Eles são o futuro

Painel revela as expectativas dos Millennials

Por: - 2 anos atrás

Qual é a melhor forma de atender aos mais jovens? Essa é uma pergunta que persegue o cotidiano das empresas. Para conseguir a resposta, o painel Millennials: quem são, o que pensam e como se relacionar com uma geração que quer tudo em tempo real reuniu jovens para um debate mediado por Renato Cuenca, executive manager da TIM.

“A TIM se sente bastante a vontade para falar com vocês. Hoje mais de 2/3 dos nossos funcionários são Millennials e grande parte dos nossos clientes faz parte desse público”, afirma o executivo. Dentro desse contexto, ele questiona: como ser uma empresa parceira dos jovens?

O momento deles

Na ocasião, eles mesmos puderam esclarecer a essa grande questão. “O que me define é o imediatismo”, explica Lucas Lo Ami Alvino Silva, Innovation analyst da Somos Educação. “Sou muito adepto de soluções inovadoras e sempre faço compras pelo celular”.

Guilherme Ribeiro Paz, estudante de inovação e design estratégico do Instituto Europeo di Design, por sua vez, defende que o principal pilar da geração Y é o acesso à informação – com a qual já nasceram – e o fato de que eles têm voz ativa.

Para mostrar também o outro lado da situação, foi convidada a blogueira e youtuber Niina Secrets. “Na minha loja, procuro levar solução para os jovens. Se o cliente tem um problema, encontramos uma maneira de dialogar com ele”, conta. E a empresa dela atende até mesmo por WhatsApp – canal ignorado por grandes empresas por causa da burocracia.

Outras experiências

Jessica Feliciano, empreendedora, concorda com Niina e afirma: “Nós, Millennials, esperamos uma solução rápida e prática. Não temos tempo para gastar com uma ligação”. Isso não quer dizer, porém, que eles não estão interessados em viver a compra.

Fernanda Giacomassi, estudante de Jornalismo da Universidade de São Paulo, por sua vez, defende que, mesmo no mundo digital, a forma como se a empresa se relaciona é fundamental. “Ainda queremos ter experiência de loja”, defende Gustavo Garcia Majzoub, graduando em engenharia de produção da Poli-USP.

A conclusão é simples: não é fácil lidar com os jovens.