Brasil: há conectividade no futuro?

Parceria entre o governo e a Ericsson traz alguma esperança para um Brasil desanimado

Por: - 2 anos atrás

Imagine como seria bom se o Brasil fosse conectado, tecnológico, avançado. Se você ficou feliz com a imagem desse país que deu muitos passos à frente, pode acumular algumas – embora poucas – esperanças. Mesmo diante da sensação de desespero da economia e de grande parte dos cidadãos, há uma boa notícia nascendo.

Uma parceria entre o governo brasileiro, representado pelo Ministério das Comunicações, e a Ericsson dará vida ao Laboratório da Sociedade Conectada no Brasil, que será inaugurado no dia 29 de abril. A ideia é testar novas tecnologias com medição do impacto positivo da Internet das Coisas (IoT), incluindo água inteligente, agricultura, proteção de floresta até prevenção contra desastres e monitoramento.

O projeto é parte do Centro de Inovação da Ericsson, que busca desenvolver parcerias com universidades, clientes, fornecedores e agências de desenvolvimento, parceiros públicos e privados envolvidos no desenvolvimento de soluções IoT no Brasil e na América Latina.

Olhando para o futuro

“O Laboratório ilustra o comprometimento em atingir os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (SDG) das Nações Unidas”, afirma Ulf Ewaldsson, CTO mundial da Ericsson. “Este laboratório auxiliará o Brasil a se aproximar do 5G, onde as novas tecnologias de dispositivos e sensores podem aproveitar a conectividade de rede para alimentar muitos casos de uso, como soluções mais inteligentes no cultivo de alimentos, prevenção contra desastres”.

Carla Belitardo, vice-presidente de Estratégia da Ericsson na América Latina, diz, por sua vez, que possibilitar a inovação é um caminho para resolver os desafios que são específicos do Brasil. “É por isso que temos nomeado áreas de foco específicas, como proteção às florestas ou prevenção e monitoramento contra desastres naturais”, explica. “A soma de força dos investimentos públicos e privados resultará em soluções reais para a nossa sociedade”.

O que vai melhorar?

Na prática, a verdade é que os projetos neste Laboratório da Sociedade Conectada abordarão metas da ONU como: Fome Zero (#2), Água potável e saneamento (#6), Cidades e comunidades sustentáveis (#11), Ação climática (#13) e Parcerias para os Objetivos (#17).

“A Internet das Coisas está crescendo rapidamente como um agente muito expressivo da transformação, já que ela une o mundo físico com o mundo digital”, afirma André Figueiredo, Ministro das Comunicações. “Cooperando com o Laboratório da Sociedade Conectada da Ericsson, vamos entender melhor o cenário e nos colocarmos na vanguarda sobre como podemos melhorar de forma sustentável a agricultura, as cidades inteligentes, a energia, a produção industrial, entre outras áreas no Brasil”.