Número de usuários longevos do Airbnb quase dobra no Brasil

Estudo mostrou que usuários com mais de 60 anos são bem avaliados e têm rendimento acima da média dos anfitriões brasileiros do Airbnb

Por: - 2 semanas atrás

Os aplicativos que incentivam o compartilhamento já se consolidaram no Brasil. Plataformas como Airbnb e Uber já ganharam a confiança dos jovens há algum tempo. O que poucos imaginam é que a economia colaborativa vem ganhando expressão entre os longevos. O Airbnb divulgou que o número de usuários seniores brasileiros quase duplicou em um ano.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno

Segundo a empresa, entre setembro de 2017 e setembro deste ano, o número de usuários com 60 anos ou mais cresceu 93% no Brasil. Esta é a faixa etária que mais cresce na plataforma, principalmente no Brasil, que apresenta crescimento maior que a média mundial, que é de 66%.

Pontuação e renda

Os anfitriões longevos são os mais bem avaliados e ganham mais com os aluguéis. As pessoas com 60 anos ou mais ganham, em média, R$ 6 mil anualmente. A média para todas as idades é de R$ 5,5 mil. Os hóspedes geralmente dão notas altas aos anfitriões seniores: 85% classificam a experiência com cinco estrelas.

“O Airbnb não é só para millenials, como muita gente imagina: os usuários  ‘seniores’, estão cada vez mais conectados e pertencendo ao mundo digital”, afirma Leonardo Tristão, diretor-geral do Airbnb no Brasil. “Eles estão fazendo viagens em grupo ou com a família de forma mais recorrente, preferindo ficar juntos e se sentir em casa”, completa.

Perfil

Como anfitriões, os usuários longevos recebem bem seus hóspedes. Já como viajantes, eles preferem viagens em grupo e são estratégicos. Os grupos são formados por no mínimo três familiares ou amigos. As viagens são mais longas do que outras faixas etárias: duram mais de cinco dias nos destinos domésticos e oito dias fora do País.

As viagens domésticas são maioria – representam 53% das reservas. Os principais destinos no Brasil são: São Paulo (30% das reservas), Rio de Janeiro (36%) e Florianópolis (13%). Entre os destinos internacionais, a Europa é a preferida. Os principais destinos são Portugal, com 34% das reservas (destaque para Lisboa e Porto) e Itália (16%).

Já os viajantes estrangeiros com 60 anos ou mais que vêm ao Brasil preferem se hospedar no Rio de Janeiro. As cidades que registraram o maior crescimento em reservas nos últimos 12 meses foram Balneário Camburiú (SC), Santos (SP), Foz do Iguaçu (PA), João Pessoa (PB) e Belo Horizonte (MG).