A importância de falar sobre violência contra a mulher

Na Declaração e Programa de Ação de Viena, foi reconhecida como forma de violência toda espécie de assédio e exploração sexual, em particular as derivadas de preconceitos culturais.

Esse documento reconheceu que todos os direitos humanos não possuem hierarquia, que da mulher e da menina são inalienáveis, integrantes e indivisíveis dos Direitos Universais.

Além de manifestar sua preocupação pelas diversas formas de violência às quais as mulheres continuam expostas da mesma maneira como manifestou suas preocupações com os direitos fundamentais.

Desse modo, para as estratégias de prevenção e combate à violência contra a mulher, uma série de documentos é constantemente elaborada na tentativa de esclarecer e propiciar mecanismos de defesa.

Segundo levantamento realizado pelo Movimento Nacional dos Direitos Humanos, em 2015, a maioria das mulheres foi assassinada por homens que as privavam de sua intimidade.

A violência contra a mulher tem caráter estrutural e, por isso, a expressão “combate à violência” vem de uma concepção teórica que supõe que o abuso seja produto de uma “patologia social”, portanto, pode ser “curada”.