Procon São Paulo notifica o Facebook por vazamento de dados

Procon São Paulo notifica o Facebook por vazamento de dados

Por: Ivan Ventura 2.598 views

A Fundação Procon São Paulo notificou o Facebook pelo vazamento de dados de usuários brasileiros. A empresa tem 10 dias para se manifestar sobre o assunto

A Fundação Procon São Paulo notificou o Facebook para que dê explicações sobre o vazamento de dados de milhares de brasileiros durante a campanha eleitoral norte-americana e que teria beneficiado o atual presidente, Donald Trump. A própria empresa admitiu a evasão dessas informações.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

A empresa terá 10 dias (que começou a ser contado a partir do último dia 10) para prestar as informações por e-mail ou por meio de um porta voz legal.

O caso

Pouco mais de 443 mil de usuários do Facebook no Brasil tiveram seus dados coletados e repassados irregularmente à empresa de consultoria e marketing digital Cambridge Analytica, com sede no Reino Unido. A plataforma anunciou o envio de mensagem aos internautas envolvidos no vazamento com informações. As pessoas cujos dados foram vazados receberão uma mensagem na linha do tempo (newsfeed) contendo um link no qual poderão saber quais informações foram coletadas e de que maneira estas foram utilizadas.

ProconSP

 

Vazamento

Os dados foram vazados para a empresa Cambridge Analytica por um desenvolvedor que usou um aplicativo de teste de personalidade para acessar os dados. Essas informações teriam sido usadas pela consultoria britânica para influenciar eleições em diversos países.

Reportagens publicadas nos jornais New York Times (EUA), The Guardian (Reino Unido) e no canal de TV britânico Channel 4 (Reino Unido) divulgadas em março trouxeram a denúncia de um ex-funcionário relatando como os dados foram trabalhados pela firma para influenciar eleições, em especial o pleito dos Estados Unidos de 2016.

Na matéria da emissora de TV, dirigentes da empresa relatam que começariam a atuar no Brasil. A companhia firmou parceria com a Agência Ponte. Contudo, em março, a Ponte informou que não renovou o contrato com a consultoria.

Vítimas no mundo

No último dia 4 de abril, o diretor de tecnologia do Facebook, Mike Schroepfer, publicou mensagem no site da plataforma na qual afirmou que o número de pessoas atingidas chegaria a 87 milhões, bem maior do que os 50 milhões informados pelas reportagens detonadoras do escândalo.

A maioria (70,6 milhões) é formada por cidadãos dos EUA, mas o vazamento também incluiu 1,1 milhão de pessoas das Filipinas, 1 milhão da Indonésia, 1 milhão do Reino Unido, 789 mil do México, 622 mil do Canadá, 562 mil da Índia e 443 mil do Brasil.

Questionada pela Agência Brasil, a assessoria de imprensa do Facebook afirmou que a resposta da empresa abrange a notificação dos usuários envolvidos no vazamento e medidas para reduzir riscos e aumentar o controle das pessoas sobre as informações usadas por aplicativos.

Medidas

No último dia 9, o Facebook anunciou a inclusão da exigência de identificação e localização de quem desejar pagar por anúncios políticos. Essa verificação deverá ocorrer também no caso de “grandes páginas”, embora a companhia não tenha detalhado o critério para enquadrar a categoria. Outra nova funcionalidade criada será a possibilidade de os usuários verem os anúncios presentes e passados de uma página.

Com informações da Agência Brasil

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.