Pesquisar
Close this search box.
/
/
“Experiências com voz precisam reconquistar o consumidor”, diz diretor da Accenture

“Experiências com voz precisam reconquistar o consumidor”, diz diretor da Accenture

“As empresas precisam criar experiências com voz que reconquistem a confiança e interesse do consumidor”, diz diretor da Accenture Song

Graças à Inteligência Artificial (IA) amplamente utilizada em smart speakers (alto falantes) como Siri (Apple), Cortana (Microsoft) e Alexa (Amazon), a relação do consumidor com serviços e produtos por comando de voz ganhou mais espaço no mercado de atendimento ao cliente.

O mesmo ocorre com modelos de negócios. O voice commerce, por exemplo, é um deles e tem chamado atenção nos últimos anos, sobretudo em mercados mais maduros, como os EUA. Por lá, em 2019, 85% das pessoas que compraram online já confiavam suas escolhas nas recomendações da Alexa, por exemplo.

Segundo o Relatório Comércio sem Fronteiras do PayPal de 2022, 46% dos consumidores online globais afirmam estar mais propensos a comprar de uma empresa que ofereça experiências virtuais ou digitais inovadoras.

Reforçando esse cenário, uma pesquisa da consultoria Ilumeo, apresentou que o uso de assistentes de voz cresceu 47% entre os brasileiros durante a pandemia. Entre os participantes da pesquisa, 48% afirmaram já fazer uso de comandos de voz pelo menos uma vez por semana, e outros 20% fazem uso dela todos os dias.

Para Ivan Lucchini, diretor de Design da Accenture Song, as empresas precisam ter clareza que o uso da voz não é só “mais uma ferramenta de interação” e que os momentos de uso, formas, expectativas e percepção de qualidade pelo cliente são bem diferentes. Foi sobre essa realidade e os desafios em tecnologia por voz no relacionamento com clientes, que conversamos com Ivan Lucchini. Confira!

Experiências com voz precisam reconquistar a confiança do consumidor

CM – Como você percebe a penetração do voice commerce no Brasil? Podemos afirmar que já temos os primeiros passos desse modelo por aqui?

É possível dizer que existem ensaios iniciais nessa direção, mas ainda sem muita consistência e sem cobrir o processo ponta a ponta da compra com voz. Apesar da crescente familiarização com assistentes de voz digitais no Brasil, ainda é necessário que o consumidor esteja disposto a enfrentar considerável atrito em uma eventual experiência de compra.

Conheça o Mundo do CX

CM – Para marcas que procuram esse modelo, como adaptar o negócio ao voice commerce?

É importante que as empresas entendam que o voice commerce é uma forma adicional na experiência de compra, com suas próprias características, e que conviverá com outros formatos e que, portanto, não se trata de um esforço de migração, mas de incorporação de jornadas entre canais. Ou seja, a empresa deve estar preparada para esforços consideráveis de integração de tecnologia combinadas a uma visão única da experiência do cliente por múltiplos pontos de contato.

Também, é importante ter clareza que o voice commerce pode sim representar redução de custo na automação de determinados processos, mas que o atendimento humano ainda será imprescindível e cada vez mais especializados, já que os casos mais simples deverão ser resolvidos de forma mais autônoma.

“As empresas precisam criar experiências com voz que reconquistem a confiança e interesse do consumidor para sua adoção ser ampliada” 

Participe do CVX

CM – Sobre Customer Experience e experiências com tecnologias por voz, em que estágio se encontra o mercado brasileiro? E quais sãos os desafios que ainda não superamos e as novas fronteiras nesse caminho?

A combinação de uso de voz para automação de processos de vendas e cobranças ativas somadas a experiências pouco resolutivas em atendimentos técnicos criou uma certa resistência no consumidor ao ouvir a “voz gravada” da empresa do outro lado. É importante não ignorar esse ponto de partida e entender que as empresas precisam criar experiências com voz que reconquistem a confiança e interesse do consumidor para sua adoção ser ampliada.

“E necessário foco no conteúdo, no tom de voz para transmitir os valores e personalidade da marca através da conversa assim como a responsabilidade com uso de AI”

Isso passa pela utilização da voz em momentos além da venda ou de resolução de problemas. As conversas permitem que uma marca expresse propósito, aprenda sobre os clientes e fortaleça relacionamentos. de forma muito especial. Por isso é necessário foco no conteúdo, no tom de voz para transmitir os valores e personalidade da marca através da conversa assim como a responsabilidade com uso de AI; desenvolvimento ético de soluções evitando os vieses de gênero e tratando as nuances e limitações de linguagem de forma inclusiva.

Finalmente as empresas precisam ter clareza que o uso da voz não é apenas mais uma ferramenta de interação para incorporar em um mesmo fluxo de compra que antes era feito através de cliques. Os momentos de uso, formas de interação, expectativas e percepção de qualidade pelo cliente são bem diferentes. Uma boa conversa começa com uma boa escuta e por isso é tão importante entender em profundidade qual é esse novo comportamento antes de investimentos massivos em tecnologia.


+ Notícias

Personas e IA: qual a fórmula para encantar os clientes? 

Geração Z encara a inflação melhor do que Millennials e Baby Boomers 

Recomendadas

MAIS MATÉRIAS

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]

SUMÁRIO – Edição 282

As relações de consumo acompanham mudanças intensas e contínuas na sociedade e no mercado. Vivemos a era do pós-consumidor, mais exigente e consciente e, sobretudo, mais impaciente, mais insatisfeito e mais intolerante com serviços ruins, falta de conveniência, serviços deficientes e quebras de confiança. Mais do que nunca, ele é o centro de tudo, das decisões, estratégias e inovações. O consumidor é digital sem deixar de ser humano, inovador sem abrir mão do que confia, que critica sem consumir, reclama sem ser cliente, questiona sem conhecer. Tudo porque esse consumidor quer exercer um controle maior sobre suas escolhas e decisões. Falamos de um consumidor que quer respeito absoluto pela sua identidade – ativista, consciente, independentemente de gênero, credo, idade, renda. Um consumidor com o poder de disseminar ideias, que rapidamente se organiza em redes orquestradas capazes de mobilizar corações, mentes e manifestações a favor ou contra ideias, campanhas, marcas, empresas. Ele cria tendências e as descarta na velocidade de um clique. Acompanhar cada passo dessa evolução do consumidor é um compromisso da Consumidor Moderno, agora cada vez mais uma plataforma de distribuição de insights e conteúdo multiformato, com o melhor, mais completo, sólido e original conhecimento sobre comportamento do consumidor e inteligência relacional, ajudando executivos de empresas que tenham a missão de fazer a gestão eficaz de comunidades de clientes a tomar melhores decisões estratégicas. A agenda ESG, por exemplo, que finalmente ganha relevo na agenda corporativa, ocupa nossa linha editorial há muito tempo, porque já a entendíamos como exigência do consumidor no limiar da era digital. Consumidor Moderno também procura mostrar o que há de mais avançado em tecnologias, plataformas, aplicações, processos e metodologias para operacionalizar a gestão de clientes de modo eficaz, conectando executivos e lideranças em um ecossistema virtuoso de geração de negócios e oportunidades.

Concepção da capa:
Camila Nascimento


Publisher
Roberto Meir

Diretor-executivo de Conhecimento
Jacques Meir
[email protected]

Diretora-executiva
Lucimara Fiorin
[email protected]

COMERCIAL E PUBLICIDADE
Gerentes-comerciais
Andréia Gonçalves
[email protected]

Daniela Calvo
[email protected]

Érica Issa
[email protected]

NÚCLEO DE CONTEÚDO
Head
Melissa Lulio
[email protected]

Editora-assistente
Larissa Sant’Ana
[email protected]

Repórteres
Bianca Alvarenga
Cecília Delgado
Jade Lourenção
Jéssica Chalegra
Júlia Fregonese
Lara Madeira
Marcelo Brandão

Head de Arte
Camila Nascimento
[email protected]

Designer
Melissa D’Amelio

Revisão
Elani Cardoso

MARKETING
Coordenadora
Mariana Santinelli

TECNOLOGIA
Gerente

Ricardo Domingues

CX BRAIN
Data Analyst
Camila Cirilo
[email protected]


CONSUMIDOR MODERNO
é uma publicação da Padrão Editorial Eireli.
www.gpadrao.com.br
Rua Ceará, 62 – Higienópolis
Brasil – São Paulo – SP – 01234-010
Telefone: +55 (11) 3125-2244
A editora não se responsabiliza pelos conceitos emitidos nos artigos ou nas matérias
assinadas. A reprodução do conteúdo editorial desta revista só será permitida com
autorização da Editora ou com citação da
fonte. Todos os direitos reservados e protegidos pelas leis do copyright, sendo vedada a
reprodução no todo ou em parte dos textos
publicados nesta revista, salvo expresso
consentimento dos seus editores.
Padrão Editorial Eireli.
Consumidor Moderno ISSN 1413-1226

NA INTERNET
Acesse diariamente o portal
www.consumidormoderno.com.br
e tenha acesso a um conteúdo multiformato
sempre original, instigante e provocador
sobre todos os assuntos relativos ao
comportamento do consumidor e à inteligência
relacional, incluindo tendências, experiência,
jornada do cliente, tecnologias, defesa do
consumidor, nova consciência, gestão e inovação.

PUBLICIDADE
Anuncie na Consumidor Moderno e tenha
o melhor retorno de leitores qualificados e
informados do Brasil.

PARA INFORMAÇÕES SOBRE ORÇAMENTOS:
[email protected]