Pesquisar
Close this search box.
/
/
Por que o C-Level passou a defender o bem-estar dos colaboradores?

Por que o C-Level passou a defender o bem-estar dos colaboradores?

Estudo revela que, sim, a performance das empresas e a saúde dos funcionários estão diretamente conectados; entenda como os c-levels no Brasil tratam ROI e bem-estar

Benefícios abrangentes de bem-estar oferecem um retorno direto sobre o investimento, ao mesmo tempo em que aumentam o engajamento, a retenção e a produtividade de equipes no mais diversos negócios.

Essa análise é parte do primeiro estudo anual “ROI do Bem-Estar”, da Gympass. A pesquisa é baseada em um levantamento com mais de 2.000 líderes de Recursos Humanos que estão investindo no bem-estar da força de trabalho em nove países, incluindo Brasil, Estados Unidos e Reino Unido.

Foi em novembro de 2022, que o Gympass lançou o estudo (na época chamado Panorama do Bem-Estar Corporativo), e fez uma descoberta significativa: “estamos em uma crise de bem-estar”. Os colaboradores das empresas estão mais estressados do que nunca e passaram a exigir de seus empregadores recursos de saúde física e emocional para cuidar da sua saúde e qualidade de vida.

Agora, o “ROI do Bem-estar” leva essa descoberta um passo adiante. O novo estudo descobriu que as organizações não podem mais separar o desempenho de seus negócios do bem-estar de suas equipes, porque o desempenho das empresas e a qualidade de vida dos colaboradores estão diretamente conectados.

De acordo com o levantamento, empresas que oferecem apoio e recursos adequados para priorizar o bem estar dos colaboradores contam com uma força de trabalho mais feliz, engajada e produtiva. Essas companhias medem um retorno positivo dos investimentos que contribui diretamente para seus resultados, demonstrando como os benefícios abrangentes de bem-estar são vantajosos para os empregadores e seus funcionários.

Conheça o Mundo do CX

O ROI do Bem-Estar

Veja o que o “ROI do Bem-Estar” descobriu globalmente:

  • 90% das empresas que mensuram os resultados dos programas de bem-estar veem um retorno positivo dos investimentos.
  • Companhias que mensuram o impacto dos seus programas de bem-estar descobriram que eles são muito ou extremamente importantes para aquisição de talentos (78%), satisfação (88%) e retenção (79%).
  • 85% dos líderes de RH avaliam que os programas de bem-estar diminuem o custo de atração e retenção de talentos e aumentam o engajamento das equipes.
  • 85% dos líderes de RH observam redução de afastamentos e licenças médicas como resultado de benefícios abrangentes de bem-estar.
  • 78% dos líderes de RH relatam que seus programas de bem-estar reduzem os custos com despesas de saúde.

Recorte Brasil

No Brasil, os líderes de RH são ainda mais otimistas com os impactos dos programas de bem-estar nos resultados das organizações e com o quanto o C-Level valoriza o tema:

  • 97% das empresas brasileiras que mensuram o ROI dos seus programas de bem-estar veem resultados positivos.
  • Quase a totalidade dos participantes do C-Level defendem o bem-estar dos colaboradores, com 97% valorizando essas iniciativas.
  • 97% dos líderes de RH no país dizem que programas de bem-estar são muito ou extremamente importantes para a satisfação dos colaboradores.
  • 89% dizem que os benefícios de bem-estar são importantes para a aquisição de talentos e 86% dizem que são importantes para a retenção.
  • Já o C-Level enxerga de forma quase unânime o impacto dos benefícios de bem-estar, com 99% afirmando que eles são importantes para a satisfação dos colaboradores, 96% dizendo que são importantes para a aquisição de talentos e 96% dizendo que são importantes para a retenção.
  • 82% das empresas observam redução nos custos de plano de saúde e 88% atribuem aos programas de bem-estar uma queda no número de faltas no trabalho por questões médicas.
  • O C-Level também reconhece o potencial dessas iniciativas, 90% dos executivos consideram que eles são uma medida que traz redução de custos e 85% dizem que são uma vantagem competitiva.

A dificuldade em calcular o retorno sobre o investimento

Para Priscila Siqueira, líder do Gympass no Brasil, os resultados da primeira edição do “ROI do Bem-Estar” mostram que há um consenso entre os líderes de RH de que é essencial priorizar o bem-estar dos colaboradores para garantir o desempenho das companhias. Mas, existem desafios.

“Muitos ainda têm dificuldade em calcular o retorno sobre o investimento. As empresas precisam entender que os investimentos em saúde, qualidade de vida e bem-estar são investimentos diretos nos negócios. Diante da crise de bem-estar que a força de trabalho enfrenta, as empresas que tiverem essa percepção terão sucesso no longo prazo e as que ignorarem essa realidade inevitavelmente ficarão para trás”, salienta Priscila.

Para ela, o estudo demonstra a importância do bem-estar para a força de trabalho e oferece ferramentas para mensurar o seu impacto. “Um componente essencial na medida em que as empresas precisam lidar com aumento de custos e mudanças de prioridades”, diz.

Renato Basso, Vice-Presidente de Pessoas do Gympass, entende que “as empresas que priorizam a saúde e a felicidade dos colaboradores permitem que eles tenham o engajamento para se envolverem profundamente em suas atividades e entregarem melhores resultados”.

“Nós descobrimos que para a maioria dos funcionários o bem-estar é tão importante quanto o salário e agora temos dados para demonstrar que quando as empresas apoiam seus colaboradores em suas jornadas de bem-estar, eles têm mais saúde e energia para se dedicar ao trabalho e ajudar os negócios a prosperarem”, conta Basso. “Ao investir em bem-estar corporativo, as empresas conseguem atrair e reter os melhores talentos, impactando positivamente o sucesso da organização”, conclui.

Leia mais: A gestão da experiência vai ser um ato cada vez mais importante em 2023

A tendência é humanizar?

Do ponto de vista de Customer Experience, a importância da humanização é transportada pelo estudo para um contexto mais amplo. No caso, humanizar a gestão da sua força de trabalho, extrapolando o campo das relações e experiências entre clientes e empresas. Vai além do atendimento ao cliente e coloca um olhar humano também para a gestão de equipes, parte fundamental do ecossistema de CX. Assim como a tecnologia hoje tem procurado humanizar serviços e produtos, atendimento e experiências, a humanização também passa a fazer parte de um pilar fundamental em CX: a gestão de equipes.

Passamos por períodos difíceis como a pandemia, que trouxe um alerta ainda maior para o cuidado com a saúde e o bem- estar. Parece óbvio, agora, ver a humanização direcionando a pauta de RHs e c-levels, entretanto, se hoje, estudos como estes sobre a necessidade de colocar o tema na pauta de geração de valor para as organizações é cada vez mais discutido, é porque no passado um modelo de gestão de “sucesso” não o comtemplava como um caminho para uma empresa obter bons resultados- salvo raras exceções.

Hoje, muito pelo contrário, no mundo todo, após um período de muita reflexão sobre modelos de trabalho produtivos e da valorização do bem-estar, vemos que, sim, humanizar as relações de trabalho e gestão de equipes e ter uma escuta ativa para o tema é fundamental para empresas seguirem atuantes, produtivas, saudáveis e lucrativas.



+ Notícias

A necessidade de um novo RH 

Forças de trabalho diversificadas podem impulsionar o consumo e a inovação 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]