preocupação, mas o trabalho deixa de ser uma grande fonte identitária. É uma outra relação com ele, pois é uma geração mais frugal em seu consumo – ela vai querer consumir menos na mesma medida em que tem menos poder aquisitivo”, explica Felipe Mendes.

Consciência social e ambiental

A questão ambiental está entre as maiores inquietações dos jovens, o que traz reflexos no que se espera das posturas dos negócios. Agora, ter uma preocupação com o meio ambiente não é mais diferencial e, sim, obrigatório. No Brasil, a consciência ambiental é ainda mais forte: 71% afirmam que as marcas precisam ser ambientalmente corretas.

Também nesse sentido, é alta a consciência social. Enquanto o valor da individualidade cai, o da igualdade sobe. “Isso tudo é parte do que todos vivemos na pandemia. Antes, a gente até falava que se preocupava com o mundo, mas na pandemia a gente realmente viu o quanto ele de fato poderia nos preocupar”, correlaciona o palestrante.


CONAREC 2023
Acompanhe a cobertura completa!


Diversidade e inovação

Estes dois valores-chave conversam entre si uma vez que diversos “temas” são impactados por eles e, assim, passam por uma desconstrução conceitual, desde percepções e comportamentos no trabalho, na sociedade, nos relacionamentos, no lar, com amigos, etc.

De maneira geral, tanto no Brasil como na América Latina, valores como romance, tradição, papéis tradicionais de gênero e estabilidade nos relacionamentos pessoais se tornam menos importantes.

Saúde e bem-estar

Ainda que valorize bens materiais e se preocupe com as contas, a Geração Z brasileira e latino-americana tem como prioridade seu bem-estar e sua saúde mental. Enquanto a busca por equilíbrio entre vida pessoal e profissional seja uma constante em todos os países, é ainda mais acentuada no Brasil.

Aqui, para Felipe Mendes, vale uma chamada de atenção para as empresas.

“Eles estão dizendo que priorizam o equilíbrio, então talvez não queiram trabalhar como antes. Para isso, é preciso ter uma vida menos gastadora ou mais frugal, o nome que quiserem dar. Para o lado social é um chamado muito bacana, pode ser que essa geração mude muita coisa no mundo, mas para o lado do consumo é uma preocupação. E aí entra o nosso olhar de estimular que essas pessoas continuem consumindo, se a gente achar que isso é correto”, finaliza.



+ NOTÍCIAS
Líderes debatem como medir satisfação do consumidor no CONAREC 2023
Personalização no e-commerce da Raia Drogasil traz insights valiosos para vendas online

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]