A reclamação faz sentido? Brasil tem as figurinhas da Copa mais baratas do mundo

Pacote a R$ 2 tem o dobro do preço cobrado na Copa do Mundo passada, gerou protestos dos consumidores. Ainda assim, o valor é mais em conta do que em qualquer outro país. Entenda

Por: - 4 meses atrás

A cada quatro anos temos duas certezas. A primeira delas é que pararemos o que estivermos fazendo para acompanhar a Copa do Mundo. A outra é que boa parte dos aficionados pelo esporte bretão irão querer completar o álbum de figurinhas com as 32 seleções participantes. Este ano, no entanto, o preço pegou muita gente de surpresa.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Por R$ 2 o pacote com cinco unidades, muitos desistiram de completar o álbum com quase 700 figurinhas. A comoção nas redes sociais foi gigante: como a Panini, que é a responsável pelo álbum, cobra duas vezes o que foi pago em 2014? E, por incrível que pareça, o brasileiro está pagando bem menos em relação ao resto do mundo.

Nós estamos acostumados a pagar muito em comparação a outros países. Temos o sexto Big Mac mais caro do mundo, por exemplo, segundo o índice Big Mac, medido pela Economist. Mas em relação às figurinhas, a nossa é a mais barata do planeta – US$ 0,59 por pacote. Os suíços, conhecidos colecionadores, pagam o triplo do valor – US$ 1,80.

Quem fez esse levantamento foi o Santander. Os países com figurinhas mais caras são Suíça, Hungria, Polônia, Romênica e Rússia, respectivamente do primeiro ao quinto. Na outra ponta, só sulamericanos: Brasil, Equador, Argentina, México e Chile. O Santander não cravou porque a América Latina tem os pacotes mais baratos, apenas afirmou que pode ser uma “estratégia diferente de preços”

Saímos ganhando?

Não quer dizer que estamos pagando pouco pelas figurinhas. Ao contrário. De uma Copa para a outra, o aumento foi acima da inflação: enquanto o índice oficial de preços subiu 33, 9% de 2014 a 2018, o valor para se completar o álbum cresceu 113,13%.

Sim, a Panini aumentou a sua margem. Mas o que fez o Brasil ter a figurinha mais cara do mundo foi a valorização do dólar frente ao real. Na última quarta (25), um dólar voltou a bater em R$ 3,50, maior valor desde junho de 2016. Este ano, o real foi a oitava moeda mais desvalorizada do mundo, na frente apenas do peso argentino, rublo russo, lira turca, rial (Irã), kwanza (Angola) e a sidanesa (Sudão).

Um detalhe que é importante citar: ao mesmo tempo em que temos as figurinhas mais baratas do mundo, o poder de compra do brasileiro é bem inferior ao dos europeus e dos países da América do Norte.

De qualquer forma, está aí uma oportunidade de mercado. Se você comprar figurinhas aqui para vender na Suíça, terá um lucro de US$ 1,21 por pacote. Ou seja, um ganho de R$ 4,23 a cada cinco figurinhas.

Confira o quadro abaixo com os países com as figurinhas mais caras do mundo:

Figura 1 – Preço em dólares para um pacote de 5 figurinhas
Figura 2 – Desvio do preço em dólares (%)