Rio2C desvenda os segredos da gastronomia digital

Rio2C desvenda os segredos da gastronomia digital

Por: Natália Oliveira 1.354 views

Chefs e especialistas do setor defendem, no Rio Creative Conference, a relação das plataformas digitais com a gastronomia. Entenda a discussão

É impossível dissociar a gastronomia do sentimento de paixão. Isso ficou bem claro no painel “Sobre redes e receitas: Gastronomia Digital”, durante a Rio Creative Conference. Quando o assunto é desenvolver plataformas digitais de produção de conteúdo ou de entrega de comida há um grande desafio: entrar no contexto da gastronomia. “Uma tecnologia fria não se encaixa no tema. Estamos falando de uma experiência inerente à rotina das pessoas, que é comer. Não é simples”, analisa Paulo Curio, diretor da Movile, idealizadora do iFood.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Há quatro anos, quando foi criado, o iFood atendia cerca de 25.000 pedidos por mês. Segundo Curio, 80% deles eram feitos via desktop e, o restante, por telefone fixo. Aos poucos, a experiência de pedir comida em casa foi se digitalizando e se concentrando no mobile. “Há dois anos me lembro que a Pizza Hut colocava o número do telefone no site e, quando a pessoa ligava, ouvia uma gravação que dizia: peça pelo iFood”, lembra.

Hoje, a plataforma atende sete milhões de pedidos por mês no Brasil. Esse crescimento acelerado, de acordo Curio, tem como principal motivo a preocupação da plataforma em se inserir no contexto da gastronomia, desde a escolha das fotos dos pratos à categorização dos restaurantes. “Dados indicam que a partir do momento que você pede seu prato e vai monitorando o preparo da comida, você vai ficando com mais fome. Ou seja, estamos inseridos no processo”.

Arte deliciosa

Na opinião da chef de cozinha Flávia Quaresma, os chefs nunca tiveram o glamour que têm hoje. “Somos como celebridades”, brinca. Proprietária do Carême Bistrô, ela diz que o grande prazer de estar em e-books, programas de TV e no mundo digital, em geral, é ajudar as pessoas a fazer aquilo que amam fazer. “Os vídeos tornam a culinária mais simples até para quem não sabe nada de cozinha. A câmera pega detalhes da receita, que um papel escrito não conseguiria transmitir”. E nada agrada mais a chef do que ver as pessoas acertando no prato. “Chefs colocam muito amor no que fazem. Acertar uma receita feita com amor é capaz de melhorar, inclusive a autoestima de quem a executa”.

O Rio Creative Conference acontece até o dia 8 de abril na Cidade das Artes, no Rio de Janeiro. Confira em nosso portal e nas redes sociais a cobertura completa.

Carregando...

Carregando... por favor, aguarde.