Crise e censura no mundo dos youtubers?

O Youtuber anunciou mudanças no seu modelo de remuneração de youtubers. Agora, todo o conteúdo será submetido a uma análise qualitativa feita pelo Google

Por: - 6 meses atrás

Atenção, youtuber! Começaram a valer este ano as mudanças no chamado Partner Program, o tal programa de  monetização orientado a youtubers. A partir de agora, todos os canais que quiserem ganhar dinheiro com a plataforma, elas serão submetidas a uma análise criteriosa – e não apenas pelo número de visualizações. A empresa promete uma avaliação qualitativa, ou seja, o tipo de conteúdo, o engajamento dos usuários, entre outros critérios.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

De acordo com o Google, a partir de agora, serão admitidos apenas canais com ao menos mil inscritos e, no mínimo, quatro mil horas de conteúdo assistido nos últimos 12 meses. Antes, não havia essa limitação.

Quanto aos canais ativos para monetização, eles serão reavaliados e, caso não cumpram a determinação, eles serão removidos do programa até o dia 20 de fevereiro.

Crise começou nos EUA

Essa não é a primeira mudança do Partner Program. Em 2017, a empresa promoveu a primeira alteração no documento: a inscrição somente poderia ocorrer se a pessoa tivesse mais de 10 mil visualizações no canal.

A “culpa” de todas essas mudanças está relacionado ao escândalo do youtuber Logan Paul, que mostrou o corpo de uma vítima de suicídio. O vídeo viralizou e o Paul foi monetizado pelo vídeo considerado de “mau gosto”. Pior: muitas empresas desistiram de anunciar na plataforma de vídeo justamente por estarem associadas a mídias desse tipo.